quinta-feira, 6 de outubro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Do livro para o filme: A Rapariga no Comboio

A oportunidade de ver a antestreia do filme A Rapariga no Comboio surgiu e não podia deixar passar. Depois de convidar uma amiga para me fazer companhia lá fui ver o tão desejado filme, visto ter adorado o livro (podem ver a minha opinião aqui.
Sem grandes expectativas em relação ao filme (normalmente os livros são bem melhores), fiquei surpreendida por este ter sido tão fiel ao livro.
A personagem principal, Rachel, maravilhosamente interpretada por Emily Blunt, surpreendeu-me na medida em que encaixa na perfeição no papel criado por Paula Hawkins. O desespero de Rachel, a decadência e a obsessão dela pela vida perfeita dos que visiona da janela do comboio estão bem retratados por Blunt.
Parado em algumas partes, mas fantástico noutras, foi importante para mim ter ido com uma amiga que não teve oportunidade em ler o livro. Estava sempre a tentar adivinhar quem era o assassino, o que me dava um gostinho especial por saber que não estava nem de perto para a resolução do caso. Obviamente que visionar um filme policial já sabendo quem é o assassino não tem aquele gostinho especial, mas fez-me reparar noutros pormenores que não teria reparado à primeira, caso fosse completamente em branco ao cinema.
Para os amantes do livro, mas também para os amantes de cinema A Rapariga no Comboio é um filme a não perder.

1 marcadores:

João Miranda disse...

Também fui à antestreia. Gostei bastante do convite ser um marcador :)

Sem ter lido o livro, achei o argumento algo previsível, até simples. Mas gostei bastante da interpretação dos actores, para mim, o melhor do filme.