domingo, 16 de outubro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Inseparável - Kate Hamer [Opinião]

Título: Inseparável
Autor: Kate Hamer
Editor: Clube do Autor
Páginas: 392

Sinopse:
Carmel é uma menina que está desaparecida. Mas não sabe que está perdida.

Depois do divórcio, Beth vive um medo constante. Acima de tudo, receia que a filha de oito anos, Carmel, com tendência para se furtar à vigilância maternal, possa desaparecer. Um dia, com efeito, o seu pior receio concretiza-se. Um sábado, numa manhã de nevoeiro, Beth leva a filha a um festival infantil ao ar livre, separam-se por breves instantes e Carmel nunca mais torna a ser vista. Vestindo o casaco vermelho de que tanto gosta e que a transforma ao mesmo tempo numa mancha reconhecível e num alvo fácil de identificar, Carmel acaba por cair nas mãos de um homem que lhe diz ser o avô há muito desaparecido. Não tendo outro remédio senão ficar entregue à sua nova família, a menina apercebe-se, à medida que os dias se transformam em semanas e meses, de que o avô possui um dom muito especial... Destroçada, Beth empreende uma busca desesperada e solitária, nunca perdendo a fé no reencontro. Carmel, por seu turno, empreende também uma estranha e angustiante viagem, que a obriga a recorrer a todo o engenho que a caracteriza desde pequena, a fim de manter sempre na sua mente (e na memória) a imagem da mãe.

Alternando entre a história de Beth e o relato de Carmel, numa prosa apaixonante e que nos deixa em suspenso até ao fim, Inseparável é um romance inesquecível.

A minha opinião: 
Inseparável é um verdadeiro murro no estômago para o leitor, sobretudo aquele que tem filhos mais ou menos com a idade de Carmel, como é o meu caso.

Retratando uma realidade tantas vezes vista na comunicação social, Inseparável conta a história de um rapto de uma criança e o desespero de uma mãe para encontrá-la. 
Relatado a duas vozes, a da mãe e a da filha desaparecida, vamos acompanhando a investigação incansável de Beth e, ao mesmo tempo, sabendo do dia a dia de Carmel, uma história que nunca teria imaginado.

Os dia de Beth resumem-se apenas ao somatório dos dias em que está sem a filha. Todas as pistas acabam por ser falsas, mas Beth não baixa os braços e tem a esperança de encontrar a filha ainda com vida.

Por seu lado Carmel vive uma vida de completa mentira. Vai para um outro país, onde o seu rasto se vai desvanecendo aos poucos.

Sem querer avançar muito na história, porque assim o livro não faria sentido, gostei particularmente da forma como o mesmo está escrito.
O relato a duas vozes é fundamental para a compreensão da narrativa, causando momentos de grande angústia para quem o está a ler.
Apesar do final ser o esperado, o livro não perdeu o interesse. 

Um livro que vende só pela capa. Extraordinária.