quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Bom Natal


O Homem da Areia - Lars Kepler [Opinião]

Título: O Homem da Areia
Autor:
Lars Kepler
Tradutor: Ana Diniz
Págs.: 504
PVP: 17,70 €


Sinopse:
Jurek Walter é um dos assassinos em série mais perigosos e mortais do mundo, um psicopata tão sinistro e tão inteligente como Hannibal Lecter. Embora esteja há mais de uma década encarcerado na ala psiquiátrica de um hospital de alta segurança, a Polícia jamais conseguiu desvendar os seus crimes e descobrir o paradeiro das suas inúmeras vítimas. No entanto, quando o jovem Mikael Kohler-Frost, supostamente morto há mais de sete anos, é encontrado a vaguear numa ponte ferroviária, hipotérmico e às portas da morte, o comissário Joona Linna vê-se obrigado a reabrir o caso e a aproximar-se do homem que o privou da sua família, o homem que, mais do que tudo, o deseja morto.
À medida que as investigações avançam, o perigo adensa-se e torna-se imperativo entrar na mente do perigoso assassino, antes que o tempo se esgote…

A minha opinião:
Tendo como cenário principal um hospital psiquiátrico, O Homem da Areia é um thriller sombrio, psicológico, na busca de respostas sobre um rapto de há mais de sete anos. A chave só poderá estar em Jurek Walter, um psicopata e um dos assassinos em série mais temidos do mundo, que muito se assemelha a Hannibal Lecter pela sua inteligência e pela sua carga psicológica.

Tal como Hannibal, também Jurek se encontra num ala psiquiátrica. No entanto, este encontra-se sozinho, isolado, apenas vigiado por um médico (cuja conduta vai ser colocada em causa), uma rapariga, e guardas prisionais.

Quando um dos filhos de Reidar Frost, um escritor de best sellers, Mikael Kohler-Frost aparece ao fim de sete anos, com ar perdido, desnutrido, quase morto, mas sabendo que a irmã ainda estava viva, surge a esperança de Joona Linna de a conseguir salvar. A única pista que Mikael dá é que Felícia e ele foram sequestrados pela Homem da Areia que os deseja colocara a dormir, numa breve alusão a uma história de Hoffman que a sua mãe lhes contava quando eram crianças.




É aqui que surge a ideia de infiltrar uma agente na ala psiquiátrica onde Jurek Walter se encontra, tentando assim obter a sua confiança por forma a obter informações sobre um potencial aliado no exterior. É aqui que surge mais uma vez Saga Bauer, uma polícia determinante para a resolução do caso.

Os seguidores da série, compreenderão melhor as vidas complicadas de Joona Linna e Saga Bauer que serão completamente explicadas neste livro. Também eles têm esqueletos no armário...

Confesso que tenho saltado um pouco a série Joona Linna. Dos 4, apenas li o 2.º e este último, mas prometo que vou pegar na série porque me rendi. O Homem de Areia foi dos melhores livros que li este ano! Recomendo sem reversas. Uma óptima prenda de Natal.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Júlio Magalhães e Capicua apresentam novo livro de Valter Hugo Mãe



segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Mais que as Mães - Joana Neves da Silva [Opinião]

Título: Mais que as Mães
Autor: Joana Neves da Silva
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 260
Editor: Chiado Editora
Coleção: Compendium
PVP: 12€

Sinopse:
"Não se faz nada nesta casa!"
Mentira. Faz-se tudo. Sem eles é que não faço nada. Foram almoçar a casa dos tios e eu estou aqui, bloqueada, sem o som da Xbox, da Wii, do SpongeBob e dos gritos da Té. Ouço ao longe um programa de culinária da SicMulher, sugerindo-me a preparação de uma refeição que é hoje desnecessária. O tempo não passa. Venham lá rápido desse almoço que este silêncio e esta paz estão a matar-me.
Quem dera a nós, adultos, seres aborrecidos e complicados, podermos erguer-nos a meio de uma reunião de trabalho e gritar:
"Pim, pam, pum, cada bola mata um, p'rá galinha e p'ró perú, quem se livra és mesmo tu! Ganhou o Fonseca. Vamos almoçar. O último a chegar à cantina é uma batata podre!"
A minha falta de interesse por jogos de consola prende-se principalmente com o facto de qualquer chimpanzé bem treinado fazer melhor figura do que eu com um comando na mão. Se tivesse jeito (e tempo) não tenho dúvidas que seria uma aficionada. Entendo o fascínio dos miúdos perante este universo e não sou fundamentalista em relação a isso. Resmungo quando acho que estão a jogar há tempo a mais? Claro. Eles ouvem-me? Às vezes.
"Mãe, o que é que aconteceu ao nariz do cão de areia da Cleópatra?"
"Antes de mais, algumas ressalvas de ‘pormenor’: não é um cão, é um leão e não é de areia mas sim de pedra. Uma única pedra. Uma das maiores esculturas de sempre lavradas numa única pedra."
"Ok. E o nariz?"
A minha opinião:
Quem tem filhos facilmente se revê nas 260 páginas de Mais que as Mães de Joana Neves da Silva. Mãe de três filhos, Tomás, Tiago, e Teresa, todos com pontos em comum com a minha própria filha, fiquei vidrada nas histórias simples do dia a dia desta família nortenha (tal como a minha) e a rir-me pelo caricato de algumas situações. Se ter uma filha traquina não é fácil, imagino três... deve ser caótico. E só a boa disposição de Joana e do marido para conseguir levar o barco a bom porto.

Confesso que antes de ler o livro nem o blogue da autora conhecia, http://maisqueasmaes.blogspot.pt/, mas que agora é uma passagem obrigatória. Os dois complementam-se.

Dividido por cinco estações, repete o inverno, Mais que as Mães é constituído por capítulos curtos, com cenários corriqueiros de qualquer família, tais como a doença de um dos filhos, os dentes a abanar, os trabalhos de casa, brincadeiras entre irmãos, desenhos animados que os mais pequenos apreciam e Glória, a gata da família.

Um livro divertido, mais recomendado a quem tem filhotes pequenos. Vai rever-se em muitas destas situações. Gostei ;)





 

Lançamento - "A Viagem do Elefante" em BD