quarta-feira, 18 de maio de 2016

Príncipes da Medicina - Mário Cordeiro [Opinião]

Título: Príncipes da Medicina
Autor: Mário Cordeiro
Editor: Saída de Emergência
N.º de Páginas: 474
PVP: 16,90€


A vida e obra de alguns dos mais fascinantes e inspiradores médicos da História Na medicina sempre existiram pessoas que se dedicaram ao próximo de forma abnegada, sem outro desejo que não o de melhorar a sua arte, dando apoio nas horas mais terríveis de qualquer ser humano, como a falta de saúde e o sofrimento físico, psicológico e social. Entre este incontável número de pessoas extraordinárias, sobressaíram algumas que adicionaram à arte médica outras faces do prisma complexo que é o ser humano. E que foram, para além disso, mestres na pintura, escultura, poesia, música, literatura, política, filosofia, história ou na defesa intransigente e corajosa dos direitos humanos. São verdadeiros príncipes, que representam exemplos a analisar, admirar e seguir. Neste livro, Mário Cordeiro conta o percurso de vida de alguns destes Príncipes da Medicina desde a Antiguidade até aos nossos dias. Conheça um pouco mais da vida deste conjunto de pessoas extraordinárias cujo legado permanece até aos dias de hoje.

A minha opinião: 
Ao longo de quase 500 páginas o pediatra Mário Cordeiro reuniu as histórias de 93 médicos que se destacaram na área da medicina, mas também na literatura, na pintura e na política. 

De alguns destaquei algumas curiosidades que retive ao longo da leitura que achei engraçadas.
Interessante saber que Galeno, médico e filósofo de origem grega, nascido no ano 129, foi o primeiro a descobrir que as respostas do corpo eram comandas pelo cérebro. 

Apesar de a maioria da sobra obra e estudos se terem perdido ao longo dos tempos, o que perdurou foi que Galeno conseguia distinguir veias de artérias, o sangue venoso do arterial, e os nervos sensoriais dos motores. 

O nosso único Papa, Pedro Hispano, nascido Pedro Julião, leccionou nas mais importantes universidades da época. Diz-se que quando Miguel Ângelo adoeceu gravemente com uma lesão ocular, devido ao esforço da visão, decorrente da pintura do tecto da Capela Sistina, terá sido Pedro Julião quem o terá assistido. 

Gabriel Fallopio que deu nome às trompas femininas e que descreveu pela primeira vez o clitóris como uma das zonas erógenas. Foi também o inventor do preservativo para combater a sífilis, no século XVI. 

Edward Jenner foi considerado o pai das vacinas. No século XVIII a variola (vulgarmente conhecida como a doença das bexigas) afectava grande parte da população. Até que ao observar as tetas de uma vaca Jenner apercebeu-se que as mesmas tinham o aspecto semelhante às que a varíola deixavam no corpo humano. O médico decidiu fazer a experiência: inoculou o filho do jardineiro com pus extraído de feridas de vacas contaminadas e, apesar da criança de oito anos ter feito febre recuperou rapidamente. Posteriormente exposto ao vírus da doença o rapaz não a desenvolveu. Estava descoberto o princípio da vacinação. A varíola seria a primeira doença a desaparecer por ação do homem. 

Nascido no Porto mas incompreendido pelos seus conterrâneos por ter vontade em querer implementar uma melhor higienização nos seus costumes a fim de evitar doenças tão comuns na época (inícios do séc. XX), para a eliminação da peste, sugeriu o isolamento dos doentes e a desinfecção das suas casas, Ricardo Jorge viu-se obrigado a ir viver para Lisboa onde fez carreira.
Carolina Beatriz Ângelo foi a primeira cirurgiã portuguesa. Politicamente também teve destaque e defendeu os direitos políticos aderindo aos ideiais feminisitas, defendendo a emancipação da mulher, a sua educação para a independência e o divórcio. 

Não se destacaram na medicina, mas deram cartas no mundo da literatura e das artes. Foram eles Júlio Diniz, Arthur Connan Doyle, Anton Tchekhov, William Somerset Maugham, Céline, Miguel Torga, Fernando Namora, Carlos Paião. 

Príncipes da Medicina é um livro para saborear, para ir lendo. Foi um livro que me deu muito prazer ler. Ao longo de XX séculos de História vamos percorrendo o avanço da medicina e os génios que nela habitam. Recomendo. 





Sem comentários: