terça-feira, 3 de dezembro de 2013

José Eduardo Agualusa é o convidado do “Porto de Encontro”

José Eduardo Agualusa é o convidado do “Porto de Encontro”
O autor de A Vida no Céu vai estar à conversa com os leitores no próximo domingo, 8 de dezembro, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto.
O “Porto de Encontro” despede-se de 2013 da melhor forma, tendo como convidado um dos maiores nomes da nossa literatura contemporânea: José Eduardo Agualusa. A conversa, que será conduzida pelo jornalista Sérgio Almeida, está marcada para a tarde do próximo domingo, 8 de dezembro, pelas 17:00, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto, e terá a participação especial da escritora Patrícia Reis.
José Eduardo Agualusa nasceu na cidade do Huambo, em Angola, a 13 de dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura em Lisboa. É jornalista. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim. É autor dos livros A Conjura (romance, 1988), Prémio Revelação Sonangol, A Feira dos Assombrados (contos, 1992), Estação das Chuvas (romance, 1996), Nação Crioula (romance, 1998), Grande Prémio de Literatura RTP, Fronteiras Perdidas (contos, 1999), Grande Prémio de Conto da APE, A Substância do Amor e Outras Crónicas (crónica, 2000), Estranhões e Bizarrocos, com Henrique Cayatte, (infantil, 2000), Prémio Nacional de Ilustração e Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian, Um Estranho em Goa (romance, 2000), O Ano Que Zumbi Tomou o Rio (romance, 2002), O Homem Que Parecia Um Domingo (contos, 2002), Catálogo de Sombras (contos, 2003) e O Vendedor de Passados (romance, 2004).
Este ano, publicou pela Quetzal o romance A Vida no Céu e foi distinguido com o Prémio Literário Fernando Namora pelo romance Teoria Geral do Esquecimento (2012).

Iniciativa promovida pela Porto Editora, o “Porto de Encontro” assinalou em novembro o segundo aniversário. Nesse período, as 21 edições já realizadas atraíram mais de seis mil espectadores. Manuel António Pina, Gonçalo M. Tavares, Luis Sepúlveda, Mário de Carvalho e Dulce Maria Cardoso foram alguns dos autores que já participaram no “Porto de Encontro”, que conta com o apoio do Jornal de Notícias, Câmara Municipal do Porto, Rádio Nova, Porto Canal, Bombonaria Bonitos (Foco), Barros Porto e Livrarias Bertrand.

Isabel Stilwell, no Porto, para apresentar Ínclita Geração


segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Dia 7, 17 horas, Coimbra, Apresentação de «Queremos Melhores Pais!» - Novo livro do psicólogo Eduardo Sá é apresentado pelo jornalista Bento Rodrigues


Porto Editora divulga as 10 candidatas a Palavra do Ano 2013




Novidades Civilização Editora para Dezembro

FICÇÃO/NÃO FICÇÃO
Título: Transatlântico
Autor: Colum McCann
N.º de Páginas: 296
Tradução: Miguel Freitas da Costa 
Capa: Mole
PVP: 16,60€
Sinopse:
1919. Emily Ehrlich vê dois aviadores, Alcock e Brown, erguerem-se do massacre da Primeira Guerra Mundial para pilotar o primeiro voo transatlântico sem paragens, desde a Terra Nova até ao Oeste da Irlanda. Entre as cartas levadas no avião, está uma que só será aberta quase cem anos mais tarde.
1998. O Senador George Mitchell atravessa repetidamente o oceano em busca da promessa de paz na Irlanda. Quantas mães e avós enlutadas terá ele ainda de conhecer até que seja alcançado um acordo?
1845. Frederick Douglass, um escravo negro americano, desembarca na Irlanda para promover ideias de democracia e liberdade, e depara-se com uma onda de fome. Nas suas viagens, inspira uma jovem criada a ir para Nova Iorque ao encontro de um mundo livre, mas nem sempre o país cumpre a sua promessa. Dos violentos campos de batalha da guerra civil aos lagos gelados do Missouri, é a sua filha mais nova, Emily, quem acaba por encontrar o caminho de regresso à Irlanda.
Podemos passar do mundo novo para o velho mundo? Como é que o passado molda o futuro? Transatlantic, de Colum McCann, autor premiado com o National Book Award, é um feito de coragem literária. Complexo, poético e profundamente emotivo, entrelaça histórias pessoais de modo a explorar a ténue linha que separa a realidade da ficção e o emaranhado de ligações que compõem as nossas vidas.

Título: Inferno – Mundo em Guerra: 1939-45
Autor: Max Hastings
N.º de Páginas: 630
Tradução: Miguel Mata
Capa: Mole
PVP: 32,90€
Sinopse:
Um relato magistral do maior e mais terrível acontecimento da História, por um dos melhores historiadores da Segunda Guerra Mundial.
Inferno reflete os 35 anos de pesquisa de Max Hastings sobre a  Segunda Guerra Mundial e descreve a trajetória dos acontecimentos, concentrando-se sobretudo na experiência humana, que foi radicalmente diferente de campanha para campanha e de continente para continente.
O autor destaca a frente russa, onde morreram mais de noventa por cento dos soldados alemães que pereceram nesta guerra. Argumenta que, embora o exército de Hitler combatesse muitas vezes de forma brilhante, os Nazis conduziam o esforço de guerra com “espantosa incompetência”. Sugere que as marinhas britânica e americana foram os mais notáveis serviços de combate dos seus países, mas que o contributo da indústria dos Estados Unidos foi muito mais importante para a vitória dos Aliados do que o do exército americano.
Algumas das explicações e comentários de Hastings vão surpreender os estudiosos deste conflito, e há descrições vívidas de tragédias e triunfos de uma série de pessoas comuns, militares e civis. “O cliché é absolutamente verdade”, afirma o autor. “Entre 1939 e 1945 o mundo viu seres humanos mergulharem na mais profunda vilania, e outros alcançarem o auge da coragem e da nobreza.” Esta é a “história do homem comum”, uma tentativa de responder à pergunta: “Como foi a Segunda Guerra Mundial?”, e também uma visão global do conflito.



Título: A Cortina de Ferro – O Fim da Europa de Leste
Autor: Anne Applebaum
N.º de Páginas: 780
Tradução: Miguel Freitas da Costa
Capa: Mole
PVP: 27,50€
Sinopse:
A história da vida por trás da Cortina de Ferro, de Anne Applebaum, autora de Gulag, vencedor do prémio Pulitzer.
Depois da derrota dos Nazis em 1945, os povos da Europa Central e de Leste esperavam recuperar a vida que levavam antes de 1939. No entanto, viram-se submetidos a uma tirania tão desumana quanto aquela à qual tinham acabado de escapar. Este livro explica como o Comunismo foi imposto nestas sociedades outrora democráticas na década que se seguiu ao fim da Segunda Guerra Mundial. Applebaum descreve, com pormenores sóbrios mas devastadores, como é que os partidos políticos, a Igreja, os meios de comunicação social, as associações de jovens – as instituições da sociedade civil a todos os níveis – foram rapidamente esventradas. Apoiando-se em novo material de arquivo e em inúmeras fontes, Anne Applebaum segue as táticas dos comunistas à medida que abriam caminho para o poder através de violência, ameaças e assassínios, ao mesmo tempo que conta histórias de vidas particulares para demonstrar a rapidez com que as pessoas tinham de escolher entre lutar, fugir ou colaborar. Num espaço de tempo incrivelmente curto após ao fim da guerra, a Europa de Leste foi estalinizada de forma implacável. Cortina de Ferro é um brilhante relato histórico de um período marcante da história da Europa, mas também uma advertência sobre o quão frágeis são as sociedades livres e quão vulneráveis podem ser ao ataque de inimigos determinados e sem escrúpulos.


Título: O Pai Goriot
Autor: Balzac
N.º de Páginas: 264
Coleção Novos Clássicos
Capa: Dura
PVP: 7,99€
Sinopse:
Um estudo inteligente e reflexivo da burguesia após a Revolução Francesa, e das duas grandes obsessões humanas – o amor e o dinheiro –, O Pai Goriot de Balzac faz parte da imortal série A Comédia Humana.
Eugène quer subir na vida. Assim, vai para Paris, onde as ruas estão repletas de vigaristas, criminosos e oportunistas sociais, todos a tentarem vencer na vida. Quando Eugène arranja alojamento numa pensão pobre, vê um plano potencial para fazer fortuna: as duas belas mulheres aristocráticas que vêm misteriosamente durante a noite visitar o velho e solitário hóspede Goriot. Será que elas poderiam dar-lhe a posição e a aceitação por que ele anseia? No entanto, na cidade nada é o que parece. Depressa Eugène se vê mergulhado num mundo de ganância e obsessão que nunca teria sequer imaginado – um mundo que só pode terminar em tragédia.



Título: Persuasão
Autor: Jane Austen
N.º de Páginas: 240
Coleção Novos Clássicos
Capa: Dura
PVP: 7,99€
Sinopse:

Aos vinte e sete anos, Anne Elliot já não é uma jovem, e tem poucas perspetivas românticas. Oito anos antes, foi persuadida pela sua amiga, Lady Russell, a terminar o noivado com Frederick Wentworth, um comandante naval bem-parecido mas sem fortuna nem posição social. Aquilo que acontece quando os dois se voltam a encontrar é narrado de forma comovente no último romance que Jane Austen deixou completo.
Persuasão é uma sátira brilhante sobre vaidade e pretensão mas, acima de tudo, é uma história de amor onde se sente a mágoa das oportunidades perdidas.


