sábado, 15 de outubro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

«Boas Esposas»: Guerra e Paz publica o clássico esquecido que continua a história de «Mulherzinhas»

Título: Boas Esposas
Autor: Louisa May Alcott
N.º de Páginas: 296
PVP: 13,90 €
Tradução: Rita Carvalho e Guerra
Ficção/Literatura Estrangeira
Nas livrarias a 19 de Outubro
Guerra e Paz Editores

Sinopse
Finda a Guerra Civil Americana, a família March prepara o casamento de Meg. Passaram três anos desde que se fechou a cortina sobre Mulherzinhas, as irmãs Meg, Jo, Beth e Amy estão mais crescidas e o pai regressou a casa, tornando-se pastor numa paróquia. As irmãs March enfrentam agora a vida adulta, trilham os seus próprios caminhos, longe da casa dos pais, e lutam pelos seus sonhos, numa viagem de autodescoberta. Em Boas Esposas, acompanhamos os bons e maus momentos desta etapa de crescimento, os problemas, as provações, as aprendizagens. Meg lida com os desafios da vida de casada, Jo procura vingar como escritora, Beth luta contra a doença, Amy viaja. A presente edição deste grande clássico da literatura inclui as ilustrações originais, de 1869, uma cronologia biobibliográfica da autora, uma caracterização das personagens, excertos do diário de Louisa May Alcott e uma carta ao seu editor, a propósito da edição de Boas Esposas.

Sobre a autora:
Louisa May Alcott. Nasceu a 29 de Novembro de 1832, na Pensilvânia, Estados Unidos da América. Começou a vender histórias com o objectivo de ajudar a família financeiramente, tendo publicado o primeiro livro, Flower Fables, em 1854. Trabalhou como enfermeira durante a Guerra Civil Americana, experiência que serviu de base à obra Hospital Sketches (1863). O seu livro mais conhecido, Little Women / Mulherzinhas, foi escrito por encomenda da editora Roberts Brothers, que lhe pediu «uma história para raparigas», em 1868. Baseou-se nos Alcott para dar vida aos March, a família que compõe o núcleo central da obra. Face ao êxito imediato, escreveu um segundo volume no ano seguinte: Little Women, Part Second / Boas Esposas.

A história da família March prosseguiu ainda nas obras Little Men (1871) e Jo’s Boys (1886).

A escritora faleceu a 6 de Março de 1888, dois dias depois do pai. Para além dos livros para crianças e adultos, ficou conhecida como abolicionista e defensora dos direitos das mulheres.