segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Novidade Guerra & Paz Enquanto a Palavra «Morte» Não Couber na Nossa Boca de José Jorge Letria

Título: Enquanto a Palavra «Morte» Não Couber na Nossa Boca – O Livro Aberto do Coração
Autor: José Jorge Letria
N.º de Páginas: 128
PVP: 14,00 €
Género: Não Ficção/Memórias
Nas livrarias a 20 de Janeiro
Guerra e Paz Editores | SPAutores

Sinopse:
O coração já atraiçoou duas vezes José Jorge Letria. Com um intervalo de treze anos, o autor viveu duas experiências dramáticas: a vida fugia-lhe. Quis, na melhor tradição literária, deixar registo escrito desse momento em que tudo deixa de ter importância – o quotidiano, a conta bancária, as reuniões, o trabalho – e em que um homem, numa cama dos cuidados in­tensivos, se interroga sobre a sua existência e até sobre o sentido da vida. São dois depoimentos separados por treze anos. Une-os o apego à vida, uma combativida­de sem tréguas de um corpo e de uma mente que se recusam a desistir e que querem continuar a sonhar, a desejar, a viver. Eis o olhar intenso e sem mácula de quem está no combate pleno.

Sobre o autor:
É ficcionista, mas também jornalista, poeta, dramaturgo, nasceu em Cascais, em 1951. Tem livros traduzidos em mais de uma dezena de idiomas e foi premiado em Por­tugal e no estrangeiro, destacando-se dois Grandes Prémios da APE, o Prémio Aula de Poesia de Barcelona, o Prémio Interna­cional UNESCO, o Prémio Eça de Queiroz--Município de Lisboa e o Prémio da Asso­ciação Paulista de Críticos de Arte.

O essencial da sua obra poética encon­tra-se condensado nos dois volumes da anto­logia O Fantasma da Obra. Ao lado de nomes como José Afonso e Adriano Correia de Oli­veira, foi um dos mais destacados cantores políticos portugueses, tendo sido agraciado em 1997 com a Ordem da Liberdade. Mestre em Relações Internacionais e doutorando em Ciências da Comunicação, é presidente da Sociedade Portuguesa de Autores e do Comité Europeu de Sociedades de Autores.


Em 2014, publicou, na Guerra e Paz, o seu mais recente romance, A Volta ao Medo em 80 Dias. Em 2015, publicou A Vida segun­do Goya, uma conversa com o seu cão, Goya, não por acaso um cão sem pressa.


Sem comentários: