segunda-feira, 19 de maio de 2014

Guerra e Paz publica 110 anos de cinema em livro

Título: O Cinema Ideal e a Casa da Imprensa: 110 Anos de Filmes
Autor: Maria do Carmo Piçarra
N.º de Páginas: 136 páginas + 32 (cor)
PVP: 14 €
Género: Não Ficção/Cinema
Nas livrarias a 21 de Maio
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
Há 110 anos a mostrar filmes, o Ideal tem uma história que se confunde, em Portugal, com a da exibição cinematográfica popular. Quando a Casa da Imprensa – Associação Mutualista se tornou, em 1926, proprietária do prédio onde funciona, o Ideal já não era um cinema de estreia. Antes, fez história com a invenção do «animatógrafo falado» e revelou António Silva. Foi o primeiro sonoro de René Clair a introduzir esta atracção no «Loreto» mas não travou a decadência da sala, gerida, desde a instauração da República, pela Costa & Carvalho e progressivamente preterida em favor dos salões luxuosos ou dos grandes cinemas das avenidas.
A Casa da Imprensa assume agora, com a Midas, a aposta na requalificação do espaço e da programação da mais antiga sala de cinema do País. Honra o pioneirismo da associação na organização de festivais e ciclos de cinema, na divulgação do cinema de autor e no apoio ao novo cinema português. E reivindica uma acção que quis contrariar a censura do Estado Novo. É esta história que aqui se conta.
É este passado – o do Ideal, sala de cinema popular, e o da associação de jornalistas que, desde 1962, assumiu a divulgação cinematográfica como missão – que converge num «acto de Primavera». O Cinema Ideal renasce como um espaço de exibição cinematográfica a pensar no futuro, assumindo-se cinema de bairro, como sempre foi, mas cinema do mundo e com mundo.

Sobre a autora:
É jornalista, investigadora e professora universitária. Doutorada em Ciências da Comunicação, é autora, entre outras publicações, de Salazar vai ao cinema, em dois volumes, e coordenadora da trilogia Angola, o Nascimento de uma Nação. Co-edita a ANIKI – Revista Portuguesa da Imagem em Movimento.


Sem comentários: