quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

José Luís Peixoto: Prémio Oceanos 2016 com o romance «Galveias»

Mais importante prémio de literatura em língua portuguesa no Brasil

José Luís Peixoto é o vencedor da edição deste ano do Prémio Oceanos - Prémio de Literatura em Língua Portuguesa, organizado pelo Itaú Cultural, no Brasil – herdeiro do antigo Prémio Portugal Telecom. O escritor português venceu o prémio com o romance Galveias, publicado pela Quetzal em Portugal, em 2014.
O anúncio foi feito na noite de ontem, em São Paulo. Peixoto foi o único escritor português consagrado nesta edição do mais importante e prestigiado prémio literário do Brasil. Para além da notoriedade da literatura portuguesa, a nível internacional, associada à atribuição deste galardão, Peixoto recebe um prémio no valor de 100 mil reais, o que corresponde a cerca de 27 mil euros.
Galveias – nome da aldeia natal de Peixoto, no Alentejo – está entre os grandes romances alguma vez escritos sobre o mundo rural português.
Um misterioso objeto cai sobre uma pequena vila do interior de Portugal – esse facto vai marcar a vida de todos os habitantes e é o ponto de arranque para um fantástico elenco de personagens que compõe este romance e que, capítulo a capítulo, desenha um mundo cheio de acontecimentos que oscilam entre o trágico e o cómico, entre o nostálgico e o dramático. Galveias é um retrato de vida, a imagem despudorada de uma realidade que atravessa o país e que, em grande medida, contribui para traçar-lhe a sua identidade mais profunda.

Sobre José Luís Peixoto, Vasco Graça Moura disse que é «um grande ficcionista e, também, um grande prosador da língua portuguesa, capaz de extraordinárias notações do real, de ritmos inovadores e até de uma relação estrutural com as formas musicais que não tem precedentes entre nós».

Sobre o autor:
José Luís Peixoto nasceu em Galveias, em 1974. É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias, traduzidas num vasto número de idiomas, e é estudada em diversas universidades nacionais e estrangeiras. Em 2001, acompanhando um imenso reconhecimento da crítica e do público, foi atribuído o Prémio Literário José Saramago ao romance Nenhum Olhar. Em 2007, Cemitério de Pianos recebeu o Prémio Cálamo Otra Mirada, destinado ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha. Com Livro, venceu o prémio Libro d'Europa, atribuído em Itália ao melhor romance europeu publicado no ano anterior. As suas obras foram ainda finalistas de prémios internacionais como o Femina (França), Impac Dublin (Irlanda) ou o Portugal Telecom (Brasil). Na poesia, o livro Gaveta de Papéis recebeu o Prémio Daniel Faria e A Criança em Ruínas recebeu o Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores. Em 2012, publicou Dentro do Segredo - Uma viagem na Coreia do Norte, a sua primeira incursão na literatura de viagens. Os seus romances estão traduzidos em mais de vinte idiomas.


Sem comentários: