quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

No Calor dos Trópicos - Flávio Capuleto [Opinião]



Título: No Calor dos Trópicos
Autor
: Flávio Capuleto
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 352
Editor: Clube do Autor
ISBN: 9789898452993
PVP: 16,50€


Sinopse:
A queda abrupta de produção de café no nordeste brasileiro estava a arrastar os fazendeiros para a derrocada financeira. Na tentativa de solucionar o problema da falta de remessas, o rei D. Luís convida o Dr. Bragança dando ao seu cortesão a oportunidade de ouro de escapar a uma eventual pena de prisão por crime de adultério. Mas como se o destino reservasse uma armadilha ao novo diplomata, a amante viaja para Petrópolis na companhia do marido continuando ali a sua relação escaldante com o cônsul. Alertado para a traição contínua de sua esposa, D. João frutuoso, o magnata mais poderoso do Reino, banqueiro da casa real e da Coroa Brasileira, prepara uma emboscada ao diplomata, não só para o afastar dos braços de Leonor, mas também para poder exercer livremente o seu poder sobre os negros da roça e a sua vocação esclavagista. Um golpe inesperado dita a sorte dos amantes envolvidos nas malhas do destino.


A minha opinião:
Se gosta de um romance histórico, No Calor dos Trópicos é uma escolha acertada. O romance de estreia do autor Flávio Capuleto retrata na perfeição a disputa entre fazendeiros e escravos no Brasil, numa altura em que a abolição da escravatura estava iminente. A forte quebra da produção do café, o “ganha-pão” das grandes fazendas brasileiras e as revoltas dos escravos pelas condições de vida miseráveis que levavam, fez com que D. Luís, rei de Portugal, enviasse para o Brasil um homem da sua inteira confiança, o seu médico pessoal para tentar amenizar as duas facções, e fazer com que a abolição da escravatura se desse sem grandes problemas. O facto de ter enviado o Dr. Bragança também se prendia com o facto deste se ter relacionado com uma mulher casada: D. Leonor de Mascarenhas. O caso entre os dois já se tornara público da maior parte da gente influente em Portugal, e sendo D. Leonor casada com um homem bastante poderoso e rico, fez com que José Afonso Bragança não hesitasse muito em deixar o país e também o seu coração.
No entanto, os dois apaixonados não ficariam muito tempo afastados um do outro, já que D. Leonor de Mascarenhas convence o marido, João Frutuoso de Almeida Botelho a partirem para terras brasileiras, sob o pretexto de aí ser o único sítio possível para se curar da doença que a afligia...
Muito ao jeito de Equador, de Miguel Sousa Tavares, adorei ler No Calor dos Trópicos, que me levou por terras brasileiras do final do século XIX. Um livro de escrita simples, que me prendeu desde a primeira página. Recomendo.

2 comentários:

cris disse...

Está na lista para o ler em breve...
A capa e o tema em si atraem e se gostaste...
bjinhos.
Cris
http://otempoentreosmeuslivros.blogspot.com

Maria Manuel disse...

Gostei muito Cris, é mesmo um romance histórico bom de se ler. Acho que irias gostar se o lesses :)
Beijinhos
MM