sexta-feira, 18 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Piano Piano - Davide Cali [Opinião]

Título: Piano Piano
Autor:
Davide Cali
Ilustrador: Éric Héliot
Tradução: Carolina Ventura
Nº de páginas: 32
PVP: 13,80 €
Idade: a partir dos 4 anos
Data de publicação: Abril 2012

Cling, clang, clong! Todos os dias, à mesma hora, o pequeno Marcolino pratica piano para poder vir a ser um grande pianista, como é a vontade da sua mamã. Mas, na verdade, ele tem outros planos…

A minha opinião:
Este fantástico livro espelha o que acontece com muitos meninos como o Marcolino, onde os pais depositam os seus próprios sonhos nos sonhos dos seus filhos. Todos os dias a mãe de Marcolino o obriga a praticar piano. Era assim que ela fazia com o intuito de se tornar uma grande pianista. Ou será que não?

Mas Marcolino quer tudo, menos ser pianista.

Um livro para as crianças, mas cujos adultos também devem ler e, sobretudo, reflectir...


Ilustração excelente!

As saudades que tenho de Inácia - Manuel Jorge Marmelo [Opinião]

Título: As saudades que tenho de Inácia (DN Contos Digitais #9)
Autor:
Manuel Jorge Marmelo

Inácia é uma mulher da ilha de São Nicolau, em Cabo Verde. É feia e porca, e a sua vida resume-se a carregar, para trás e para a frente, cargas de lenha, água e sacos e grão. Na memória de um homem, porém, nha Nácia pode transformar-se numa doce recordação. 


A minha opinião:
Um velho caboverdiano recorda com saudade Inácia, uma mulher, segundo ele, feia, com um grande bigode e porca. Uma mulher que todos gozavam... 
Mas aquela velha feia conquistaria o coração do velho que recorda dos momentos de paixão, fugazes, que teve com ela, quanto ainda eram novos e lamenta não ter assumido a relação dos dois enquanto podia. 
O conto de Manuel Jorge Marmelo gira à volta do mesmo, com o protagonista a relembrar-se das conversas que tinha com os seus amigos de café sobre Inácia e como todos desdenhavam da pobre coitada.
Apesar de não ser cativante não desgostei.  

Novidade Guerra e Paz: História Politicamente Incorrecta do Portugal Contemporâneo – De Salazar a Soares

Título: História Politicamente Incorrecta do Portugal Contemporâneo – De Salazar a Soares
Autor:
Henrique Raposo
Género: Não Ficção / História e Política
N.º de Páginas: 144
PVP: € 12,99
Guerra e Paz | Livros Politicamente Incorrectos
Nas livrarias a 24 de Janeiro

Num livro rigoroso, bem fundamentado e sem medo, Henrique Raposo confronta-nos com factos e tira conclusões que nos fazem repensar Portugal.

«História Politicamente Incorrecta do Portugal Contemporâneo – De Salazar a Soares» é o novo título da colecção “Livros Politicamente Incorrectos” e promete abalar os alicerces da nossa memória colectiva, desfazendo mitos que giram em torno de Salazar, Cunhal e Soares. “Limitei-me a apontar o dedo para os elefantes que estão sentados no salão de chá da nossa memória colectiva,” afirma o autor, Henrique Raposo.
Trata-se de um livro actualíssimo, que vai ajudar os leitores a compreender melhor e de forma mais substancial as raízes da situação em que o País se encontra. Ou, pelo menos, levar a discussão a outros níveis.

“Sem o saber, grande parte da nossa direita continua colonizada pela esquerda”
“Se a primeira metade do século XX foi cunhada pela ambiguidade de Salazar, a segunda metade foi marcada pela ambiguidade de Mário Soares”
 

Novidade Esfera dos Livros: Segredos da Maçonaria Portuguesa

Imagino que já se questionou sobre o que é realmente A Maçonaria Portuguesa. Quem são? O que fazem? Quais os rituais? Que poder e influência têm nas decisões que importam à sociedade? Como estão organizados? Quais os segredos e polémicas em que estão envolvidos?

As perguntas sobre este tema são intermináveis, mas o jornalista António José Vilela, depois de uma pesquisa rigorosa, conseguiu desvendar os segredos das duas maiores correntes maçónicas portuguesa, GOL e GLLP/GLRP. Descobriu como são feitas as iniciações de novos membros, quais os sinais secretos usados entre maçons e como funcionam os principais órgão da maçonaria.

Sinopse:
Em Segredos da Maçonaria Portuguesa conta-se as histórias dos pedidos de favores maçónicos a Paulo Portas e os convites do GOL e da GLLP/GLRP a Pedro Passos Coelho e António José Seguro. Mas também a revolta maçónica contra o gestor António Mexia, a iniciação de Isaltino Morais, a festa maçónica com o cantor-imitador Fernando Pereira, o episódio do mestre maçon que mudou de sexo e todos os pormenores da sessão em que Nuno Vasconcellos foi eleito venerável da Loja Mozart. Nesta investigação inédita, o jornalista António José Vilela, que há mais de dez anos investiga este tema, desvenda por completo os segredos das duas maiores correntes maçónicas portuguesas, o Grande Oriente Lusitano (GOL) e a Grande Loja Legal de Portugal/Grande Loja Regular de Portugal (GLLP/GLRP), o seu poder e a sua influência na sociedade e no mundo da política nacional. Através dos próprios documentos secretos internos maçónicos, reproduzidos nesta obra, ficamos a saber como são feitas as iniciações de novos membros, quem guarda os livros dos maiores segredos da Irmandade do Bairro Alto, quais são os sinais secretos usados entre maçons e como funcionam os principais órgãos da maçonaria. Conhecemos ainda o vasto património da maçonaria, quem são os maçons eleitos para o Parlamento do GOL, o que dizem as atas confidenciais das sessões, onde, entre outros assuntos, já se votou a criação de serviços de inteligence e as ligações do espião Jorge Silva Carvalho aos altos graus da maçonaria e ao atual ministro Miguel Relvas. Hoje, há maçons em todos os distritos de Portugal. E quando um novo membro é recrutado para o GOL, os irmãos exigem-lhe que identifique por escrito quais são os seus inimigos. Porventura, o seu nome já lá está…

Sobre o autor:
António José Vilela Jornalista desde 1992, 44 anos, é grande repórter da revista Sábado. Licenciado e doutorando em Comunicação Social, mestre em Ciência Política, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), da Universidade Técnica de Lisboa. Venceu dois prémios nacionais de jornalismo: Prémio Reportagem Segurança Rodoviária e Prémio Reportagem Orlando Gonçalves ambos com trabalhos publicados na Notícias Magazine (Diário de Notícias/Jornal de Notícias). É autor dos livros Viver e Morrer em Nome das FP 25 de Abril (2005); Segredos e Corrupção, o Negócio das Armas em Portugal (2009); e Salazar e a Conspiração do Opus Dei (2011).

BOOKSMILE: Novo livro dos One Direction - 100% Não Oficial * 100% Directioner

One Direction: Cinco Estrelas (4,99€) chega às livrarias nacionais no dia 24 de janeiro.

Abrem as bilheteiras. Em sete horas... Esgotado! Foi em tempo recorde, segundo a empresa responsável pelo evento, que “desapareceram” os bilhetes para o primeiro concerto em Portugal da banda fenómeno One Diretion, o último da digressão europeia destas jovens estrelas mundiais.

O concerto agendado para dia 26 de maio, no Pavilhão Atlântico, marca a tão esperada estreia da boysband em terras lusas. E, como é habitual nestes fenómenos, as fãs procuram saber tudo sobre os seus ídolos, pois são eles o atual e preferido tema de conversa. Todas as Directioners querem saber os segredos, os pormenores mais íntimos e, claro, ter a imprescindível imagem dos cinco rapazes na parede do quarto.

A Booksmile decidiu juntar-se à festa dos One Direction, e partilhar com as todas as “Directioners” um livro recheado de fotografias inéditas, segredos e revelações, onde a estrela maior é o POSTER GIGANTE (oferta) para pendurar na parede.

Os fabulosos números dos One Direction
O fenómeno One Direction nasceu em finais de 2010, na sequência do programa X-Factor. Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Zayn Malik e Niall Horan não se conheciam, mas pelas mãos do conhecido produtor Simon Cowell tornaram-se um fenómeno um ano depois. O single de estreia, "What Makes You Beautiful", foi lançado no dia 11 de setembro de 2011 e foi de imediato um êxito de vendas, batendo recordes em Inglaterra, com o sucesso a ultrapassar fronteiras, rumo a outros Continentes. Desde então, os One Direction não têm parado, com vendas milionárias e concertos esgotados. One Direction: Cinco Estrelas promete também brilhar em Portugal, mas nas livrarias.
- Mais de 12,5 milhões de fãs no Facebook;
- Novo single, Kiss You, com mais de 32,3 milhões de visualizações em apenas 10 dias (Youtube);
- Mais de 15 milhões de discos vendidos em todo o mundo (até 12 de nov. 2012);
- Concerto em Portugal no dia 26 de maio de 2013, no Pav. Atlântico, esgotado em 7 horas;
- O negócio gerado pelos One Direction representa mais de 50 milhões de dólares;
- Vencedor de 4 MTV Video Music Awards; 1 Brit Award, entre outros prémios;­­
- 1.º lugar nos Kid’s Choise Awards em 2011 e 2012.
quinta-feira, 17 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Apresentação do livro Grandes Naufrágios Portugueses


Matéria-prima lança «Alguém no Céu Gosta de Si» de Arielle Ford

Título: Alguém no céu gosta de si
Autor:
Arielle Ford
Género: Espiritualidade
Número de páginas: 184
PVP: € 13,90

«Eu não acreditava em milagres, mas agora tenho provas.»OS GRANDES MILAGRES ACONTECEM A PESSOAS COMUNS.
A PROVA DE QUE NÃO TERMINAMOS COM A MORTE
ESTÁ À NOSSA VOLTA.
 

Sobre o Livro:
Este livro é uma colecção de relatos extremamente invulgares, inspiradores e sensibilizadores de pessoas comuns que viveram experiências incomuns, ou mesmo místicas. Inclui histórias de assombro e felicidade plena, de anjos, de ocorrências milagrosas, de experiências próximas da morte, de intervenções divinas, de curas, de transformações pessoais, de encontros com homens e mulheres santos, e de coincidências fantásticas.
As pessoas que as contam têm as mais variadas origens. São escritores, médicos, bailarinos, músicos, professores, pasteleiros, actrizes, advogados, arquitectos, estudantes, funcionários públicos, locutores de rádio, jornalistas.
As histórias de Alguém No Céu Gosta de Si destinam-se àqueles que acreditam numa presença invisível que nos ama e protege. Gosto de pensar nelas como contos de fadas para adultos (crianças grandes!), na maioria com final feliz. Como os contos de fadas, muitas destas histórias revelam pedaços escondidos de sabedoria que tornarão a vida de quem as lê mais rica e gratificante. Porque o universo tem um sentido e uma razão, e o que acontece nas nossas vidas não é meramente casual.
 

Sobre a autora:
Arielle Ford vive em La Jolla, Califórnia (Estados Unidos), com o marido Brian Hilliard, que define como a sua alma gémea, e com os seus gatos. Autora de dezenas de livros que atingiram o topo da lista internacional de vendas, Ford teve o seu maior sucesso com Alguém No Céu Gosta de Si, o primeiro de uma série em que reúne testemunhos reveladores sobre a vida, a morte e a espiritualidade. É também uma reconhecida oradora, participando em centenas de palestras todos os anos: ajuda pessoas a encontrar uma maior paz espiritual e um equilíbrio que abra portas a todo o seu potencial.
Amiga pessoal de Deepak Chopra, Miguel Ruiz e Donald Walsch, Ford partilha com eles a visão sobre o sentido da vida e sobre a necessidade que todos temos de evoluir espiritualmente.
Depois de anos de pesquisa e de intensas experiências pessoais, Arielle Ford acredita, com todo o seu coração, que aqueles que amamos continuam connosco mesmo depois de partirem. E que a vida tem um sentido divino e está repleta de sinais, escondidos atrás das mais pequenas coisas. No seu tempo livre recolhe fundos para ajudar crianças desfavorecidas através da plataforma www.justlikemychild.org.

Guerra e Paz aposta em Todas as Palavras de Amor de Ana Casaca

Com uma tiragem de quase 20 mil exemplares, a editora acredita que «Todas as Palavras de Amor», da escritora portuguesa Ana Casaca, tem todos os ingredientes para se transformar no primeiro “bestseller” de 2013.

“A um Portugal deprimido e descrente, este romance oferece sonho e crença, um sonho e crença que temos dentro de nós mesmos. É preciso redescobrirmos a paixão, é preciso não desistirmos do amor nas nossas vidas e essa é a grande lição deste romance,” afirma Manuel Fonseca, responsável editorial da Guerra e Paz.

Ana Casaca, a autora de “Todas as Palavras de Amor” escreveu o seu primeiro romance há 10 anos. Ao lê-lo, Manuel Arouca decidiu logo que Ana Casaca tinha de integrar as suas equipas de guionistas das novelas que escreve para vários canais de televisão. Nos últimos anos, Ana Casaca participou na escrita de novelas como “Baía das Mulheres” (TVI), “Tu e Eu” (TVI) e “Podia Acabar o Mundo” (SIC), entre outras.

«Todas as Palavras de Amor» é o romance de um engano. Como explica Ana Casaca: “É um romance que nasce de um engano, mostrando-nos que todos os caminhos são válidos para encontrarmos um grande amor, ou as respostas que buscámos uma vida inteira. Inspirei-me num engano real, pois recebi durante muito tempo, postais de viagem de um remetente que não conhecia. A morada era a minha, mas o destinatário era alguém que nunca morou neste endereço.”

Aprenducar com a Mãe Natureza - Miguel Almeida [Opinião]

"Aprenducar com a Mãe Natureza" é o nono livro do escritor Miguel Almeida, e o segundo dedicado aos mais pequenos.


"Os brinquedos que ficam espalhados pela casa toda ao final do dia são apenas o ponto de partida para um conjunto de histórias que passam pelas brincadeiras de antigamente e pela importância de dar e partilhar, e que acabam na necessidade de reciclar e cuidar da Mãe Natureza.
De segunda-feira a domingo, um capítulo para cada um dos dias da semana.

Um livro para as crianças que gostam de aprender e para os pais que gostam de educar."

A minha opinião:
Uma bela surpresa este livrinho que irei ler para a minha filha quando ela for um bocadinho mais crescida. 
Miguel Almeida vivencia a sua experiência enquanto pai, mas também educador, e cria uma história que ajuda os mais novos a respeitar a mãe natureza. 
Um livro contado em sete pequenas histórias, como os dias da semana, e que ajuda as crianças a entenderem a importância de arrumar os brinquedos, a dar aqueles que já não gostam e a reciclar os materiais que já não têm utilidade.
Gabriel, o menino da história, todas as noites ouve uma história, para depois contar ao seu amigo Chireto, personagem já existente num outro livro de Miguel Almeida. 
É um livro adorável, enternecedor e educativo. 
Recomendo a quem tem crianças pequenas. 


 

A Moeda - Gonçalo M. Tavares [Opinião]

T
Título: A Moeda (DN Contos Digitais #8)
Autor:
Gonçalo M. Tavares

Kartopeck, homem rude, avesso à cidade, vê o seu rosto desfigurado por manchas enigmáticas que lhe causam um enorme desconforto. Pensa que vai morrer. A prostituta que lhe vende os serviços conta-lhe as moedas, mas também as manchas. E ri-se.

A minha opinião:

Sem palavras para descrever este conto.

Kartopeck, um homem “labrego” como ele próprio se intitula, ruma à cidade com a mãe, doente mental, a fim de saber se as manchas que lhe vão desfigurando a cara são malignas. Apesar do enorme desconforto, o médico diz-lhe que não tem nada de mal.

Noutro cenário, vemos o homem com uma prostituta que lhe conta as manchas na cara ao mesmo tempo que lhe conta as moedas, pagamento pelo serviço...

É certo que o texto está pejado de metáforas, que nos remetem para uma outra visão do conto, no entanto, isso não foi suficiente para me prender.

Novidades Papiro Editora


Título: Ouvindo o Mar
Autor:
Manuel Sancebas
Género: Poesia
N.ºde Páginas: 96
PVP: 10,60€

Sou solteiro, mas de raça.
Ouço queixas e reparo
que para ter mulher de graça,
dizem eles: _ ca caro!”
Sou de Espinho, não sei nadar; sou medroso e isto diz tudo.
Bem-haja a sina pelo meu estado civil: «esperto».

No entanto, deixo um _ lho que se chama Ouvindo mar.
Obrigado aos amigos que tanto me incitaram para que
escrevesse os poemas da minha vida.
Ó _ lho, espero que sejas considerado como o teu pai.


Sobre o autor:
Manuel António Gomes da Silva nasceu a 29 de março de 1931 no Lugar do Rio Largo, Espinho.
Na adolescência, iniciou a sua vida musical no Orfeão de Espinho e foi aluno do curso de acordeão do maestro Fausto Neves.
Criou aos 18 anos, com alguns amigos, a comissão de festas de S. João do Rio Largo, que organizou durante 50 anos.
Aos 26 anos, concluiu o 4.º ano do Curso Geral de Comércio na Escola Industrial e Comercial de Espinho.
Iniciou-se no Teatro, no Centro Cultural Dr. Manuel Laranjeira, sendo autor do texto dramático Maldita Matemática — comédia de ato único, representada no antigo Teatro S. Pedro, em Espinho —, e integrou o Grupo Coreográfico de Espinho.
Na Associação Académica de Espinho, praticou voleibol e hóquei em campo. Foi inscrito aos 33 anos como jogador de hóquei em patins (tapa-furos). Foi seccionista de todas as modalidades que praticou e em hóquei de sala foi campeão europeu na série C, em Sófia, Bulgária.



Título: a vida a rimar
Autor: Mino
Género: Poesia Infanto-Juvenil
N. de Páginas: 60
PVP: 12€

A vida a rimar é um livro que se lê a brincar.
Destinado a crianças e sobre crianças, transforma em poesia situações e aventuras puramente imaginadas, mas inspiradas na realidade.
O leitor infantil facilmente se identificará com as personagens deste livro, interiorizando, à medida que saltita de verso em verso, algumas temáticas interessantes, como a sabedoria dos mais velhos, a inocência dos mais novos, o heroísmo e a honradez da profissão de bombeiro e a aceitação das diferenças de cada um.
De forma singela, um dos objetivos deste livro é abordar a dinâmica das relações entre as crianças e entre elas e os adultos, mas também dar a conhecer Portugal e o seu diversificado universo linguístico, pela menção de palavras engraçadas açorianas.

Sobre o autor:
Cristiano Dias Neto nasceu no Brasil em 1978. Com pouco mais de 1 mês de idade partiu com os pais para Coimbra, onde permaneceu até aos 26 anos. Concluiu, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, a Licenciatura de Jornalismo em 2002, tendo efetuado estágio curricular na Antena 1 e Antena 2, em Lisboa. Após a conclusão dos estudos universitários, exerceu algumas atividades no âmbito infantil: fez locução de desenhos animados e foi monitor de miniténis em escolas primárias. Em 2005, emigrou para Dublin, onde trabalhou como rececionista de hotel e funcionário administrativo na maior universidade irlandesa, University College Dublin. Atualmente, reside em Nice, no sul de França, onde ainda trabalha no setor da hotelaria. Para além da escrita, da comédia, da música e do desporto, Cristiano Dias Neto encontra nas viagens outra das suas grandes paixões, tendo viajado de mochila às costas pelos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Vanuatu.
Sob o pseudónimo de Mino, estreia-se na escrita com a obra infanto-juvenil A vida a rimar.


Título: A Casa de São Cláudio
Autor: Paulo Leme
Género: Novela
N.º de Páginas: 148
PVP: 13€

Criado no seio de uma família tradicional portuguesa, Saulo é um homem de fé: em si mesmo, em Deus e na Humanidade. A sua experiência como pessoa, como profissional e como poeta dá-nos a conhecer o mundo visto pelos seus olhos e mostra-nos o que deve ser verdadeiramente importante na vida do Homem moderno.
Uma viagem que nos transporta para o meio rural e agrícola do século XX em Portugal, com especial destaque para o Minho vinhateiro. Uma reflexão sobre os problemas atuais da humanidade e a apresentação de uma nova forma de ver a vida.
Uma lição de fé, de amor, de arte, de astronomia… uma lição de vida!

Sobre o autor:
Paulo Costa Leme nasceu na freguesia de Curvos, Esposende, em 1955. Ingressou na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, mas não gostou do curso e dedicou-se aos trabalhos agrícolas na exploração dos pais. Em 1976, começou os seus estudos de Engenharia Agronómica no Instituto Superior de Agronomia, que terminou em 1982.
O seu gosto pela escrita começou cedo, no início da adolescência, altura em que redigiu os seus primeiros versos, infelizmente perdidos quase na totalidade num incêndio.
A par do exercício da sua profissão como engenheiro agrónomo, desenvolveu a atividade literária. Assim, conta já com um vasto leque de obras publicadas: poemas e artigos de cariz ensaístico, ficcionista (1986–1991); um conto sobre a região envolvente da Régua, premiado nos Jogos Florais promovidos pela Associação Cultural do Alto Douro (1990); artigos no jornal Diário do Minho (1995–2004); e uma obra histórico-literária intitulada Uma Família Portuguesa (2008). Publicou ainda obras técnico-científicas, como a sua tese de mestrado, Avaliação do Regime Hídrico em Vinha na Sub-região de Amarante.
Além de se dedicar a pesquisas e à publicação dos seus estudos, desenvolve, atualmente, uma sólida atividade vitivinícola, com o intuito de perpetuar a obra começada pelos pais.


Título: O Funeral do Ponto de Vista do Morto
Autor: José Alberto Silva
Género: Romance
N.º de Páginas: 266
PVP: 17€

Artur morre nos braços da sua secretária/amante, num quarto de hotel. Durante as diversas fases que decorrem desde essa nefasta ocorrência até ao seu funeral, Artur passa em revista a maior parte da sua vida, recordando a adolescência, o despontar do seu amor pela esposa, a Guidinha, e a sua progressão na empresa do sogro, ao mesmo tempo que revive os acontecimentos políticos do Portugal do fim da ditadura e do período pós-25 de Abril, que o envolveram diretamente, primeiro na universidade onde estudou, e depois, ao longo do período revolucionário, na sua vida com a família da esposa.
Através das relações que se vão estabelecendo entre as diversas pessoas que se atravessaram na sua vida, Artur vai revivendo emoções durante as diversas fases do seu funeral, até que se apercebe de que a sua morte não terá sido tão natural como parecia à primeira vista.
E será que o arguto inspetor Coimbra conseguirá descobrir todo o segredo da morte de Artur e lhe proporcionará, finalmente, o eterno descanso?

Sobre o autor:
JOSÉ ALBERTO SILVA nasceu no Porto em 1954. Licenciou-se em Medicina na Universidade do Porto em 1977. Atualmente é Chefe de Serviço de Medicina Interna e dirige a Unidade de Hipertensão e Risco Cardiovascular do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos. Foi Professor Auxiliar convidado da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto e atualmente é Docente da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa. É Presidente da Comissão de Ética da ULS de Matosinhos e integra a Comissão de Ética da Universidade Fernando Pessoa.

É autor de dezenas de trabalhos científicos da sua área profissional, publicados em revistas nacionais e estrangeiras, e de vários capítulos em livros técnicos.
Publicou alguns trabalhos literários no jornal “A Memória do Elefante” e na revista “Cinéfilo”.
É autor de uma coletânea de contos, Histórias Clínicas (2006), e de um romance, Começar Pelo Intervalo



Título: Joquinha e a coruja Felizberta
Autor:
Anne caroline Soares
Género: Infanto-Juvenil
N.º de Páginas: 24
PVP: 10€

Esta é uma história que nos ensina que, independentemente da cor ou da estatura, podemos e devemos ser todos amigos. Viver com as diferenças é normal. Enfatiza que temos que ser amigos de todos.


Sobre o autor:
Anne Caroline Soares nasceu em São Carlos, São Paulo, em 1978. Mudou-se com os pais e dois irmãos para Portugal quando tinha 14 anos. Formou-se em Comunicação na Escola Superior de Educação de Coimbra. Aos 24 anos teve um acidente de viação e ficou tetraplégica.
Realiza a hora do conto para crianças e lança agora o seu terceiro livro infantil: a aventura do Joquinha!



Título: A Vida mais estranha que tive
Autor:
Patrique Feijão
Género: Romance
N.º de Páginas: 320
PVP: 18€

A vida mais estranha que já tive é uma história de amor, sobretudo pela ausência de amor, é uma crítica social através de um personagem, cuja vida seguimos em diferentes momentos temporais.
Somos levados para um mundo imaginário que poderia começar no verdadeiro hoje até às dúvidas do amanhã. É uma viagem, interior e exterior, sobre muito daquilo que nos toca, quer como seres individuais, quer como parte de um todo.
Num discurso por vezes frio, outras vezes humoristicamente negro, esta é uma vida estranha demais para não querer conhecer.



Sobre o autor:
Patrique Feijão nasceu em Paris, em 1980, tendo vindo para Portugal com apenas 5 meses de vida. É pombalense, mas considera-se um cidadão do mundo. Já viveu em diferentes países e diversas cidades.
A sua vida divide-se entre duas grandes paixões: a literatura e as viagens.
Patrique Feijão vê-se como um eterno viajante e, talvez por isso, o que já viveu continue ainda a ser insuficiente para alongar esta biografia.


Título: Inimigo Natural
Autor:
Teresa Silva
Género: Romance
N.º de Páginas: 492
PVP: 15€

Uma vingança planeada. Os pormenores todos pensados. Tudo corria de forma perfeita, nada os impedia. Exceto um pequeno detalhe…
O raptor está perdidamente apaixonado pela refém, mas tudo tinha corrido demasiado bem para ser isso a deitar tudo a perder.
Ele queria salvá-la porque a vingança terminaria na sua morte, mas esta era em parceria com o pai e não o queria desiludir. Esperara demasiados anos até àquela altura.
Ele tinha que tomar uma decisão.

Sobre o autor:
Teresa Silva é natural de Guimarães. Adquiriu hábitos de leitura desde pequena, mas escrever sempre foi a sua paixão. Desde a primária, como hobbie, escrevia histórias criativas, até que deu a ler a sua primeira história aos seus pais e professores.
O reconhecimento e apoio foram imediatos, nascendo assim o seu primeiro livro, “MAGIA LOUCA”, com apenas treze anos. Teve sucesso a nível escolar na zona circundante de Guimarães, tendo sido convidada para fazer várias apresentações e palestras do mesmo.
Por altura do lançamento deste livro, está a frequentar o secundário na Escola Secundária Martins Sarmento, Guimarães, em Ciências e Tecnologias, embora tenha dado sempre continuidade ao seu gosto.


Título: À Conversa Comigo
Autor: Ricardo Sousa Martins
Género: Romance
N.º de Páginas: 72
PVP: 9,50€

Para alguém que sofre de alexitimia, expressar os sentimentos não é fácil. Mas Luís encontra na poesia uma maneira de sentir e interpretar o mundo, sendo a escrita a forma de se expressar.
Neste romance, Luís leva-nos ao interior da sua mente, numa viagem entre os seus momentos de escrita e as suas vivências surpreendentes e apaixonantes com uma pessoa que surge inesperadamente na sua vida.

Sobre o autor:
O escritor Ricardo Sousa Martins, natural de Madalena, Vila Nova de Gaia, nasceu no Porto a 28 de março de 1991.
Amante de desporto, licenciou-se em Exercício Físico e Animação Desportiva, estando atualmente a lecionar nas piscinas municipais de Vila Nova de Gaia.
O seu interesse literário prende-se com a Poesia e o Argumento.

Não sendo um leitor assíduo, diz: “Não consigo pegar num livro e simplesmente ler até ao fim, prefiro ler blogs de pessoas que, tal como eu, partilham a vida em textos poéticos. O único livro com mais de 50 páginas que consegui ler, vezes sem conta, foi o meu.” Inspirado por Álvaro de Campos e Eugénio de Andrade, tem como alguns dos seus poemas favoritos o Poema em linha recta e o Adeus, pela brutalidade das palavras.





Tìtulo: Gestão de PME
Autor: Francisco Vilela
Género: Guia Prático
N.º de Páginas: 72
PVP: 10€

«(…) não posso deixar de referir que considero o tema pertinente no contexto económico em que vivemos e interessante a forma prática e directa como é feita a abordagem, numa linguagem simples, despretensiosa e facilmente assimilável pelo público a que se dirige.»
António Vilela, Outubro de 2012 (Gestor de Empresas)

«A importância da gestão de curto prazo, nomeadamente nas pequenas e médias empresas, a relação a desenvolver com os clientes, com realce para as formas de obtenção de informações sobre aqueles, as cobranças, o seguro de crédito, o factoring, as relações com os fornecedores são os temas fulcrais que atravessam esta obra, tratados com uma linguagem que pode criar uma vasta audiência de leitores pela sua objectividade e simplicidade e ser sempre uma fonte de consulta para os que trabalham nestas áreas.» Rui Leão Martinho, Outubro de 2012 (Economista/Gestor-Bastonário da Ordem dos Economistas)


Sobre o autor:
Francisco Vilela é mestre em finanças e licenciado em Gestão, possuindo uma pós-graduação em Gestão de Bancos e Seguradoras.

Toda a sua carreira profissional se desenvolveu na área de análise de risco de crédito, primeiramente em instituições financeiras e, no presente, como responsável de risco de uma multinacional em Portugal.

No seu dia-a-dia lida com inúmeras empresas dos mais diversos sectores e cada vez mais se convence de que não são apenas as instituições financeiras que estão expostas ao risco de crédito mas todas as empresas, sendo esse um dos principais riscos e com o qual os pequenos e médios empresários estão pouco preparados para lidar.

Nesta sequência começou a desenvolver um trabalho que culminaria com um manual prático de gestão de clientes e risco de crédito.



Título: Não posso esquecer as margens do Rio Este
Autor: Conceição Fernandes
Género: Vários
N.º de Páginas: 72
PVP: 8,20€

Desde os tempos mais remotos que inúmeras aldeias se edificaram ao longo do rio Este. Entre elas, uma mais especial, Este S. Mamede, também conhecida por Vale d’Este, por estar construída em função do curso do rio.
Nesta aldeia existe Sãozinha, uma menina que cedo se tornou mulher, uma menina que cresceu em Este S. Mamede e desde sempre aprendeu com a sua gente.
Em Não Posso Esquecer As Margens Do Rio Este, Sãozinha, agora mais velha, leva-nos até à sua aldeia através das suas memórias, dando-nos a conhecer a sua história e a dos seus habitantes, mas também as suas próprias aventuras.
 

Sobre o autor:
Maria da Conceição Fernandes nasceu a 9 de junho de 1964, em Este S. Mamede, concelho e distrito de Braga.
Fez todo o seu percurso académico em Braga, tendo-se licenciado em Humanidades Clássicas pela Universidade Católica Portuguesa. Posteriormente, fez uma pós-graduação em Educação de Adultos pela Universidade do Minho.
Atualmente leciona Língua Portuguesa no Agrupamento de Escolas de Calendário, Vila Nova de Famalicão, e reside desde sempre em Braga.
Entre ser mãe e professora, consegue ainda organizar o seu tempo participando em diversas atividades de cariz social, nomeadamente, como Presidente do Lions Clube de Braga, e dedicando-se à escrita. Gosto do qual surge este seu primeiro livro, Não posso esquecer as margens do rio Este.


Título: A Fada Íris
Autor: Cláudia Sofia Vieira
Género: Infanto-Juvenil
N.º de Páginas: 24
PVP: 10€

O conto é direcionado a todas as crianças que perderam o cabelo durante o seu processo de cura (fazendo quimioterapia), lembrando-nos que não importa o nosso aspeto exterior, desde que o nosso coração se mantenha o mesmo.

Sobre o autor:
Claudia Sofia Vieira foi diagnosticada com cancro da mama em 2010, aos 32 anos. E decidiu, perante a necessidade de fazer quimioterapia, cortar todo o seu cabelo. Dessa experiência surgiu este conto infantil.



Título: A Rua de Cima
Autor
: Mónica Alves Pinto
Género: Romance
N.º de Páginas: 60
PVP: 9€


Atacado por um homem que o confunde com um assaltante/homicida, pelo facto de usar uma pistola de água após o Carnaval, o Zé, personagem principal desta história, depara-se pela primeira vez na sua vida com uma situação de violência. No seio dos seus amigos, ninguém o imagina capaz de qualquer maldade e todos são coniventes com as suas brincadeiras.
A história é baseada em factos reais da vida de um deficiente mental, portador de paralisia cerebral, cuja acção decorre em Guimarães no período que antecede o Carnaval dos seus 32 anos e termina uns dias depois. Desde as peripécias com o telemóvel a fingir, o telemóvel verdadeiro e as brincadeiras de carnaval, culminando com o equívoco que o coloca em grande perigo e a sua inocente mas racional interpretação do sucedido, o livro não deixa de retratar o seu mundo interior cheio de dificuldades, esperança, persistência e, o que é mais notável, sucesso.

Sobre o autor:
Mónica Alves Pinto nasceu em 1964, em Guimarães, onde viveu até aos 18 anos. Filha de Lourenço Alves Pinto, homem da cultura e das letras, inicia a sua colaboração com alguma imprensa local por volta dos 13 anos. Em 1982 ingressa na Universidade do Porto, onde estudou Engenharia Química e Gestão de Empresas e foi co-fundadora de dois jornais universitários. Dedicou a maior parte da sua vida à formação profissional e à consultoria de gestão e actualmente exerce funções técnicas na CCDRN.


Título: A Menina dos Cabelos Cor de Fogo
Autor:
Cláudia Lobo
Género: Infanto-Juvenil
N.º de Páginas: 24
PVP: 10€

Num reino de outro planeta, todos os seus habitantes tinham cabelo azul, o que era motivo de orgulho para eles. Ninguém fugia à regra e não se pensava, sequer, que pudessem existir seres diferentes. Mas nesse planeta habitava uma menina incomum. Uma menina com os cabelos cor de fogo, querem lá ver! Essa menina era muito especial e, na sua diferença, poderia estar a salvação de alguém. Mas o resto vão ter de descobrir, lendo esta maravilhosa história e a sua lição de moral.

Sobre o autor:
Cláudia Lobo nasceu no Porto a 18 de março de 1970.
Incutida desde muito cedo no gosto pela leitura, licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas, estudos Franceses e Ingleses. Num sonho e misto de ideias que, como a própria diz «pululavam» na sua imaginação, Claudia Lobo lança agora o seu primeiro livro infantil, A menina dos cabelos cor de fogo.



Título: Memórias de São Tomé
Autor:
João Marques
Género: Romance
N.º de Páginas: 112
PVP: 9€

Pedro nunca pensou que os pensamentos que anotava sobre o que observava à sua volta e sentia pudessem, um dia, resultar num livro. A noite do lançamento iria ser, talvez, a noite mais importante da sua vida. A noite em que seria a estrela do serão, rodeado da pessoa mais importante da sua vida, a esposa Rita, e dos seus amigos de longa data.
Porém, a vida nem sempre é tudo aquilo que desejamos, e uma doença imprevista na vida deste casal altera alguns planos, mas nunca o amor que os une.

Sobre o autor:
João Marques nasceu em São Tomé e Príncipe a 15 de Junho de 1960, tendo vivido a maior parte da sua vida em Portugal.
Em 1995, escreveu um livro de poesia, Poesias. Em 2010 editou o seu primeiro romance Pedro e Rita e, em 2011, Nunca é tarde para amar de novo.
Sob a chancela da Papiro Editora, edita agora o seu terceiro romance, Memórias de São Tomé.


Título: Nós no Mundo
Autor:
Ricardo Garcia
Género: Crónicas
N.º de Páginas: 144
PVP: 6,50€

Ricardo Garcia tem espevitado os nossos domingos dolentes com as suas crónicas ambientais no Público. Jornalista e brasileiro, como ele próprio várias vezes invoca, está-lhe na massa do sangue a jovial desenvoltura, o sentido de humor e a perspicácia que o leva a encontrar sempre o ponto certo para denunciar o sério sem perder o gosto pelo brincar.
Ao longo de 58 artigos, agora publicados neste livro, Ricardo Garcia consegue conduzir os leitores por um dos mais difíceis registos de informação e mobilização cívica ambiental: o das pequenas coisas da vida quotidiana. Aquelas que constituem as pontas onde a vastíssima malha da insustentabilidade das nossas vidas encontra os dias banais de cada um. Cafeteiras, micro-ondas, cotonetes… até o chichi no duche, tudo lhe permite com graça e com seriedade alertar a consciência e o sentido de responsabilidade ambiental que também se constrói nos meandros do dia a dia todos nós.

Sobre o autor:
Ricardo Garcia nasceu em São Paulo, Brasil, em 1962 e iniciou-se no jornalismo em Portugal, no semanário Expresso. Faz parte do quadro de jornalistas do diário Público desde a sua fundação, em 1989, assinando e coordenando trabalhos, vários deles premiados, nas áreas do ambiente e da ciência. Nós no Mundo : A sustentabilidade no dia a dia — uma coletânea de crónicas galardoadas com o Prémio de Jornalismo Valorsul 2010 — é o seu segundo livro, depois de Sobre a Terra: um guia para quem lê e escreve sobre ambiente.

Inferno é o novo livro de Dan Brown que estará nas livrarias em Julho

Inferno é o novo livro de Dan Brown que estará nas livrarias em Julho.

Novamente editado pela Bertrand, Inferno traz novamente Robert Langdon, personagem protagonista de "O Código Da Vinci" e dos demais romances do autor.
 
Passado novamente em Itália, Inferno versa sobre o clássico da literatura de Dante Alighieri, "Inferno".

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Susana Fortes estreia-se no catálogo da Porto Editora com o seu mais recente romance, A Marca do Herege, que será publicado a 21 de janeiro

Título: A Marca do Herege
Autor:
Susana Fortes
Tradutor: Helena Pitta
Págs: 224
PVP: 16,60 €


A escritora apresenta-nos uma trama policial passada em Santiago de Compostela, onde o assassínio de uma jovem e o desaparecimento de um manuscrito de Prisciliano vão colocar em evidência crentes e hereges, o passado e o presente.
Os cenários misteriosos e frios desta cidade milenar e os personagens, complexos e profundos, são os ingredientes deste romance negro, cuja história é narrada com uma particular sensibilidade poética, inteligência e ironia subtil, que convidam à reflexão sobre a sociedade atual e os interesses que a regem.
Susana Fortes é uma das convidadas do encontro Correntes d’Escritas 2013, que se realiza em fevereiro na Póvoa de Varzim.


Sobre o livro:
A descoberta do cadáver de uma jovem na Catedral de Santiago de Compostela cai como uma bomba na cidade. Ao mesmo tempo desaparece um manuscrito de Prisciliano, o grande herege galego. O comissário Castro ocupa-se de ambos os casos com a ajuda de dois jornalistas determinados: Laura Márquez, uma jovem bolseira que chega à cidade fugindo dos seus próprios fantasmas, e Villamil, um repórter veterano e meio anarca que já conheceu dias melhores na profissão.
Uma trama em ritmo crescente onde se cruzam ecologistas, peregrinos, professores universitários, tubarões das finanças e padres que fazem as suas próprias apostas de salvação numa cidade levítica.

A Marca do Herege é um thriller viciante que nos convida a viajar no tempo, transferindo a atmosfera ameaçadora do melhor romance policial para as ruas inesquecíveis de Santiago de Compostela.

Sobre a autora:
Licenciada em Geografia e História pela Universidade de Santiago de Compostela e em História da América pela Universidade de Barcelona, reside atualmente em Valência, conjugando o ensino com o jornalismo e a crítica de cinema.
Os seus romances estão traduzidos em 12 línguas e obtiveram numerosos prémios. Em Portugal, estão publicadas as suas obras Querido Corto Maltese, Ternos e Traidores, Fronteiras de Areia, O Amante Albanês e Quattrocento – A Conspiração Contra os Médicis.

Ernesto Che Guevara - uma vida em imagens, a 25 de janeiro nas livrarias

Título: Ernesto Che Guevara – uma vida em imagens
Autor:
Pilar Huertas

Género: Biografia
Tradutor: Pedro Carvalho
Formato: 15x23,5cm
N.º de páginas: 320
Data de lançamento: 25 de janeiro
PVP: 18,80€


Che despediu-se dos pais com estas palavras: «Muitos me chamarão aventureiro e sou-o; mas de um tipo diferente, dos que arriscam a pele para demonstrar as suas verdades.»
Ernesto Che Guevara, quarenta anos depois do seu assassínio na serra boliviana, continua a representar o ideal revolucionário que, nos anos sessenta, lutava contra a opressão nos países do Terceiro Mundo. Homem de uma grande vontade e energia, viajante incansável e desportista multifacetado, este argentino universal foi o primeiro dos comandantes rebeldes na Sierra Maestra que contribuíram para o triunfo da Revolução Cubana.
Autora: Pilar Huertas é licenciada em Geografia e História. Com uma clara vocação para a história medieval e contemporânea, tem-se dedicado, mais recentemente, à evolução de Espanha numa perspetiva histórica e sociológica.

A Queda de um Anjo - Afonso Cruz [Opinião]

Título: A Queda De Um Anjo (DN Contos Digitais #7)
Autor:
Afonso Cruz

Uma octogenária descontente com o Paraíso, pois não tem junto a si a pessoa que mais ama, decide viajar para o Inferno. Para ela, o Paraíso pode ser infernal e, ao contrário, o Inferno poderá ser uma fonte de felicidade.

A minha opinião:
Afonso Cruz narra a história de uma idosa que, estando no Paraíso, se mostra descontente por não ter a companhia do marido. Daí desejar ardentemente descer ao Inferno, local onde pensa que o marido está.

Assim, vamos acompanhando a octogenária, em contagem decrescente, pelos andares que a levam ao Inferno, ao mesmo tempo que vamos conhecendo um pouco mais da sua vida, através das suas memórias. Como se de uma pessoa ingénua ou até criança se tratasse, a idosa vai desfiando a sua extensa vida, mostrando um marido que lhe infligia maus tratos físicos, e que dava mais valor à leitura do jornal desportivo que a ela.

A revelação final torna este conto ainda mais especial. É, sem dúvida, o melhor conto até agora.


Excertos:
"Que o mundo não fosse perfeito, compreende-se, mas um paraíso assim é inaceitável."
"Porque uma pessoa não tem só o seu passado, tem também os passados de todos os seus familiares, dos seus amigos, das histórias que leu ou que ouviu."

"A Dieta dos 31 Dias" de Ágata Roquette publicada em Espanha

Depois do sucesso em Portugal a nutricionista Ágata Roquette parte à conquista de Espanha. O livro A Dieta dos 31 Dias foi publicado pela editora espanhola  La Esfera de los Libros, esta semana.

Com cerca de 30 mil exemplares vendidos em Portugal, esta obra que se encontra na 12ª edição, ajudou os portugueses a perderem peso, com uma dieta adaptada aos nossos hábitos alimentares. Aproveito este e-mail para informar que em breve teremos uma nova obra da nutricionista Ágata Roquette.

Ágata Roquette é licenciada em Nutrição e Engenharia Alimentar pelo Instituto das Ciências da Saúde-Sul. Durante anos lutou contra o seu próprio peso, chegando a pesar na altura em que frequentava a faculdade 90 quilos. Atualmente dá consultas no seu consultório no Estoril e colabora com empresas como a Accenture e a Edifer, onde dá consultas aos funcionários das mesmas. Dá ainda consultas na Go Clinic no Atrium Saldanha, onde acompanha sobretudo mulheres grávidas e no pós-parto.
terça-feira, 15 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Anna Karenina - Leão Tolstoi [Opinião]

Título: Anna Karenina
Autor:
Leão Tolstoi
Colecção: Clássicos
Preço: 38.62€
Pp.: 872

Um clássico intemporal!

Por entre o frio de Moscovo e as neblinas geladas de São Petersburgo, uma história de amor imortal que nasce com um simples olhar. Uma paixão trágica que tudo abandona para se dedicar ao amor de um único homem. Uma heroína tão intensa e comovedora como Madame Bovary e a Dama das Camélias, que eternizou o nome de Leão Tolstoi colocando-o na galeria dos grandes génios da literatura universal.

A minha opinião:

Com a chegada do filme Anna Karenina surgiu a reedição da Europa-América deste clássico russo. Ouro sobre azul até porque já há muito tempo que andava curiosa em ler este livro, já que não tinha ainda nada de Lev Tolstói e pouco conheço dos clássicos russos. Contrariamente ao que estava à espera Anna Karenina desde cedo me prendeu pela simplicidade da escrita, como foi descrevendo os costumes da época na sociedade russa e espelhando uma crítica a essa mesma sociedade. 


De um lado a alta sociedade, do outro militares, latifundiários, e os outros que decidem fugir de tudo isso, mas que acabam na miséria e sem ninguém. 
 
A quantidade imensa de personagens e informação faz que, uma vez que pegámos no livro, nunca mais o largamos tal o fascínio que nos incutem. Toltsoi leva-nos a viver, juntamente com ele, as personagens que criou, colocando-nos no papel de espectador, mas também de intervencionista na trama.

Numa sociedade em que os casamentos ainda são arranjados conforme as conveniências familiares, Anna decide deixar as convenções de lado e apaixona-se perdidamente pelo pretendente da irmã da sua cunhada. Acontece que Anna já é casada e não consegue esconder os sentimentos por Vronsky, ao contrário do que acontece na maior parte das mulheres e homens da sociedade. No entanto, nem tudo o que parece é e Anna vai mostrando a sua fragilidade ao longo do livro. O amor que Anna e Vronsky sentem um pelo outro vai destrui-los. 


Mas Anna Karenina é muito mais do que uma só personagem. Ao longo do livro esta até se torna secundária, tal a imensidão de personagens interessantes. Kitty e Levine são para mim as mais interessantes. Com gostos completamente diferentes, ela é uma menina da alta sociedade, ele um homem do campo, vão-se apaixonar e, apesar das diferenças, vão viver uma bonita história de amor. 

Depois de lido o livro falta-me ver o filme, que não quero perder e depois partir para a leitura de outros clássicos russos, nomeadamente Guerra e Paz

Excertos:
"Todas as famílias felizes são iguais, mas cada família infeliz é infeliz à sua maneira."

"Os cavalos fogosos conhecem-se pela marca e as pessoas apaixonadas pelos olhos."
 

«Passageiro do fim do dia» (Prémio PT Literatura 2011) chega dia 24 e o autor virá a Portugal em Fevereiro

Título: Os Inocentes
Autor: David Baldacci
PVP: 17,90€
N.º de Páginas: 436

Depois de uma missão que o leva da Europa à América, Will Robie regressa ao palco maior da política internacional com o objetivo de eliminar os inimigos suspeitos da paz mundial.
Denise Tamaron, funcionária pública e mãe de dois filhos, é o próximo alvo a abater. Mas Robie não é capaz de puxar o gatilho. Denise parece-lhe uma vítima improvável, e por que razão representa ela uma ameaça?
Tendo falhado a missão, Robie põe-se rapidamente em fuga. E não é o único. Ao fugir da cena do crime, Robie cruza-se com uma adolescente em fuga de um lar adotivo. Mas Julie não é uma jovem comum — os pais foram assassinados e a sua vida está em perigo e é por isso que Robie decide ajudá-la a descobrir a verdade acerca dos pais.
Só que à medida que Robie investiga o passado da jovem, mais convencido fica de que ela é o centro de uma conspiração que atinge as mais altas esferas do poder... E por isso, desta vez, Robie vai ter de trabalhar em equipa para poder salvar a vida de ambos.
Os Inocentes é um livro viciante — cenas repletas de ação, personagens dinâmicas e complexas e a dose certa de sedução e mistério — que, no final, vai deixar o leitor a questionar os seus próprios valores. Ora confirme.




