sexta-feira, 3 de maio de 2013

Novidade Bertrand: Senhor Comandante, de Romain Slocombe, a partir de hoje nas livrarias

Título: Senhor Comandante
Autor:
Romain Slocombe
Género: Ficção
Tradutor: Patrícia Xavier
N.º de páginas: 200
Data de lançamento: 3 de maio
PVP: 15,50€

Escritor e académico na Paris do pré-guerra, Paul-Jean Husson, retirou-se para uma pequena vila da Normandia com o intuito de se dedicar à sua obra, marcada por um antissemitismo «patriótico».
Quando a guerra rebenta e o seu filho Olivier é obrigado a partir, toma a seu cargo a proteção da nora, Ilse, uma alemã de traços arianos e luminosos. A sua beleza faz surgir nele uma atração que vai contra todos os seus valores, uma vez que descobre que ela é de origem judaica. Pouco a pouco, o universo confortável do grande escritor petainista, modelo do bom burguês, começa a vacilar. Apenas uma carta dirigida ao comandante da Kreiskommandantur pode permitir a Husson salvar a sua honra.
«Assombroso e aterrador», L’Express
«O ultraprolífico e talentoso Slocombe assina uma obra notável e glacial.» VSD

Sobre o autor:
Romain Slocombe nasceu em Paris em 1953. É escritor, realizador, tradutor, ilustrador, autor de banda desenhada e fotógrafo.

Os Abutres do Vaticano - Eric Frattini [Opinião]

Título: Os Abutres do Vaticano
Autor:
Eric Frattini
Género: Ensaio
Tradutor: Pedro Carvalho
N.º de páginas: 296
PVP: 16,60€
A 19 de abril de 2005, o cardeal Ratzinger foi eleito Papa. Mal sabia ele que, como os seus antecessores, iria encontrar um osso duro de roer: o IOR (Instituto para as Obras Religiosas) ou o Banco do Vaticano. Os Abutres do Vaticano revela uma história de mordomos traidores, filtragem de documentos e fugas de informação, comissões secretas de investigação, serviços de espionagem e contraespionagem do Vaticano, prelados que denunciam a corrupção e são imediatamente afastadas de São Pedro, lavagem de dinheiro, altos membros da máfia siciliana, um plano para assassinar o Papa, uma adolescente desaparecida e supostamente usada como escrava sexual, um guerra entre jornalistas e diretores da imprensa católica, um presidente do IOR com medo de ser morto. No Estado do Vaticano, a realidade é sempre mais estranha que a ficção. 

A minha opinião:
Observador atento sobre os acontecimentos que se vão passando no Vaticano, Eric Frattini tornou-se um visionário da renúncia de Bento XVI como Papa.

Escrito em Outubro de 2012, o autor já adivinhava que o fim do papado de Ratzinger estava perto. Depois de se ter descoberto uma cadeia de infiltradores que passavam mensagens para fora do Vaticano, assim como documentos secretos, aos jornalistas, Ratzinger ficou completamente de rastos. Paolo Gabriele, mordomo do Papa, foi um deles, mas este foi apenas um peão nas mãos dos cardeais Angelo Sodano e Tarcisio Bertone. A traição de Paolo Gabriele foi o que o marcou mais visto ser este uma pessoa de alta confiança por parte do Papa.


Mas comecemos pelo início. Bento XVI foi eleito Papa a 19 de Abril de 2005 e logo no início se deparou com um osso duro de roer: o Banco do Vaticano, ou IOR: Instituto para as Obras Religiosas. Com intuito de fazer uma remodelação no Banco mais secreto do mundo, Ratzinger cavou a sua sentença.

Munido de documentos oficiais, os tais documentos que foram desviados por Paolo Gabriele, Eric Frattini sustenta a história dos abutres com factos, comprovando-os nos documentos que presentes ao longo do livro.

O escândalo do Vatileaks, as várias suspeitas de que o Banco do Vaticano está ligado a grupos maifiosos, passando pelo atentado ao Papa João Paulo II pela turco Mehmet Ali Agca a 13 de Maio de 1981, e até o sequestro de uma jovem de 15 anos dentro da cidade do Vaticano a 22 de Junho de 1983 ajudaram para terminar com o papado. Notícias em jornais de todo o mundo davam conta da fragilidade pela qual estava a passar o Estado do Vaticano e o título de um jornal italiano em fevereiro de 2012 era disso exemplo: "Conspiração contra o Papa: Bento XVI vai morrer dentro de doze meses."

Este livro é a prova de que os altos senhores do Vaticano continuam e poderão continuar a comandar o que se passa lá dentro. E o Papa nada poderá fazer. Angelo Sodano e Tarcisio Bertone não foram condenados e continuam a ocupar altos cargos. 

Os Abutres do Vaticano é um livro muito actual e que aborda assuntos pertinentes para quem quer saber mais do que se passa no Estado mais rico do mundo, mas também o mais secreto... Aconselho a sua leitura.

Excertos:
"Nunca te esqueças, caro Eric, que, para o Vaticano, tudo o que não é sagrado é secreto."
"No Estado da Cidade do Vaticano a realidade supera sempre a ficção."

Novidade Esfera dos Livros: O que há depois da morte? As Experiências de Quase Morte explicadas pelo psiquiatra José Miguel Gaona

A Esfera dos Livros convidou o reconhecido psiquiatra José Miguel Gaona para vir a Lisboa nos dias 20 e 21 de maio explicar o que são e em que consistem as chamadas Experiências de Quase Morte.

O autor de Uma Luz ao Fim do Túnel (que publicamos no dia 17 de maio) baseou-se na sua experiência científica e nos testemunhos de crentes e não-crentes que passaram pelo «efeito túnel», analisa os elementos que fazem parte desta viagem de ida e volta: os sons da morte, a luz, as sensações prazenteiras que sentimos e que segundo recentes descobertas podem ser partilhadas pelos familiares que assistem à morte, as viagens astrais, as visitas de familiares anteriormente falecidos que nos confortam neste processo.

Sinopse:
A morte representa a dor, a perda, mas também o fascínio e O mistério para muitas pessoas. O que existe para além da morte? Uma luz intensa mostra-nos sempre o caminho? Todos atravessamos um túnel comprido para retornar à vida? O que sentimos e o que conseguimos ver nesse caminho? Com quem nos encontramos?

O reconhecido psiquiatra José Miguel Gaona explica-nos, baseado na sua experiência científica, mas de uma forma divulgativa, o que são e em que consistem as chamadas Experiências de Quase Morte.

