terça-feira, 30 de agosto de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidades Guerra e Paz e eu vou querer algumas


A Guerra & Paz já desvendou quais os próximos livros de uma série fantástica que está a publicar. Estou cada vez mais fã das capas e os títulos escolhidos pela editora também têm merecido a minha atenção. 
O clássico Mulherzinhas tem de vir para a minha estante, mas estou de olhos em muitos mais. 

Clássicos, como As Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, e a Madame Bovary, de Gustave Flaubert. E, se assim se pode dizer, um clássico contemporâneo, o Quem Me Dera ser Onda, do angolano Manuel Rui, um dos mais ternos e divertidos livros da literatura lusófona. E relançam um romance de Ana Zanatti, E Onde É Que Está o Amor?. Têm o livro juvenil (ou nostálgico-juvenil) perfeito para o Natal: o Livro Perigoso para Rapazes que ensina os rapazes de hoje a brincar como os rapazes de ontem. E, no Clube do Livro SIC, têm duas apostas para bestseller, Rituais de Luz, de Maria Helena, apresentadora da SIC, e Nascemos para Ser Felizes, autobiografia do cantor Emanuel.



Vão publicar a Correspondência inédita de dois grandes poetas: Jorge de Sena e Eugénio de Andrade. Mas Jorge de Sena também entra num invulgar Livro Amarelo em conjunto com Mark Twain e James Joyce. É um Livro Amarelo de Natal. Há outro Livro Amarelo, de capa rasgada, que faria o Natal mudar cor, dizem-me, antes de entrarem na sala de chá oitocentista da editora, a Inês Figueiras e o André Morgado, assistentes de produção tão jovens que parecem pintados de fresco. É um livro que junta o sagrado Cântico dos Cânticos com o obsceno Manual de Civilidade para Meninas, de Pierre Louÿs. «Puro escândalo», escandalizam-se a Inês e o André.