terça-feira, 16 de junho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

o remorso de baltazar serapião - valter hugo mãe [Opinião]

Título: o remorso de baltazar serapião
Autor: valter hugo mãe
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 280
Editor: Porto Editora

Sinopse:
As mulheres assistem ao mundo como presas dos homens. A história do mundo revela tempos em que a mulher mais não é do que um instrumento da vida do homem. Neste romance, valter hugo mãe torna impossível ignorar este facto.

Criador de uma linguagem exuberante, e deitando mão à mais rica imaginação, o autor explica o amor a partir do ponto de vista tremendo do machismo. Esta é a aventura de um homem que, casando com a moça mais bonita da sua terra, se deixa corromper pelo preconceito e pela pobre tradição.

Entre ser divertido e cruel, o remorso de baltazar serapião é um marco fundamental na literatura portuguesa contemporânea.


A minha opinião:
«o remorso de baltazar serapião é um tsunami», disse Saramago, acrescentando que o este livro de valter hugo mãe «vai ter uma vida longa.».

Passado na idade média, onde a mulher era tratada abaixo de um qualquer animal irracional, facilmente me dei por mim a fazer trejeitos ao ler certas partes do livro, cuja violência é explorada até ao limite pelo autor. Certo é que a condição da mulher na altura era essa, e baltazar nada de errado fazia para com ermesinda, a rapariga mais bonita da região. Bela aquando o seu casamento, mas que foi ficando feia devido aos maus tratos infligidos por baltazar, mais conhecido como o sarga dos sargas, por causa da vaca, acarinhada pela família, de quem se dizia que ser mãe de baltazar e seus irmãos...

"...homem de verdade consome-se de carnes, é normal. nada normal para mim que recuso ser de homem, nada quero que homem algum me toque. e porque te casaste. sempre fui casada por pais ou homens que me mandassem, mulher solteira é má de vida e fica sem trabalho nem amizades. pois mulher minha apanha tanto quanto deve, até que se ensine de tudo o que lhe digo."



Ermesinda é espancada todas as vezes que baltazar suspeita das suas infidelidades. E de nada vale defender-se... de cada pancadaria fica deficiente de qualquer parte do corpo, ou um pé que fica torto, ou um olho que sai..., mas baltazar ama-a à sua maneira (?) ou assim pensa amar. E vive na incerteza se é corno ou não.

No meio de tudo isto é difícil destrinçar qual o mais animalesco. Se a teresa diaba que se dava a qualquer homem, se baltazar e o pai, brutos com as mulheres, se ermesinda, que se deixava subjugar sem dizer um ai. valter hugo mãe expõe a Idade Média com sabedoria de um contador de histórias. E, ao fazê-lo, trazendo-a para nós, leitores, transporta-a para o dia a dia que depressa constatamos que em muitos locais não estamos tão longe dela como gostaríamos. Há ainda quem pense que:

"mulher é coisa de pouca sabedoria e nenhuma estabilidade, o que pensam hoje, amanhã não sabem."

E é por isso que o remorso de baltazar serapião funciona como um murro no estômago para quem o lê.

Muito bom.


1 marcadores:

Isaura Pereira disse...

Olá!

Também quero muito ler este livro, mas assustaram-me olho no início dizendo que era bastante pesado.
Mas acho que vou fazer um esforço, pois parece ser muito bom.

Beijinhos e boas leituras