terça-feira, 11 de novembro de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

NASCENTE: A gata do Dalai Lama num romance original e inspirador



A Gata do Dalai Lama (Nascente I 224 pp I 15,98€) é um romance original, inspirador, que transmite a sabedoria, compaixão e humor de uma gata muito especial. A Vogais disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.

«Uma gatinha frágil e faminta é resgatada das ruas de Nova Deli por Sua Santidade, o Dalai Lama, e torna-se a companheira preferida do líder espiritual tibetano. Esta é a sua história — contada na primeira pessoa, pela própria gata. Na nova casa, um mosteiro com vista deslumbrante sobre os picos nevados dos Himalaias, a gata do Dalai Lama testemunha encontros com estrelas de Hollywood, mestres budistas, professores de universidades de topo, filantropos e muitas outras pessoas que procuram os conselhos do seu dono.»
São estas as histórias que a gatinha nos conta, de modo divertido, irreverente e sábio, proporcionando ensinamentos sobre como encontrar a felicidade e o significado da vida num mundo tão intenso e materialista.

«— Oh! Que amorosa! Não sabia que tinha uma gata! — exclamou. Fico sempre surpreendida com a quantidade de pessoas que fazem esta observação. Porque é que Sua Santidade não haveria de ter uma gata?
— Se ao menos ela soubesse falar — continuou. — De certeza que teria grande sabedoria para partilhar. E daqui nasceu a ideia… Comecei a pensar que talvez tivesse chegado a hora de escrever o meu próprio livro, que transmitisse a sabedoria que adquiri sentada, não aos pés do Dalai Lama, mas ao seu colo.»
 

Sobre o autor:
David Michie nasceu no Zimbabué, estudou na África do Sul e viveu durante uma década em Londres. Casado, vive atualmente em Perth, na Austrália. Conhecido pelos seus livros de inspiração budista, dá-nos a conhecer com a sua obra os princípios do budismo.
A Gata do Dalai Lama foi inspirado na gata do autor, que o acompanhava na meditação e nas aulas sobre budismo tibetano, já que ela gostava de meditar. Se por acaso chegava atrasada, espreguiçava-se na porta até que alguém a deixasse entrar. A gata morreu antes de o autor terminar o livro, mas continua a ser a sua musa inspiradora.
Este romance tornou-se rapidamente um êxito estrondoso e já está traduzido em dezoito línguas.