Título:
Autor: António Nobre
N.º de Páginas: 240
Coleção Novos Clássicos
Capa: Dura
PVP: 7,99€
Sinopse:
Só, a única obra publicada em vida por António Nobre, era considerada pelo próprio autor “o livro mais triste que há em Portugal”. Publicada em Paris em 1892, e reeditada em Lisboa, com algumas alterações, é uma obra ímpar na literatura portuguesa que lançou o poeta no meio cultural.


Título: Amor de Perdição
Autor: Camilo Castelo Branco
N.º de Páginas: 160
Coleção Novos Clássicos
Capa: Dura
PVP: 7,99€
Sinopse:
Simão Botelho e Teresa estão perdidamente apaixonados, mas as suas famílias são rivais. Quando o pai de Teresa, Tadeu, descobre este amor, fecha-a num convento. Mas, ao tentar ver a sua amada, Simão mata Baltasar, primo desta e a quem esta estava prometida, e acaba por ser condenado à morte. A sentença é comutada para 10 anos de degredo na Índia, mas antes que esta seja executada, Teresa, Simão e outros que se cruzaram no seu caminho acabam por morrer.


Título: Contos Escolhidos
Autor: Anton Tchekov
N.º de Páginas: 224
Coleção Novos Clássicos
Capa: Dura
PVP: 7,99€
Sinopse:
Considerado um dos maiores contistas, Anton Tchekhov mudou o género em si, com as suas histórias, descrições impressionistas da vida russa quotidiana do século XIX e da condição humana. Com grande moderação, os contos de Tchekhov revelam a alegria, a confusão, a insatisfação e a tristeza humanas, despertando uma profunda simpatia por todas as pessoas, onde quer que estejam, na Rússia, há mais de cem anos, ou em qualquer lugar no mundo de hoje. Neste livro estão reunidos alguns dos seus melhores contos dos principais períodos da sua vida criativa. Atmosféricos, compassivos e estranhamente sábios, os contos de Tchekhov possuem o poder transcendental de assombrar e mudar o leitor.


Título: Os Lusíadas
Autor: Luís de Camões
N.º de Páginas: 360
Coleção Novos Clássicos
Capa: Dura
PVP: 8,99€
Sinopse:
Os Lusíadas têm como tema central o descobrimento do caminho marítimo para a Índia, atingindo o seu auge no momento em que Vasco da Gama dobra o Cabo da Boa Esperança, tratando em paralelo, de um modo muito engenhoso e com grande mestria, a História de Portugal.
É o primeiro poema regular na literatura do Renascimento, tem ecos de Homero e Virgílio, observando-se grande unidade e equilíbrio entre os seus elementos.
Um grande sopro patriótico anima todo o poema, que culmina com a profetização de altos destinos para os Portugueses.



Título: O Vermelho e o Negro
Autor: Stendhal
N.º de Páginas: 480
Coleção Novos Clássicos
Capa: Dura
PVP: 9,99€
Sinopse:
Bonito e ambicioso, Julien Sorel está determinado a desprender-se das suas origens humildes camponesas e a fazer algo da sua vida, adotando o código de hipocrisia por que a sua sociedade se rege. Julien acaba por cometer um crime movido pela paixão, por princípios ou por insanidade, que será o seu fim. O Vermelho e o Negro é uma imagem vívida e satírica da sociedade da Restauração francesa após Waterloo, carregada de corrupção, ganância e tédio. O retrato complexo e compreensivo de Julien, o explorador frio cuja campanha maquiavélica é enfraquecida pelas suas próprias emoções, torna-o a mais brilhante e mais humana criação de Stendhal, e um dos maiores personagens da literatura europeia.


Título: Quo Vadis?
Autor: Henryk Sienkiewicz
N.º de Páginas: 512
Coleção Novos Clássicos
Capa: Dura
PVP: 9,99€
Sinopse:
Henryk Sienkiewicz foi um jornalista polaco que recebeu o Prémio Nobel da Literatura em 1905 pelos seus “excelentes méritos enquanto escritor épico”. Em Quo Vadis, o autor ilustra o conflito das ideias morais no seio do Império Romano – um conflito que provocou a queda da imoralidade pagã e permitiu ao Cristianismo tornar-se a força dominante da história. Este romance pungente fala do amor que nasce entre uma jovem cristã,  Lígia, e um romano pagão, Marco Vinício. Tem lugar na cidade de Roma sob o regime do brutal imperador Nero. O conflito descrito em Quo Vadis sempre foi de grande interesse para uma vasta audiência de leitores. Quo Vadis é a obra-prima intemporal de Sienkiewicz e foi traduzida para mais de cinquenta línguas.