terça-feira, 23 de setembro de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

A história de Díli contada por Ximenes Belo

Título: Díli, a cidade que não era
Autor:
Ximenes Belo
Págs: 144
PVP: € 11,00

Nobel da Paz percorre os 150 anos de história de Díli e, de permeio, de Timor-Leste.
“É preciso amar o espaço para o descrever tão minuciosamente” (in Prefácio,
por Marco Dias da Silva).
Díli, a cidade que não era é o novo livro de Monsenhor Ximenes Belo, com o qual o Nobel da Paz consegue fazer desaparecer a distância que separa aquela cidade do nosso país, apresentando aos leitores a “primeira e a única cidade de Timor-Leste”.
Os alicerces da construção de Díli espelham-se neste livro numa vasta tela da memória que se estende desde tempos imemoriais à modernidade. De pequena aldeia piscatória a cidade cosmopolita, esta narrativa acompanha de perto o caminho percorrido ao longo de 150 anos pela primeira e única cidade de Timor-Leste. Nas páginas deste livro testemunha-se também o silêncio das ruínas que, longe de perpetuarem o fim, anunciam a revelação do início da cidade que não era.
Como se pode ler no prefácio assinado por Marco Dias da Silva, este livro “é mais um contributo para a memória coletiva de um jovem país independente, para a criação de referências culturais relativas ao património arquitetónico da cidade de Díli, para o reforço da identidade e entendimento da idiossincrasia timorense e estabelecimento de normas protetoras da diversificação cultural nacional, salvaguardando sempre o património intangível edificado”.
Díli, a cidade que não era será apresentado no próximo dia 26 de setembro, pelas 18:00, no Colégio Salesiano, no Porto.