Gaona escreve: «Aquilo que está em causa ao tentarmos compreender em que consistem as Experiências de Quase Morte não é apenas se existe vida para além da presente, mas também se conseguimos compreender os complexos modelos de consciência, incluindo a perceção sensorial ou a memória, já que estes processos podem chocar com os conhecimentos atuais da neurofisiologia.»

Com vários testemunhos de crentes e não-crentes que passaram pelo «efeito túnel», este psiquiatra analisa os elementos que fazem parte desta viagem de ida e volta: os sons da morte, a luz, as sensações prazenteiras que sentimos e que segundo recentes descobertas podem ser partilhadas pelos familiares que assistem à morte, as viagens astrais, as visitas de familiares anteriormente falecidos que nos confortam neste processo.

Como nos diz Raymond Moody, autor bestseller de Vida depois da Morte, «os investigadores de todo o mundo começam a descobrir que as profundas experiências espirituais dos moribundos são difíceis de explicar». Ao longo das páginas deste livro, um verdadeiro bestseller em Espanha, vai ficar a conhecer, entre outros fascinantes temas:

- Experiências de viagens astrais e saídas fora-do-corpo
- A forma como quando estamos no limiar da morte, vemos a nossa vida em filme, a andar para trás.
- Técnicas para se aproximar de uma experiência de quase morte.
- Sensações de presença que sentimos. Existe um anjo protetor?
Um livro fascinante que nos vais fazer encarar a morte com outros olhos.

Sobre o autor:
José Miguel Gaona Cartolano nasceu em Bruxelas. Licenciado em Medicina com distinção, especializou-se em Psiquiatria na Universidade Complutense de Madrid, possui um mestrado em Psicologia Médica e é especialista em Psiquiatria Forense. Recebeu o Prémio Jovens Investigadores da Comunidade de Madrid e é membro da Associação Europeia de Psiquiatria (AEP), lecionou a cadeira de Psiquiatria na Faculdade de Medicina da UCM e foi diretor da revista Educar bien. Niños.

Foi assessor técnico do Defensor do Menor da Comunidade de Madrid, responsável pela área de saúde mental na guerra da Bósnia para a ONG Médicos do Mundo e membro da Comissão de Honra da Fundação Altarriba de proteção animal, da qual certos membros são figuras de destaque como José Saramago, Josep Carreras ou Eduard Punset, entre outros.Nos últimos anos trabalhou na área da neuro-teologia, ciência que analisa os fenómenos místicos e espirituais do ponto de vista neurológico. Nesta linha, dirige o Projeto Túnel, um local de encontro para pessoas que sofreram experiências de quase-morte (EQM) e que pretendem partilhar essas experiências ou abordá-las de uma perspetiva terapêutica. Atualmente é um dos diretores do IANDS Espanha (International Association of Near-Death Studies) e colabora em projetos na área das EQM juntamente com o Dr. Bruce Greyson, da Unidade de Estudos Percetuais da Universidade de Virgínia Ocidental e com a Dra. Holden, da North Texas University.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

A 6 de maio, chega finalmente às livrarias nacionais, com chancela da Porto Editora, Insurgente, a muito esperada sequela de Divergente, de Veronica Roth.

Título: Insurgente
Autor:
Veronica Roth
Tradução: Pedro Garcia Rosado
Págs.: 376
Capa: mole com badanas
PVP: 15,50 €

Este livro, um caso de sucesso mundial, garantiu-lhe, aos 23 anos, a distinção de melhor autor de 2012 para a Goodreads. Insurgente foi, também, considerado o melhor livro juvenil de fantasia para aquela comunidade de 17 milhões de leitores.
As aventuras desta saga desenrolam-se em cenário futurista, verosímil e sem figuras sobrenaturais. Divergente figurou em várias listas de melhores do ano – Amazon, Publishers Weekly, Goodreads, Barnes & Nobles – e chegou mesmo a número um do top do The New York Times. Insurgente tem tido êxito semelhante.

Sinopse:
A tua escolha pode transformar-te - ou destruir-te. Mas qualquer escolha implica consequências, e à medida que as várias fações começam a insurgir-se, Tris Prior precisa de continuar a lutar pelos que ama - e por ela própria. O dia da iniciação de Tris devia ter sido marcado pela celebração com a fação escolhida. No entanto, o dia termina da pior forma possível. À medida que o conflito entre as diferentes fações e as ideologias de cada uma se agita, a guerra parece ser inevitável. Escolher é cada vez mais incontornável... e fatal.
Transformada pelas próprias decisões mas ainda assombrada pela dor e pela culpa, Tris terá de aceitar em pleno o seu estatuto de Divergente, mesmo que não compreenda completamente o que poderá vir a perder. A muito esperada continuação da saga Divergente volta a impressionar os fãs, com um enredo pleno de reviravoltas, romance e desilusões amorosas, e uma maravilhosa reflexão sobre a natureza humana.

Sobre a autora:
Veronica Roth estudou Escrita Criativa na Northwestern University. Nos seus tempos de faculdade, preferiu dedicar-se a escrever o que viria a ser a sua primeira obra, DIVERGENTE, e deixar de lado os trabalhos de casa – uma escolha que acabou por transformar totalmente a sua vida.
Veronica Roth foi recentemente considerada a melhor autor pelos Goodreads Choice Awards 2012, e Insurgente conquistou o prémio de melhor livro de fantasia juvenil pela mesma entidade.

Novidade Sextante: Viver na noite de Dennis Lehane

Título: Viver na noite
Autor:
Dennis Lehane
Tradutor: Luís Ricardo Duarte
Págs.: 416
PVP: € 19,90

Dennis Lehane, autor do famoso Mystic River, regressa aos escaparates das livrarias portuguesas no dia 13 de maio com o seu mais recente romance, Viver na noite, publicado pela Sextante Editora. Este livro tem sido alvo de excelentes críticas e os direitos para o cinema foram já comprados por Ben Affleck, que irá realizar e interpretar o papel principal no filme.
Escritor com uma vasta e conhecida obra, Dennis Lehane é ainda argumentista de séries como Boardwalk Empire. Os livros Mystic River e Gone, Baby, Gone – ambos adaptados ao cinema, o segundo também por Ben Affleck – serão igualmente publicados pela Sextante Editora.

Sobre o livro:
Boston, 1926. A bebida abunda, em cada esquina há troca de tiros, e um homem decide deixar a sua marca no mundo. A Lei Seca levou à criação de uma complexa rede de destilarias e bares clandestinos, gangsters e polícias corruptos. Joe Coughlin, o filho mais novo de um respeitável capitão da Polícia de Boston, há muito que voltou costas à sua educação severa e se rendeu ao lucro, à adrenalina e à notoriedade de ser um fora- -da-lei. Mas uma vida de crime cobra um alto preço. Numa época em que homens implacáveis e ambiciosos se digladiam pelo poder, dispondo de armas, bebidas ilegais e muito dinheiro, o mote é: nunca confiar em ninguém – nem na família nem nos amigos, nem nas amantes nem nos inimigos.
Uma história de amor arrebatadora e uma saga épica de vingança, Viver na noite cruza traição e redenção, música e morte, e traz de novo à vida uma era passada em que o pecado era motivo de celebração e o vício uma virtude nacional.

Sobre o autor:
Dennis Lehane nasceu e foi criado em Dorchester, Massachusetts. Antes de se dedicar à escrita a tempo inteiro, trabalhou com crianças sofrendo deficiências mentais e vítimas de abusos, foi empregado de mesa, motorista de limusinas, livreiro e carregador. Várias vezes premiadas e traduzidas em 22 línguas, algumas das suas obras foram também adaptadas ao cinema em filmes de grande êxito junto do público e da crítica, como Mystic River, Shutter Island e Gone, Baby, Gone. O filme baseado em Viver na noite está neste momento a ser rodado, e conta com Ben Affleck como realizador e protagonista.
Site do autor: www.dennislehane.com
Página do autor no Facebook: www.facebook.com/Dennis.Lehane

Romance «As mulheres casadas não falam de amor» já nas livrarias. O segredo é o mais poderoso afrodisíaco!

Título: As mulheres casadas não falam de amor
Autor:
Melanie Gideon
Selo: Suma de Letras
Páginas: 464
PVP: 16,90€

Alice está casada com William há vinte anos. Recorda-se, como se fosse ontem, do dia em que o conheceu. No entanto, ultimamente, é ao Facebook, e não ao marido, que confia os seus pensamentos mais íntimos.

Um dia, recebe um questionário anónimo sobre amor e casamento da parte de um Investigador 101. Decide responder, sob o pseudónimo Mulher 22, sem imaginar que isso mudará a sua vida. Confissão após confissão, Alice sente-se cada vez mais livre e também mais apaixonada pelo Investigador 101, genuinamente interessado nos seus sentimentos como há muito ninguém estava. Alice não tarda a ver-se confrontada com uma decisão potencialmente devastadora: cessar toda a comunicação com o Investigador 101 para salvar o casamento ou admitir que o coração lhe levou a melhor e está novamente apaixonada.

Com uma voz fresca, comovente e divertida, As Mulheres Casadas Não Falam de Amor é a história de uma mulher que, tentando reencontrar-se, corre o risco de descobrir que, afinal, quer estar onde sempre esteve.

«Excelente... O romance de Gideon é um retrato honesto de uma mulher que tenta reconciliar-se com os seus desejos e responsabilidades, assim como uma reflexão pertinente sobre o anonimato e a intimidade na era da comunicação digital. Uma estreia literária brilhante» Publishers Weekly
«As Mulheres Casadas Não Falam de Amor descreve a facilidade incrível com que revelamos a nossa intimidade a perfeitos desconhecidos, mas não àqueles que amamos.» Vogue

Sobre a Autora:
Melanie Gideon nasceu e cresceu no estado de Rhode Island, nos Estados Unidos da América. As Mulheres Casadas não Falam de Amor é o seu primeiro romance. Está publicado em mais de vinte países e será adaptado ao cinema.

MEC e Pastéis de Belém: é pegar ou largar. Novo livro apresentado sexta-feira em Lisboa

A ligação não é de todo improvável, porque é sabida a forma como Miguel Esteves Cardoso valoriza a gastronomia, mas é insólita. Depois do lançamento no Porto, que reuniu quase 500 pessoas, MEC apresenta, esta sexta-feira, às 18:30, em Lisboa, o novo livro de crónicas, intitulado Como é linda a puta da vida. O evento – que serve para dar a conhecer, também, outras quatro novas edições: A causa das coisas, O amor é fodido, Os meus problemas e Explicações de Português explicadas outra vez – decorre nos Pastéis de Belém e a assistência terá direito a um pastel e a uma bebida (oferta limitada). É caso para dizer: é pegar ou largar!
Novidade é, também, a página oficial no Facebook, que já conta com quase sete mil seguidores. Diariamente, MEC tem vindo a publicar poemas, excertos de livros e de artigos de revistas e também fotografias de pinturas, entre outros conteúdos.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Se Pudesse Voltar Atrás - Marc Levy [Opinião]

Título: Se Pudesse Voltar Atrás
Autor:
Marc Levy
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 248
Editor: Bertrand Editora
PVP: 16,60€

Sinopse:
Andrew Stilman, jornalista do New York Times, acaba de se casar. Na manhã de 9 de julho de 2012, bem cedo, está a fazer jogging na margem do Hudson quando, de súbito, é violentamente agredido. Uma dor fulgurante atravessa-lhe o corpo e ele sente-se submergir num rio de sangue. Andrew perde os sentidos… e, ao recuperar a consciência, está a 9 de maio de 2012.
Dois meses mais cedo, dois meses antes do seu casamento.
A partir desse momento, Andrew tem 60 dias para descobrir o seu assassino, 60 dias para mudar o curso do seu destino. E, a partir de então, cada minuto conta…
A sua investigação leva-o numa viagem vertiginosa, de Nova Iorque a Buenos Aires, e até aos meandros dos momentos mais obscuros da ditadura argentina. Uma corrida contra o tempo, entre o suspense e a paixão.

A minha opinião:
Marc  Levy é dos meus autores favoritos, e raramente me desiludo com a sua escrita. Este livro não foi excepção. Sempre a rondar o mítico, neste novo livro o autor cria como protagonista um jornalista (Andrew) que depois de ter saído da parte dos obituários no jornal, passa a escrever artigos polémicos. Até aqui nada de novo. O problema é que, passado pouco tempo de sair uma reportagem e a meio de outra também ela polémica, Andrew é assassinado.
Nada de anormal, caso o autor não colocasse a hispótese de Andrew poder reviver os 62 dias que antecederam a sua morte, com o intuito de tentar descobrir quem o assassinou. Assim, Levy leva-nos a percorrer esses dias, embrenhando-nos em toda a investigação de Andrew, assim como a reviver o seu dia a dia, passando também pela investigação para a reportagem que lhe estava a ocupar o tempo, centrada nas atrocidades cometidas pela ditadura Argentina, sobretudo aos opositores do regime ditatorial. Essa poderá ser uma pista para o seu assassinato, mas muitas se vão juntar a esta, e todas elas com um fundo de lógica.
Até o tráfico de crianças na China, o seu primeiro trabalho em reportagem, poderá estar relacionado...
Juntamente com Andrew ficámos a conhecer um pouco da história Argentina, sentindo os mistérios que guarda Buenos Aires na pele, ao mesmo tempo que nos questionámos sobre as duas investigações que correm em paralelo: a investigação para a reportagem e a investigação para o crime.
O final é surpreendente, como aliás é habitual nos romances de Marc Levy e deixa-nos a pensar que fomos enganados desde o início do livro. No entanto, este ponto é fulcral para a verdadeira história de Andrew. Fica no ar o desejo de uma continuação...


Excertos: 
"Sozinho em casa, considerando o impensável, Andrew percebeu que tinha sessenta e dois dias pela frente para descobrir quem o assassinara e porquê."
"Quando sabemos que a morte nos espera ao virar da esquina, o sonho rapidamente se torna um pesadelo."
"O amor da nossa vida é aquele que vivemos e não aquele que sonhámos."

Planeta: Novidades de Maio

Título: Destinos Interrompidos
Autor: Lissa Price
N.º de Páginas: 352
PVP: 17,76€
Disponível a partir de 2 de Maio
 
Assustador, emocionante, intenso e com uma história que vai deixar os leitores aos saltos.
O romance de estreia de Lissa Price, a que a crítica não poupou elogios, considerando-o um digno sucessor de Jogos da Fome, tornou-se em poucos meses num best-seller de vendas, com os direitos de publicação já vendidos para 25 países e os direitos para filme comprados pela Warner. 

VENDERIA A SUA JUVENTUDE PARA SOBREVIVER?
A Guerra dos Esporos matou todos aqueles que tinham mais de vinte anos e menos de sessenta. A Destinos Primordiais aluga corpos  adolescentes aos Terminantes, seniores com centenas de anos que querem ser jovens outra vez. É a partir deste cenário perturbador que Lissa Price constrói a acção desta distopia, que se passa num hipotético futuro, talvez não muito distante, que nos faz pensar que poderá de facto acontecer.
Uma história inteligente, uma narrativa ágil e fluída, uma trama viciante que a autora conseguiu combinar com mestria e que prende o leitor até à última página.
«Esta história é daquelas que nada é o que parece com várias identidades misteriosas e cenas de perseguição dignas de um filme de Hollywood…» Booklist

«A única coisa melhor do que um conceito fantástico é o que é tão bem executado como Destinos Interrompidos. Os leitores que têm esperado um digno sucessor de Suzanne Collins vão encontrá-lo aqui. Uma distopia no seu melhor, um excelente pontapé de saída que vai deixar os leitores aos saltos.» Los Angeles Times
«O lançamento desta série distópica oferece-nos uma mestria notável da técnica e levanta pertinentes questões sobre classes sociais, o corpo como propriedade e a mente como separação. Price apresenta uma bem trabalhada tensão, vilões credíveis, e momentos de doçura roubados.» Publishers Weekly

Este romance, que se transformou de imediato num êxito de vendas, já garantiu a sua adaptação para cinema. Uma aventura pós-apocalíptica onde os jovens têm de lutar contra uma sociedade fascinada pelas aparências e que se aproveita deles. Uma sociedade onde a juventude é o bem mais apreciado e uma verdadeira mercadoria.
Callie tem dezasseis anos e vive com Tyler, o irmão mais novo, e Michael, um amigo, nos escombros da cidade de Los Angeles. Quando as Guerras dos Esporos rebentaram, matando todos aqueles que tinham mais de vinte anos e menos de sessenta, Callie perdeu os pais. Como muitos outros Iniciantes, teve de aprender a sobreviver, ocupando prédios desabitados, roubando água e alimentos, fugindo aos Inspectores e combatendo os Renegados.
Para tirar Tyler das ruas e garantir ao irmão uma vida melhor, Callie só vê uma solução: oferecer a sua juventude à Destinos Primordiais, uma empresa misteriosa que aluga corpos adolescentes aos velhos Terminantes — seniores, com centenas de anos, que querem ser jovens outra vez. A vida quase parece um conto de fadas, até Callie descobrir que a sua locatária não quer apenas divertir-se e que, no mundo perverso da Destinos Primordiais, a sobrevivência é apenas o começo.

Sobre a autora:
Lissa Price estudou fotografia e escrita, mas o mundo acabou por ser o seu maior professor. Andou com os elefantes no Botswana, nadou com os pinguins nos Galápagos, viu o pôr do Sol num campo com duzentos nómadas em Gurajat, na Índia. Foi cercada por centenas de búfalos-do-cabo na África do Sul e assistiu a um coro quase silencioso de uma centena de golfinhos selvagens na costa de Oahu. Dançou em cabanas de barro em casamentos na Índia e bebeu chá com a mais famosa personalidade viva no Kyoto.
Quando se sentou para escrever, percebeu que a mais surpreendente viagem estava dentro da sua cabeça.Vive no sopé das colinas no Norte da Califórnia com o marido e os ocasionais veados.
Visite Lissa em www.lissaprice.com

Lissa Price estará em Lisboa nos dias 13 a 15 de Maio para a apresentação deste seu primeiro livro

Título: Glyrmandia
Autor: Rebeca Amorim Csalog
N.º de Páginas: 320
PVP: 15,50 €
Disponível a 2 de Maio

Uma aventura emocionante num reino mágico.
Um mundo paralelo onde a fantasia é a realidade.

Rebeca Amorim Csalog estava longe de imaginar que aquilo que começou por ser um simples trabalho de casa da disciplina de Português, no 6.º ano, se transformasse no maior desafio da sua vida. «Escrevi aquele que era o livro que eu gostava de ter lido na altura, com 12 anos, quando era uma devoradora de tudo o que era fantasia. Na verdade tudo isto foi uma enorme aventura, digna de se contar noutra história, e estou felicíssima por ter tido o privilégio de a viver!»
Os talentos de Rebeca não se esgotam na escrita, a música é outra das suas paixões. Intérprete de harpa e violino tem já uma carreira internacional reconhecida e premiada. Glyrmandia é uma aventura imparável, uma luta do Bem contra o Mal, contada na perspectiva de um herói português.
Uma aventura com todos os ingredientes dos clássicos do género: dragões, magia, perigo e batalhas. Uma  história sobre a importância do trabalho em equipa e uma equipa de jovens heróis e heroínas dos cinco continentes. Uma história de crescimento, escrita por quem está a crescer, para quem está a crescer.

Os jovens leitores que gostaram de Nárnia e da Terra Média, não podem deixar de ler este livro. Daniel tem 13 anos e vai pela primeira vez à Índia com os pais e a irmã, visitar a avó. Mas, a meio da viagem, o comboio é atacado por rebeldes e Daniel dá por si sozinho, perdido no meio da selva indiana. A partir daqui, Daniel entra numa aventura que o leva a ele e a um grupo de jovens, que também foram recrutados para uma missão tão cheia de perigos como de maravilhas, a conhecer o mundo paralelo de Glyrmandia.
Uma Criança, sábia e todo-poderosa, reina em Vissok Melleteton e precisa de segurança para poder crescer e manter assim o equilíbrio entre os mundos. Conseguirão Daniel e seus companheiros salvar Glyrmandia – e a si próprios – dos planos do infeliz e maléfico Raikzar? E conseguirão voltar para as suas famílias, ou mergulharão para sempre no negrume que ameaça a luminosa Glyrmandia?
Tudo depende deles, e terão de o fazer em conjunto!

Sobre a autora:
Filha de músicos, Rebeca Amorim Csalog nasceu em 14 de Janeiro de 1996, em Lisboa, onde vive. Começou a estudar violino aos três anos. Aos seis, entrou no Conservatório, onde escolheu como instrumento principal a harpa, e o violino como instrumento secundário. Como harpista, ganhou já prémios internacionais e actuou com músicos conceituados.
Frequenta também aulas de canto no Coro Especial do Conservatório e é membro do Coro Infantil da Universidade de Lisboa, com o qual já fez inúmeros concertos por todo o país e no estrangeiro. Gosta de ler, desenhar, andar a cavalo, estar com os amigos e escrever – herança do avô, famoso escritor húngaro, quem sabe?

QUEM É REBECA AMORIM CSALOG
Por Rebeca Amorim Csalog

Venho de uma família de músicos: mãe, padrasto, pai e madrasta, incluindo os seus filhos e um tio. Cresci rodeada de música e de histórias de aventura – as preferidas da minha mãe.
Herdei da minha mãe o seu gosto por ouvir histórias, e, quem sabe, o amor pela escrita que o meu avô paterno, escritor húngaro conhecido, tinha. Gosto de tudo o que é arte e de tudo o que é belo. Por isso desenho, canto, escrevo, toco harpa, e também já dancei e representei.
Adoro viajar e conhecer novos lugares e culturas, procurando aventuras sempre de mochila às costas e sem luxos. Tenho um grande amor por animais e pela natureza, em especial por cavalos, e pratico equitação para ter um contacto mais próximo com estes animais, mas também por me dar uma sensação de adrenalina que adoro.
Procuro desafios o tempo todo, na verdade, nunca paro quieta um segundo, tenho sempre mil coisas que quero fazer e outras mil que quero experimentar. Nunca tenho tempo para descansar, e quando o tenho, arranjo imediatamente alguma coisa para me entreter – não sei o que é estar parada. Adoro criar, aprender e conhecer, e o meu maior desejo seria ter mais tempo para realizar todos os meus desejos!
Este livro, Glyrmandia, foi um deles, que felizmente se realizou, e que representou um dos maiores desafios que já experienciei.
Começou por ser um simples trabalho de casa de três páginas no 6º ano, em que tínhamos que contar uma história de aventura. Como sempre, entusiasmei-me e, quando dei por mim, já tinha quase vinte páginas e a minha história apenas começara…Demorei quase dois anos a acabá-lo e mais um e tal a rever tudo, o que foi um trabalho exaustivo.
Escrevi aquele que era o livro que eu gostava de ter lido na altura, com 12 anos, quando era uma devoradora de tudo o que era fantasia. Na verdade tudo isto foi uma enorme aventura, digna de se contar noutra história, e estou felicíssima por ter tido o privilégio de a viver!
Com este desafio ultrapassado, agora tenho de arranjar um próximo…

Título: Crime e Castigo - O Povo não é Sereno
Autor: Pedro Almeida Vieira
N.º de Páginas: 232
PVP: 16,65 € 
Disponível a 2 de Maio

Com o fino humor, o rigor histórico e a escrita irónica a que Pedro  Almeida Vieira já nos habituou, este segundo volume de Crime e Castigo apresenta alguns dos casos mais célebres de crimes económicos, atentados contra figuras do Estado, conspirações contra reis e sublevações nas colónias. Um retrato feito de dor e sangue que percorre, em 25 narrativas, crimes e castigos num país que afinal nunca foi de brandos costumes.

«O livro de Pedro Almeida Vieira, que tem nas mãos e se recomenda, não nos conta um homicídio ou os dramas individuais de um criminoso, mas sim um enorme número de homicídios e casos criminais reais em que criminosos e julgadores se confundem numa fascinante amálgama de violência e vingança.» Francisco Teixeira da Mota, in Prefácio

Em Portugal diz-se que o respeitinho é muito lindo. Mas nunca foi muito praticado. Em tempos passados, mesmo com uma Justiça justiceira, que mandava matar à mínima suspeita, os portugueses tinham forças e artes para se manifestarem, revoltarem, conspirarem e aldrabarem as autoridades. Quando apanhados, raramente havia clemência: tortura, degredo, forca, decepamentos, fuzilamentos e o mais que houvesse à mão.
O subtítulo deste livro não é ingénuo: todos os portugueses se lembram do famoso apelo de Pinheiro de Azevedo à multidão, da janela dos Paços do Concelho: «O povo é sereno». Essa imagem de um povo manso tem sido contrariada em muitas ocasiões da História: seja pelos crimes que o «bom povo» planeia, sejam pelas penas que eram aplicadas a esses crimes.
O Povo não é Sereno parece, neste momento particular da nossa História, um apelo à resistência, contra todas as facas que nos espetam quotidianamente na nossa auto-estima e na nossa capacidade de sobrevivência.

Ao ler esta recolha, é fácil perceber como a corrupção dos poderes não é invenção de hoje, como o dinheiro sempre foi desviado do bem comum em muitas direcções e como o povo às vezes se esquece de que «é sereno» e se revolta para defender os seus direitos.
O primeiro volume desta obra, Crime e Castigo no País dos Brandos Costumes, publicado em Abril de 2011, integra um conjunto de 30 narrativas que retratam crimes passionais, banditismo e associação  criminosa, homicídios repugnantes, assaltos a igrejas e outros crimes religiosos (Inquisição), com o denominador comum da condenação à pena capital dos seus autores. O autor demonstra, uma vez mais, mas neste segundo volume com especial força em relação aos dias que vivemos em Portugal, que a História é um livro aberto para interpretarmos o presente e a memória é uma arma de consciência e de defesa inestimável para não cairmos nos mesmos erros vezes sem conta...

