quarta-feira, 4 de maio de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Livros do Brasil publica O livro perdido de Malcolm Lowry e "A Peste", de Camus

Título: Rumo ao Mar Branco
Autor: Malcolm Lowry
Tradução e Prefácio: Daniel Jonas
N.º de Páginas: 352
PVP: 16,60 €

A Livros do Brasil orgulha-se de publicar, a 9 de maio, Rumo ao Mar Branco, o romance de Malcolm Lowry que se julgava ter sido destruído num incêndio em 1944. Mais de 50 anos depois, foi revelado que uma cópia desse manuscrito tinha sido guardada pela mãe da primeira mulher de Lowry e o livro seria finalmente trazido a público em 2014 pela Universidade de Otava. Rumo ao Mar Branco foi desde logo considerado um fenómeno editorial. Antecipando as características que viria a consolidar em Debaixo do Vulcão, a sua obra-prima e um dos romances mais importantes do século XX, esta é uma história com base autobiográfica sobre um aluno de Cambridge, com um passado de marinheiro, que aspira a tornar-se escritor.
Esta edição foi traduzida por Daniel Jonas, responsável também pelo prefácio do livro.

Sinopse
Rumo ao Mar Branco foi o mais extenso e ambicioso projeto a que Malcolm Lowry se dedicou na década de 1930. Com múltiplas referências autobiográficas, o romance conta a história de um estudante de Cambridge, ex-marinheiro, que aspira a tornar-se escritor – embora esteja convencido de que a sua obra (e em certa medida toda a sua vida) já se encontra escrita, pela mão de um romancista norueguês com quem não pode competir. Esta seria a peça correspondente ao «Paraíso» na trilogia de inspiração dantesca que Malcolm Lowry planeara escrever e da qual Debaixo do Vulcão, considerada a sua obra-prima, representaria o «Inferno». Julgado perdido num incêndio que devastou a casa do autor em 1944, Rumo ao Mar Branco foi finalmente publicado em 2014, após a descoberta de que uma cópia de um primeiro manuscrito tinha resistido e se encontrava na posse da família da sua primeira mulher, Jan Gabrial, a quem o livro é dedicado.

Sobre o autor:
Malcolm Lowry nasceu em 1909 no noroeste de Inglaterra, próximo de Liverpool. Concluiu a sua formação em Cambridge em 1932 e viveu os anos que se seguiram entre Londres, Paris, Nova Iorque, México e Los Angeles, acabando por se fixar em 1939 na província canadiana da Colúmbia Britânica. Poeta e romancista, publicou apenas dois títulos em vida: em 1933 Ultramarina e em 1947 Debaixo do Vulcão, aquela que é considerada a sua obra maior e um dos mais importantes romances do século XX. Malcolm Lowry teve uma vida intensa e curta: morreu a 26 de junho de 1957, na aldeia de Ripe, Sussex, Inglaterra, após ingerir uma dose excessiva de álcool e comprimidos. 

Sobre Rumo ao Mar Branco
«Quem diria que alguma vez teríamos a possibilidade de ler o romance-fábula de Malcolm Lowry, escrito nos anos 1930 e 1940, Rumo ao Mar Branco?» The Times Literary Supplement
«O elo perdido entre o algo imaturo primeiro romance de Lowry, Ultramarina [...], e a sua reconhecida obra-prima, Debaixo do Vulcão.» The Guardian
«O esqueleto de uma obra-prima.» BBC
«Um romance de artista brilhante.» Flavorwire
«Contém já tudo o que marcará a sua obra-prima.» Le Point

Título: A Peste
Autor: Albert Camus
Tradutor: Ersílio Cardoso
N.º de Páginas: 264
PVP: 14,40 €

No dia 12 de maio, a Livros do Brasil lança uma nova edição de A Peste, de Albert Camus, uma história arrebatadora sobre o horror, a sobrevivência e a resiliência do ser humano. Parábola de ressonância intemporal, este é um romance magistralmente construído que, publicado originalmente em 1947, consagrou em definitivo Albert Camus como um dos autores fundamentais da literatura moderna.
Distinguido com o Prémio dos Críticos em França, o livro A Peste foi escrito em plena Segunda Guerra Mundial e tem como cenário a cidade argelina de Orão atacada por uma fatal epidemia.
Na renovada coleção Dois Mundos da Livros do Brasil foram já publicados outros dois livros de Camus, O Estrangeiro e A Queda.

Sinopse:
Na manhã de um dia 16 de abril dos anos de 1940, o doutor Bernard Rieux sai do seu consultório e tropeça num rato morto. Este é o primeiro sinal de uma epidemia de peste que em breve toma conta de toda a cidade de Orão, na Argélia. Sujeita a quarentena, esta torna-se um território irrespirável e os seus habitantes são conduzidos até estados de sofrimento, de loucura, mas também de compaixão de proporções desmedidas.

O Autor
Albert Camus nasceu em Mondovi, na Argélia, a 7 de novembro de 1913. Licenciado em Filosofia, participou na Resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial e foi então um dos fundadores do jornal de esquerda Combat. Em 1957 foi consagrado com o Prémio Nobel da Literatura, pelo conjunto de uma obra que o afirmou como um dos grandes pensadores do século xx. Dos seus títulos ensaísticos destacam-se O Mito de Sísifo (1942) e O Homem Revoltado (1951); na ficção, são incontornáveis O Estrangeiro (1942), A Peste (1947) e A Queda (1956). A 4 de janeiro de 1960, Camus morreu num acidente de viação perto de Sens. Na sua mala levava inacabado o manuscrito de O Primeiro Homem, texto autobiográfico que viria a ser publicado em 1994.