segunda-feira, 18 de agosto de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Invisível - James Patterson e David Ellis [Opinião]

Título: Invisível
Autor: David Ellis, James Patterson
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 352
Editor: TopSeller
PVP. 17,49€
Sinopse:
Sem deixar rasto. Sem qualquer motivo. Um serial killer imparável. Uma revelação desconcertante.
Emma está obcecada com a investigação de uma série de incêndios que provocou a morte de pessoas e que à primeira vista parecem não ter qualquer ligação entre si. Todos dizem que foram acidentais, mas Emma insiste que foram provocados por um único serial killer.
Mas há algo mais, e muito pessoal, que move Emma: uma das vítimas era sua irmã. Irmã gémea.
Nem mesmo o seu ex-namorado, um antigo agente do FBI, consegue acreditar que dezenas de incêndios, raptos, mutilações e assassínios estejam todos relacionados. Mas Emma vai encontrar uma peça-chave que os ligará a todos.
Novos crimes surgem a cada dia e todos parecem inexplicáveis. Sem motivos, sem armas do crime e sem suspeitos. E Emma não vai descansar enquanto não encontrar o assassino. Ou irá o assassino encontrá-la a ela primeiro? Pode realmente uma única pessoa ser responsável por estes crimes impensáveis?
A minha opinião: 
Dentro dos livros policiais, os que mais gosto são os que envolvem serial killers. Gosto de perceber o que se passa pela cabeça de um assassino em série e saber o que o motiva a matar desenfreadamente.

Em Invisível a dupla James Patterson e David Ellis, a mesma do livro A Amante, publicado recentemente pela Topseller, fez-me criar empatia com o livro logo no início, o que para mim não é muito normal. Reconheço que até me envolver na narrativa o início dos livros muitas vezes se torna entediante.

Não foi o que aconteceu aqui. Um assassino em série perspicaz e inteligente anda a cometer aquele que eu considero o crime perfeito. E só foi apanhado porque uma das suas vítimas era irmã gémea de uma analista de informação do FBI, o que a levou a suspeitar do "acidente" que vitimou a sua irmã.

Fazendo com muitos pensassem que estava obcecada com o caso, e querendo a todo o custo atribuir culpas a alguém, Emma Dockery não descansa até que convencer o FBI de que estão perante um louco que mata desenfreadamente ocultando os seus crimes através de incêndios nas habitações.


Os crimes são perpetrados em diversas regiões dos Estados Unidos, o que faz com que a suspeita sobre ele se esbata. Num país onde por dia dezenas de casas ardam, os bombeiros e polícia local não suspeitam de crime, até porque no local nada o incrimina.

Até que a insistência de Emma é tão grande que convence o seu antigo noivo Harrison Bookman, e ex-agente do FBI para ajudá-la na investigação. E o que descobrem deixa-nos sem palavras.

Invisível foi, sem sombra de dúvidas, o melhor livro que li de Patterson. Bem escrito, com uma história deveras interessante, conseguiu prender-me até ao fim. Como vem sendo habitual nos livros do autor, e este não foge à regra, Patterson brinda-nos com capítulos curtos, intensos e com muito suspense, faz-me pensar que esta poderá ser mesmo a fórmula para tanto sucesso.

De realçar os relatos impressionantes do que o assassino faz às suas vítimas antes de as matar e o facto de ser oferecido ao leitor uma espécie de diário do próprio criminoso, que nos vai relatando, pormenorizadamente, o que vai fazendo e como consegue atrair todas as pessoas que vem matando.

Intenso e viciante. Excelente!