quarta-feira, 22 de abril de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

O Livro dos Camaleões, de José Eduardo Agualusa, a 8 de maio nas livrarias

Título: O Livro dos Camaleões
Autor: José Eduardo Agualusa
Género: Ficção / Contos
N.º de páginas: 120
Data de lançamento: 8 de maio
PVP: 14,40€

«Agualusa diverte-se e diverte-nos com o facto de ter talento para a felicidade. E não haverá, na língua portuguesa contemporânea, outro caso tão flagrante e abrangente. Esse talento está nos seus livros, escritos para raptar o leitor à primeira vista.» Alexandra Lucas Coelho, Público

Um ditador africano, muito respeitado em Portugal, escreve a sua biografia. Um famoso marinheiro maltês visita São Tomé, depois de passar por um lugar onde o tempo não passa. Um antropólogo descobre-se nu e indefeso diante de uma mulher. Uma zebra persegue um escritor. Uma virgem perde a cabeça.
Neste O Livro dos Camaleões cruzam-se personagens em busca de uma identidade, ou em trânsito de identidade, atravessando diversas épocas, do século XIX aos nossos dias, e diversas geografias, das savanas do Sul de Angola às ruidosas ruas do Rio de Janeiro.
Algumas destas personagens são arrancadas à realidade ou inspiradas em figuras reais. Não se trata de saber onde termina a realidade e começa a ficção. Trata-se de questionar a própria natureza do real.

Sobre o autor:
José Eduardo Agualusa nasceu no Huambo, em Angola, a 13 de dezembro de 1960. Publicou onze romances: A Conjura (1988), Estação das Chuvas (1997); Nação Crioula (1998), Um Estranho em Goa (2000, reeditado em 2013 pela Quetzal); O Ano em que Zumbi Tomou o Rio (2002); O Vendedor de Passados (2004); As Mulheres do Meu Pai (2007); Barroco Tropical (2009); Milagrário Pessoal (2010); Teoria Geral do Esquecimento (2012); A Vida no Céu (2013) e A Rainha Ginga (2014). Publicou ainda quatro recolhas de contos, um volume de poesia e cinco livros para crianças. Os seus livros estão traduzidos em 25 línguas. Em 2007, a tradução inglesa de O Vendedor de Passados foi distinguida com o Prémio Independent para a melhor ficção estrangeira.