quarta-feira, 10 de setembro de 2014

O Nadador - Joakim Zander [Opinião]

Título: O Nadador
Autor: Joakim Zander
Páginas: 464
Editor: Suma de Letras
PVP: 17,70€

Sinopse:
Damasco. Uma noite quente no princípio dos anos 80. Um agente americano entrega a sua bebé a um destino incerto, uma traição que jamais se perdoará e que será o começo de uma fuga de si próprio. Até ao dia em que não pode continuar a esconder-se da verdade e se vê obrigado a tomar uma decisão crucial.
Trinta anos depois, Klara Walldéen, uma jovem sueca que trabalha no Parlamento Europeu, vê-se envolvida numa trama de espionagem internacional na qual está implicado Mahmoud Shammosh, o seu antigo amante e ex-membro das forças especiais do exército sueco.
Klara e Mahmoud transformam-se no alvo de uma caçada através da Europa, um mundo onde as fronteiras entre países são tão ténues como a linha que separa um aliado de um inimigo, a verdade da mentira, o passado do presente.

A minha opinião:
Anos 80. Uma forte explosão termina na morte de uma diplomata do Ministério dos Negócios Estrangeiros. A bebé que ia consigo consegue sobreviver porque o corpo da mãe serve de escudo para salvá-la. Esta dura morte torna ainda decisões mais duras. O pai da bebé de dois meses tem de votá-la a um futuro incerto. E nada sabe dela durante mais de trinta anos. Vivendo em permanente culpa por ter sido obrigado a abandonar a sua filha, este homem vive num sofrimento atroz que só se colmata com a realização do seu passatempo preferido: a natação.

Actualidade: Klara Walldéen, formada em direito e a trabalhar no Parlamento Europeu nem imagina como a sua vida vai mudar depois de receber um telefonema estranho do seu ex-namorado e seu verdadeiro amor, Mahmoud Shammosh, um homem ligado, no passado, às forças especiais suecas. Depois de se encontrarem começam a ser perseguidos e notam que correm perigo de vida, sem saberem o porquê de tal situação.

O certo é que até a polícia secreta sueca está contra eles.

O Nadador é um thriller mais virado para a espionagem, podendo não criar tantos adeptos como os policiais, mas agarrou-me quase desde o início. Gostei de acompanhar a vida de Klara, uma jovem promissora, workaholic, que vive um relacionamento superficial com um deputado francês, que tem uma vida dupla, a forma como o autor centra a história em vários aspectos actuais, como a guerra na Síria é disso exemplo.

O livro ganha um ritmo alucinante quando Mahmoud é contactado por um ex-colega que ao tentar contar-lhe o que guarda dentro de um cofre, morre ao seu lado num banco do jardim. Aí tudo parece fugir-lhe aos seus pés. Sem compreender o que se está a passar e em que está envolvido, Mahmoud vê-se perdido e sem contactos a quem recorrer a não ser à sua antiga namorada. No entanto, ambos não sabem porque estão a fugir e de quem.

Pelo caminho surge ainda George Loow, um lobista sueco, que se vê envolvido num grupo, aparentemente terrorista, que o sequestram para que este sirva de tradutor do sueco para o inglês. George sente que foi enganado e que o seu fim poderá estar próximo...

O Nadador surpreendeu-me pela positiva. Joakim Zander cria situações a um ritmo alucinante que fazem com que o leitor se deixe sentado no sofá e só se levante depois do virar da última página.  

Excerto: 
"A política é a única coisa que atrasa a vitória de David sobre Golias. Uma pequena vitória na eterna luta pelo estatuto."

Sem comentários: