quinta-feira, 3 de março de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Jacarandá publica ‘O Regresso dos Lobos’ - De Sarah Hall, autora finalista do Man Booker Prize

Sarah Hall, autora finalista do Man Booker Prize, está de volta aos escaparates com O Regresso dos Lobos, num romance fabuloso, publicado agora em Portugal pela Jacarandá Editora.
O livro explora questões profundas como a ligação entre a liberdade e o desejo, a vida humana e a natureza, a maternidade e o amor e o sexo, e a vida política e privada, recorrendo à temática da reintrodução do lobo-cinzento como metáfora poderosa para a selvajaria e regeneração humana.
Com excelentes críticas, foi um dos livros mais esperados de 2015 pela imprensa internacional!

O Regresso dos Lobos começa por prender-nos pela capa poderosíssima prelúdio para uma história «vibrante e visceral», segundo o The Times.
Ao longo de quase uma década, Rachel Caine virou costas a casa, mantendo-se distante devido às disputas familiares e ao seu trabalho de monitorização de lobos numa reserva do Idaho. Mas agora, desafiada pelo excêntrico Conde de Annerdale a participar num projeto controverso que visa a reintrodução do lobo-cinzento no interior britânico, regressa à paisagem agreste do Lake District. O regresso do lobo-cinzento após centenas de anos coincide com a própria regeneração de Rachel, no contexto de uma maternidade iminente e da reconciliação com a família.
O Regresso dos Lobos recorre à temática da reintrodução do lobo-cinzento como metáfora poderosa para a selvajaria e regeneração humana, explorando questões profundas como a ligação entre a liberdade e o desejo, a vida humana e a natureza, a maternidade e o amor e o sexo, e a vida política e privada.
«Um drama psicológico cativante», segundo o The Economist, «(…) que confirma Hall como uma das melhores escritoras de ficção», de acordo com o Daily Mail.

Sobre a autora:
Sarah Hall nasceu na Cúmbria em 1974. É uma autora premiada que já escreveu quatro romances – Haweswater, The Electric Michelangelo, The Carhullan Army e How to Paint a Dead Man – e ainda The Beautiful Indifference, uma coleção de contos. The Electric Michelangelo foi finalista do Man Booker Prize.