Sobre o autor:
Nasceu em Coimbra em Novembro de 1969 e vive em Lisboa. Licenciado em Engenharia Biofísica pela Universidade de Évora, tem repartido a sua actividade pelo jornalismo, a escrita e a investigação académica. Foi jornalista da revista Grande Reportagem e do Expresso. No ensaio, publicou O Estrago da Nação (2003) e Portugal: O Vermelho e o Negro (2006).
Na ficção, estreou-se com Nove Mil Passos (2004), a que se seguiu O Profeta do Castigo Divino (2005), A Mão Esquerda de Deus (2009, finalista do Prémio Literário Casino da Póvoa / Correntes d’Escritas) e Corja Maldita (2010). Em 2012 foi responsável pela redescoberta, fixação de texto e notas de O Estudantede Coimbra, o pioneiro romance moderno português, de Guilherme Centazzi. Criou e gere a biblioHistória, a primeira base de dados de literatura histórica.
Visite o sítio do autor em: www.pedroalmeidavieira.com

Sobre o ilustrador:
Enio Squeff nasceu na cidade brasileira de Porto Alegre em 1943 e vive em São Paulo. Formou-se em Jornalismo na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e iniciou a sua vida profissional na revista Veja, passando depois pelo jornal O Estado de São Paulo, e Folha de São Paulo. Para além da pintura, ilustrou já cerca de uma centena de livros. Iniciou em 2010 uma colaboração com o escritor Pedro Almeida Vieira, tendo ilustrado uma reedição do romance O Profeta do Castigo Divino e os dois volumes de Crime e Castigo no País dos Brandos Costumes.

Título: Um Desastre Maravilhoso
Autor: Jamie McGuire
N.º de Páginas: 344
PVP: 17,76 €
Disponível a 2 de Maio

Um livro que começou por ser autopublicado na Amazon pela autora, e que rapidamente se transformou num fenómeno internacional, sendo
já best-seller do The New York Times e do USA Today

Um romance cheio de situações limite.
Uma montanha-russa de emoções.
Um livro sexy e viciante.

Quando se mergulha no mundo de Um Desastre Maravilhoso, fica-se irremediavelmente seduzido por uma história que pode ser doce e romântica, mas que é também obsessiva e disfuncional. Pleno de romance, paixão e reviravoltas inesperadas, foi um dos livros mais disputados na Feira de Frankfurt do ano passado, está traduzido em mais de vinte idiomas, e os seus direitos para filme já foram adquiridos pela Warner Bros.
«Desastre Maravilhoso é altamente viciante. Maravilhosamente sexy, maravilhosamente intenso e maravilhosamente perfeito.» Jessica Park, autora best-seller do The New York Times
O segundo livro da série acabou de ser publicado nos Estados Unidos e entrou directamente para o n.º1 do top de vendas.

«Este livro poderia vir com o seguinte aviso aos leitores: este romance é esmagadoramente absorvente e não conseguirá fazer mais nada até terminar a sua leitura. A Book Whisperer recomenda-o oficialmente como LIVRO OBRIGATÓRIO.» Book Whisperer Reviews

A Boa Rapariga: Abby Abernathy não bebe, não pragueja e trabalha muito. Está enterrada no nefasto passado, mas, quando entra no colégio, os seus sonhos de um novo começo sofrem um desafio numa noite. O Mau Rapaz: Travis Maddox, sensual, atlético e coberto de tatuagens é exactamente o que Abby precisa – e quer – evitar. Ele passa as noites a ganhar dinheiro num clube de combate e os dias no colégio Lothario. Desastre Iminente?... Intrigado pela resistência de Abby ao seu charme, Travis entra na sua vida por uma aposta. Se perder, deverá viver em celibato durante um mês. Se Abby perder, terá de viver no apartamento de Travis por um período semelhante.
…Ou o Princípio de Algo Maravilhoso? Travis não faz ideia de que encontrou uma parceira de jogo à altura. Ou será o princípio de uma relação obsessiva que irá conduzi-los a um território inimaginável…

Sobre a autora:
Autopublicou Um Desastre Maravilhoso, que conseguiu ser best-seller do New York Times e do USA Today. É também autora da série Providence. Licenciou-se no Northern Oklahoma College em Ciência Aplicada de Radiografia e vive com as duas filhas em Oklahoma. É escritora a tempo inteiro e trabalha actualmente em vários projectos.
Visite o seu sítio em: www.jamiemcguire.com

Quetzal: Geoff Dyer em Portugal


O romancista e crítico literário Geoff Dyer (http://geoffdyer.com/) estará em Portugal nos próximos dias 8 e 9 de maio para promover a publicação do seu livro Yoga Para Pessoas Que Não Estão Para Fazer Yoga (tradução de João Tordo). O autor estará disponível para entrevistas.

Geoff Dyer é um escritor inglês. Nasceu em 1958 e, para além de romancista, tem-se destacado como um dos mais originais críticos contemporâneos, com interesses que vão desde a literatura ao cinema, passando pela fotografia, tema predileto.
Zona, o seu livro publicado em 2012 sobre o filme Stalker, de Andrei Tarkovski, destacou-se de imediato pela abordagem inteiramente original, com aquela característica mistura de géneros que é a impressão digital da obra de Dyer.
Reconhecido internacionalmente pelos seus acutilantes e inovadores trabalhos de crítica de fotografia, Geoff Dyer tem vindo a conquistar um número cada vez maior de leitores.

Vencedor do prémio W.H. Smith Best Travel Book, 2004, Yoga para Pessoas Que não Estão para Fazer Yoga (tradução de João Tordo) é o primeiro título de Dyer publicado pela Quetzal. É um livro de viagens que é muito mais do que um livro de viagens.
De Roma à Indonésia, de Nova Orleães à Líbia, Geoff Dyer debate-se num mar de injustiças e abandona-se em momentos de tranquilidade transcendental. Esta extravagante busca por experiências-limite acaba por levá-lo ao deserto do Nevada onde – para citar Tarkovsky – “os teus desejos mais profundos serão realizados.”

