segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Sextante Editora : Teolinda Gersão - "Histórias de ver e andar" com nova edição

Título: Histórias de ver e andar
Autor: Teolinda Gersão
Págs.: 128
PVP: 15,50 €

A 1 de outubro, a Sextante Editora publica uma nova edição de Histórias de ver e andar, de Teolinda Gersão, escritora que na semana passada venceu o Prémio Fernando Namora com o romance Passagens (Sextante Editora, 2014). Composto por catorze contos «que nos precipitam em muito mais do que catorze mundos» (Inês Pedrosa), Histórias de ver e andar foi distinguido com o prestigiado Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco APE/Câmara Municipal V. N. Famalicão em 2002.
Um dos contos presentes neste livro, Big Brother isn’t watching you, serviu de inspiração a Simão Cayatte para a sua curta-metragem Miami, que este ano foi a vencedora do Prémio MOTELx.

Sobre o livro:
Histórias de ver e andar foi o nome dado pelos árabes às narrativas de viagem, em épocas de descobrir mundos. Mas não é necessário ir longe para mudar de horizonte: o desconhecido mora ao lado, e também dentro da nossa porta. Reconhecê-lo – ou não – depende do modo de ver. E do modo de andar.

Imprensa:
No fim de cada um destes contos descobriremos que a vida, a nossa própria vida, não estava exatamente no lugar que pensávamos. […] Teolinda sobe as escadas do banal quotidiano para alcançar a câmara escura do ser. […] São catorze contos que nos precipitam em muito mais do que catorze mundos. Inês Pedrosa, Expresso
A arte de Teolinda consegue o supremo prodígio de dar voz a um mundo interno, que tem a espessura da realidade televisionada […] e simultaneamente deixar emergir o outro lado, o lado obscuro, […] e se tornam o elemento iluminador (ordenador) da experiência relatada. Linda Santos Costa, Público

Sobre a autora:
Teolinda Gersão estudou nas universidades de Coimbra, Tübingen e Berlim, foi leitora de português na Universidade Técnica de Berlim e professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde ensinou Literatura Alemã e Literatura Comparada. A partir de 1995 passou a dedicar-se exclusivamente à escrita literária. Viveu três anos na Alemanha, dois anos em São Paulo, Brasil, e conheceu Moçambique, onde se passa o romance A árvore das palavras (1997). É autora de 12 livros de ficção, traduzidos em 11 línguas.
Foram-lhe atribuídos os seguintes prémios: por duas vezes o Prémio de Ficção do PEN Clube (O silêncio, 1981, e O cavalo de sol, 1989), o Grande Prémio de Romance e Novela da APE (A casa da cabeça de cavalo, 1995), o Prémio Fernando Namora (Os teclados, 1999), o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco (Histórias de ver e andar, 2002), o Prémio Máxima de Literatura (A mulher que prendeu a chuva e outras histórias, 2008), o Prémio da Fundação Inês de Castro (2008), o Prémio Ciranda e o Prémio da Fundação António Quadros (A Cidade de Ulisses, 2011). Três dos seus livros foram adaptados ao teatro e encenados em Portugal, Alemanha e Roménia. O seu livro Passagens foi recentemente distinguido com o Prémio Fernando Namora / Estoril Sol.
Página pessoal: www.teolinda-gersao.com
Página no Facebook: www.facebook.com/teolindagersao




Sem comentários: