quinta-feira, 16 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Esfera dos Livros: Os Últimos Dias do Rei de Nuno Galopim

Corria o ano de 1932 quando um jornalista português chega a a Twickenham, em Inglaterra, mais precisamente a a Fulwell Park, a residência de D. Manuel II, que há 22 anos vive no exílio.

Apresenta-se ao monarca para o entrevistar e com o projeto de uma biografia. O rei percorre memórias dia após dia, discute o presente com o visitante... Morre inesperadamente, antes do trabalho concluído e nem a entrevista nem o livro chegam a ser publicados... Mais de oitenta anos depois, em 2016, um jovem português recebe um inesperado presente da dona da casa londrina onde está instalado: uma mala antiga cheia de papéis.

Este é ponto de partida do enredo que nos traz Nuno Galopim na sua primeira ficção. Em Os Últimos Dias do Rei, o jornalista debruça-se sobre a vida de D. Manuel II, o último rei de Portugal – que recebeu o trono aos 18 anos, após o assassínio do pai e do irmão no Terreiro do Paço - uma figura mítica para monárquicos e nostálgicos, mas completamente desconhecida dos portugueses.

À venda a 17 de junho.


Foto Nuno GalopimSobre o autor:
Nuno Galopim começou por traçar um futuro nas ciências, mas o jornalismo, a rádio e, sobretudo, a música e o cinema acabaram por falar mais alto. Com 27 anos de carreira nos media escreve hoje no Expresso, Blitz, Time Out e Metropolis e é autor dos blogues Sound + Vision e Máquina de Escrever. Tem trabalho na música (do álbum Humanos à série O Melhor do Pop-Rock Português) e no cinema (como ator, produtor, consultor e programador, estando a preparar a sua primeira obra na realização). Nos livros estreou-se, era ainda aluno de Geologia, com Vida e Morte dos Dinossáurios (1992), em co-autoria com pai, o Professor Galopim de Carvalho. É o autor dos livrosRetrovisor: Uma Biografia Musical de Sérgio Godinho (2005), Os Marcianos Somos Nós (2015) e The Gift – 20 (2015) e colaborou na Enciclopédia da Música Ligeira Portuguesa. Os Últimos Dias do Rei é a sua primeira obra de ficção.