“Um polímato incansável e um divertido contador de histórias, Dyer é competente na ficção, no ensaio e na reportagem, mas é mais feliz quando junta os três e cria algo completamente novo.” The New Yorker
“Se Jack Kerouac vivesse nesta época em que as viagens de avião são habituais, talvez escrevesse um livro como este.” Time Out New York
“Se Hunter S. Thompson, Roland Barthes, Paul Theroux e Sylvia Plath fossem de férias no mesmo corpo, talvez inventassem algo deste género. Há muito tempo que não lia um livro tão divertido. É o meu livro do ano.” William Sutcliffe, Independent on Sunday

Porto Editora publica novo livro de Deborah Smith: O Café do Amor

Título: O Café do Amor
Autor:
Deborah Smith
Tradutor: Isabel Alves
Págs: 432
PVP: 16,60 €

Considerado um dos cinco melhores livros de 2006 pelo Library Journal e galardoado com o prémio Holt Medallion pela Romantic Writers of America em 2007, O Café do Amor tem todos os ingredientes para alcançar o sucesso de outros bestsellers de Deborah Smith, como A Doçura da Chuva, já publicado pela Porto Editora. No dia 6 de maio, este novo livro da autora chega finalmente às livrarias nacionais.
O Café do Amor é um romance envolvente sobre a procura da felicidade e sobre como a amizade e o amor são indispensáveis para ultrapassar os traumas do passado e as dificuldades do presente.

O Livro:
Cathryn Deen vivia num mundo de sonho: atriz famosa, idolatrada, era considerada a mulher mais bela do planeta. A fama era tudo na sua vida. Mas após sofrer um trágico acidente de automóvel, que a deixa marcada para sempre, decide ocultar-se de tudo e todos.
Escondida na casa da sua avó materna nas montanhas da Carolina do Norte, Cathryn tenta ultrapassar os seus traumas com a ajuda da sua grande prima Delta, uma mulher roliça e bem-disposta, dona do café local. Considerada por todos a alma daquele vale, Delta alimenta com os seus cozinhados e biscoitos deliciosos o corpo e o espírito dos mais carentes.
Um dos seus protegidos é Thomas Mitternich, um famoso arquiteto, fugido de Nova Iorque, após os atentados às Torres Gémeas lhe terem roubado o que de mais valioso tinha na vida: a mulher e o filho. Atormentado pela culpa, Thomas acredita que nada nem ninguém lhe poderá devolver a razão de viver e, entregue ao álcool e ao desespero, espera um dia ganhar coragem para se juntar àqueles que mais amava.

Sobre a autora:
Deborah Smith é uma das autoras americanas mais lidas em todo o mundo: a sua obra já vendeu mais de três milhões de exemplares. Nomeada para diversos prémios importantes, como o RITA Award da Romance Writers of America e o Best Contemporary Fiction da Romance Reviews Today, foi distinguida com o Prémio de Carreira atribuído pela Romantic Times Magazine. No catálogo da Porto Editora figuram os seus romances A Doçura da Chuva e Segredos do Passado, que obtiveram assinalável êxito junto dos leitores portugueses.

Novidade Chá das Cinco para Maio

Título: Paixões Agitadas
Autor: Jill Mansell

O ANO NOVO APROXIMA-SE E LIZA, DULCIE E PRU JÁ TOMARAM AS SUAS RESOLUÇÕES. QUANDO SE ATINGE A CASA DOS TRINTA,

ESTÁ NA HORA DE DAR UM NOVO RUMO À VIDA!

Liza quer casar-se. Não tem ninguém em mente, mas atrair homens interessantes nunca foi difícil para si. O problema é que não consegue manter-se interessada neles depois de os conquistar. Dulcie acha que o casamento é uma chatice. O seu marido até é lindo, espirituoso e charmoso, mas Dulcie quer desesperadamente mais emoção na sua vida e está decidida a divorciar-se. Pru tem tanta autoestima como uma esfregona de chão. Adora o marido aventureiro e não consegue imaginar a sua vida sem ele. Mas conseguirá manter o casamento?

Que planos matreiros e maliciosos tem o destino, para três amigas queacham que sabem o que querem?

Novidades Saída de Emergência para Maio

Título: O Vírus do Apocalipse
Autor: Dougals Preston e Lincoln Child

Num vasto deserto do Novo México esconde-se um enorme complexo dedicado à investigação científica: o Mount Dragon. É lá que se encontram Guy e Susana a trabalhar lado a lado com algumas das mais brilhantes mentes científicas do planeta. Liderados pelo génio visionário Brent Scopes, o objetivo secreto é alcançar uma descoberta médica que irá trazer inúmeros benefícios à raça humana. Mas apesar de Scopes acreditar estar a desbravar o caminho para uma nova ordem mundial, Guy e Susana temem que a ambição dele abra as portas para a extinção da Humanidade. Quando o confrontam com essa possibilidade, tanto as suas carreiras como as suas vidas passam a correr perigo. E desencadeia-se uma corrida frenética para evitar um apocalipse libertado pela ciência…
Título: Windhaven
Autor: George Martin e Lisa Tuttle

George R. R. Martin, mundialmente famoso pela saga épica de A Guerra dos Tronos, alia-se a Lisa Tuttle na criação do mundo de Windhaven, um planeta que se tornou o refúgio dos humanos após um desastre espacial. Constituído por pequenas ilhas, clima impiedoso e mares infestados de monstros, Windhaven é uma terra que tem tanto de sonho como de pesadelo.

Ao descobrirem neste novo planeta a habilidade de voar com asas de metal, os voadores de asas prateadas tornam-se a elite e levam a todo o lado notícias, canções e histórias. Atravessam oceanos, enfrentam as tempestades e são heróis lendários que enfrentam a morte a cada golpe traiçoeiro do vento.

Maris de Amberly, filha de um pescador, foi criada por um voador e nada mais deseja do que conquistar os céus de Windhaven. A sua ambição é tão forte que a jovem desafia a tradição para se juntar à elite. Mas cedo irá descobrir que nem todos os voadores estão dispostos a aceitá-la e terá de lutar e arriscar a vida pelo seu sonho. Conseguirá Maris vencer ou tornar-se-á uma testemunha do fim de Windhaven?

Venha mergulhar neste mundo maravilhoso que George R. R Martin desenhou com a mestria e talento que fazem dele… o novo Tolkien.
Título: Quando Estou Contigo
Autor: Beth Kery

Quando as regras da atração são quebradas ao primeiro toque…

Lucien Lenault é um herdeiro autoexilado de uma família abastada. Decidido a triunfar sozinho, tornou-se um restauranteur famoso da elite gastronómica de Chicago. O primeiro olhar que lança à arrebatadora chef estagiária que contratou para o seu restaurante deixa-o chocado. Ela é Elise Martin, filha de um abastado estilista francês. Mas ela é também detentora de um segredo que poderá fazer explodir os seus planos cuidadosamente elaborados.

Famosa pelo seu flagrante exibicionismo e por insultar a respeitável fachada dos seus antecedentes aristocráticos, a veia selvagem da pequena coquine deixaria quase toda a gente chocada. Mas não Lucien. Para ele é uma tentação. Ela é uma catástrofe iminente, um inferno onde muitos amantes já arderam. Mas Lucien não é um homem qualquer e não se vai deixar manipular. Para controlar a desafiadora beleza de Elise — a fim de a ver submeter-se — ele terá de voluntariamente caminhar para as chamas…

Elise prova ser tão fogosa e sexualmente temível que Lucien se interroga se ela se poderá alguma vez submeter a ele. À medida que ambos se afundam numa perigosa dança sexual, Lucien interroga-se se estará a perder o rumo ou se ela se entregará a ele…
 
Título: Dragões de uma Noite de Inverno
Autor: M. Weis e T. Hickman 

Os nossos heróis venceram uma batalha, mas não venceram a guerra pelo destino de Krynn. Os servos de Takhisis, a rainha dos Dragões, estão de volta e os povos de todas as nações precisam de lutar para salvar os seus lares e manter a própria liberdade. Mas há muito que as raças estão divididas pelo ódio e preconceito. Guerreiros elfos e cavaleiros humanos lutam entre si e a guerra parece estar perdida antes de começar. Forçados a separarem-se pelos acontecimentos, passará ainda algum tempo antes que os nossos heróis se reencontrem. Perseguidos por estranhos sonhos e profecias sinistras, o grupo parte em busca das misteriosas e lendárias orbe e lança do dragão.

Conseguirão, juntos, fazer frente às trevas? E será possível para um cavaleiro caído em desgraça, enfrentar, à pálida luz do inverno, as forças de Takhisis?

Novo livro de Luis Sepúlveda para miúdos e graúdos chega no dia 6 às livrarias

Título: História de um gato e de um rato que se tornaram amigos
Autor:
Luis Sepúlveda
Tradutor: Helena Pitta
Págs: 64
PVP: 13,30 €

A 6 de maio, a Porto Editora publica História de um gato e de um rato que se tornaram amigos, de Luis Sepúlveda, um livro sobre o verdadeiro valor da amizade, com preciosas ilustrações de Paulo Galindro. Baseado num episódio da vida de um dos filhos do autor, História de um gato e de um rato que se tornaram amigos é uma fábula que promete agradar a crianças e adultos, à semelhança de História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, o seu livro mais conhecido em Portugal.
Luis Sepúlveda vai estar em Portugal nos dias 1 e 2 de junho para participar na Feira do Livro do Lisboa e para contactos com a comunicação social.

Sinopse:
Max vive em Munique com os seus pais e irmãos - e com Mix, o seu inseparável gato preto com uma mancha branca na barriga. Amigos desde a infância, quando Max cresce e decide mudar de casa, leva Mix consigo. Mix adora viver no novo apartamento. Mas quando Max começa a trabalhar e não pode estar tanto tempo em casa, Mix, que está a envelhecer e a perder a visão, sente-se cada vez mais sozinho.
Um dia, Mix ouve uns passinhos suaves vindos da despensa e descobre que há um ladrão a comer os cereais crocantes do dono. Esperto, Mix deixa-se ficar quieto e, de repente, com a rapidez de outros tempos, estica a pata e sente o corpo trémulo de um minúsculo ratinho. Mex, como é batizado, é um ratinho mexicano, muito medroso e charlatão. Mas os verdadeiros amigos apoiam-se um ao outro e juntos aprendem a partilhar o que de melhor têm dentro de si.

Sobre o autor:
Luis Sepúlveda nasceu em Ovalle, no Chile, em 1949. Da sua vasta obra (toda ela traduzida em Portugal), destacam-se os romances O Velho que Lia Romances de Amor e História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar. Mas Mundo do Fim do Mundo, Patagónia Express, Encontros de Amor num País em Guerra, Diário de um Killer Sentimental ou A Sombra do que Fomos (Prémio Primavera de Romance em 2009), por exemplo, conquistaram também, em todo o mundo, a admiração de milhões de leitores.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Apresentação do livro: Duquesas e Marquesas de Portugal


Cocktail de apresetação Dieta Dukan


Morte na Aldeia - Caroline Graham [Opinião]

Título: Morte na Aldeia
Autor: Caroline Graham
Género: Crime à Hora do Chá - Volume 1
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 312
Editor: Edições Asa

Sinopse:
Badger’s Drift é a típica aldeia inglesa onde todos se conhecem e, aparentemente, nada acontece. Tem um vigário, um médico desastrado, umas quantas figuras excêntricas e uma solteirona amorosa, famosa pelas suas bolachas caseiras. Mas quando a velhinha morre subitamente, a sua melhor amiga não se conforma. Ela sabe que aquela morte não foi natural. O inspector-chefe Barnaby e o incansável sargento Troy não têm alternativa senão investigar. E o lado sombrio da pitoresca aldeia começa lentamente a ser revelado. Perante velhos ressentimentos e novas rivalidades, ódios intensos e paixões dissimuladas, Barnaby está cada vez mais alarmado. Infelizmente, um segundo e hediondo crime vai confirmar as suas piores suspeitas.

Morte na Aldeia foi considerado um dos 100 Melhores Policiais de Sempre pela Crime Writers’ Association.

A minha opinião:

Quando li a sinopse deste livro vi logo que ia gostar. Já era telespectadora assídua dos crimes de Midsomer Murders na Fox Crime e gostava particularmente das pessoas que habitam na pequena localidade inglesa, com feitios peculiares, rústicas, que me atraíram bastante.

No livro podemos encontrar todas estas personagens e com a particularidade da história ser mais abreviada do que a série.

Escrito em 1987, Morte na Aldeia começa com o assassinato de uma velhinha. Inicialmente tudo parecia indicar que esta tenha morrido de velhice, mas a sua melhor amiga desconfiou logo que esta tinha sido assassinada. Fã de romances policiais, a melhor amiga de Emily Simpson contacta o inspector Barnaby a fim de uma investigação mais profunda, que resulta de facto num assassinato. Emily foi assassinada com cicuta.

Será que o que ela viu naquela tarde está directamente relacionado com o seu assassinato?

A cuscuvilhice, própria de uma pequena aldeia, é uma constante no romance, e penso que será nos demais livros escritos pela autora, e será ela a dar pistas e mais pistas a Barnaby e ao sargento Troy.

Para quem gosta da série, e é fã da escrita de Agatha Chistie vai render-se, tal como eu, a este primeiro livro de Caroline Graham. E o facto de ter sido escrito há 26 anos não é impedimento.

O livro de estreia desta nova série da Asa, Crime à hora do Chá, traz um bom prenúncio para o que serão os policiais a ser publicados daqui para a frente pela editora.