Sobre o autor:
David Baldacci nasceu em 1960, na Virgínia, onde reside atualmente. Do seu currículo faz parte um impressionante número de bestsellers, entrando frequentemente no primeiro lugar da lista dos mais vendidos do New York Times. As suas obras estão traduzidas em mais de 45 idiomas e presentes em cerca de 90 países, sendo Baldacci um dos escritores mais populares em todo o mundo.
Baldacci é também o cofundador, juntamente com a sua mulher, da Wish You Well Foundation, uma organização não lucrativa dedicada à promoção da literacia nos Estados Unidos.


Título: Os ingredientes secretos da felicidade
Autor: Melissa Senate
PVP: 12,90€
N.º de Páginas: 224
 
Holly é a protagonista da história, uma história que sabe a tiramisu, esparguete à bolonhesa e lasanha e queijo ricota. E não, não se passa em Itália. É em Blue Crab Island, terra onde Camilla tem um afamado restaurante e dá aulas de culinária, que tudo acontece.
Pouco depois de chegar a esse lugar especial da sua infância, Holly perde a avó e herda a famosa escola Camilla’s Cuccinota onde acaba por encontrar consolo e descobrir um novo talento. Através das receitas especiais da avó, que incluem sempre a adição de um desejo ou a evocação de uma memória, Holly vai criando a sua própria receita para a felicidade, uma receita temperada com muita esperança, perdão, amizade e, por fim, generosamente polvilhada de amor.
Para ler (ou devorar) longe da cozinha.


Sobre o livro:
«Um romance sobre comida, família e recordações, marcado pela ternura.» l Library Journal
«Uma história inteligente e sensível.» l USA Today
«Melissa Senate aborda o tema do amor e das recordações de uma forma envolvente, salientando a importância do conforto proporcionado pela comida.» l Publisher’s Weekly


Sobre Melissa Senate:
Melissa Senate é autora de dez romances, incluindo o sucesso de vendas See Jane Date já adapatado para uma série televisiva. É também autora de contos editados em várias coletâneas.


Título: Os Maias
Autor: Eça de Queirós
PVP: 11,90€
N.º de Páginas: 632
 
«Há livros que nos transformam. Os Maias arrastou-me para a escrita. Tornei-me escritor por contágio, deslumbrado com a possibilidade de produzir luz e emoções. (…) A passagem dos anos apenas acrescentou interesse à obra.» José Eduardo Agualusa in Prefácio

Os Maias é o novo e o quinto título da coleção «Os Livros da Minha Vida». Esta é uma coleção que visa destacar alguns dos livros que ao longo dos séculos marcaram a sua época, entraram para a História da Literatura e, por qualquer razão, se tornaram especiais para determinada personalidade pública.
José Eduardo Agualusa vem assim juntar-se a Teresa Patrício Gouveia (Mrs. Dalloway), Francisco Pinto Balsemão (O Grande Gastby), Miguel Sousa Tavares (A Ilha do Tesouro) e Eduardo Marçal Grilo (O Corsário Negro).
Eça de Queirós publicou Os Maias, considerada a maior obra do autor e um dos grandes clássicos da literatura portuguesa, em 1888, onde conta a história de uma família (Maia) ao longo de três gerações. É através desse romance que Eça compõe um retrato mordaz e acutilante do Portugal da época, centrado na visão da alta sociedade lisboeta. Inovador no estilo e na técnica narrativa, Os Maias é o livro mais ambicioso de Eça, que o considerou a sua obra-prima.


Eça de Queirós é considerado um dos maiores romancistas da literatura portuguesa, o primeiro e principal escritor realista português, renovador profundo da prosa literária nacional.

Título: Passageiro do fim do dia
Autor: Rubens Figueiredo
PVP: 13,80€
N.º de Páginas: 192

Prémio PT Literatura
Prémio São Paulo de Literatura
Autor virá a Portugal em Fevereiro


O romance vencedor do prestigiado Prémio PT Literatura 2011 é um livro sobre várias viagens. A primeira começa quando Pedro, o passageiro do fim do dia, apanha o autocarro do centro da cidade rumo à periferia para ir ter com a namorada. É hora de ponta e a viagem demora. Dá tempo para ler e também para deixar correr os pensamentos.
Pedro é um observador. Uma pequena cicatriz no cotovelo do homem que está sentado à sua frente, ou o longo suspirar da mulher que segue ali ao lado, são pequenos detalhes que (nos) prendem a atenção e fazem voar, para logo regressar(mos) ao livro de Darwin e às notícias da economia que Pedro ouve no pequeno rádio a pilhas.
Observando o que se passa dentro do autocarro, e também na rua, Pedro é, terminada a viagem, um homem diferente, alguém mais atento às desigualdades sociais, mais conhecedor e mais crítico.
O passageiro do fim do dia é por isso literatura, sociologia e política. Numa alegoria plena dos dramas urbanos contemporâneos, Rubens Figueiredo oferece ao leitor um retrato do Brasil atual, desigual, fervilhante, e uma história que revela a beleza delicada de uma escrita sobre a periferia pobre da cidade grande: uma espécie de panela de pressão de violência e de crueza no fundo de verdade que é o osso da vida.



Sobre o autor:
Rubens Figueiredo nasceu em 1956, no Rio de Janeiro, cidade onde mora. Formado em letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é professor de português e tradutor de obras de Tchékhov, Turguéniev e Tolstói, entre outras. Contista e romancista, é autor, entre outros livros, de As palavras secretas (contos, 1988, prémio Jabuti), Barco a seco (romance, 2001, prémio Jabuti), Contos de Pedro (contos, 2006) e O livro dos lobos (contos, 2009).

Novidades Assírio & Alvim: 'A Paixão, de Almeida Faria e 'O Estado do Bosque', de José Tolentino Mendonça

Título: A Paixão
Autor: Almeida Faria
N.º de Páginas: 224
PVP: 13.90€

«Ler Almeida Faria é regressar, de outro modo, a Yoknapatawpha, a criação de William Faulkner para o implacável sul, essa paisagem de morte, infortúnio, exasperação e declínio. A Paixão é a reinvenção desse sul povoado de vozes que se sucedem e se contaminam. Não é por acaso que a stream of consciousness de Piedade anuncia a de João Carlos que anuncia a de Arminda que anuncia a da Mãe que anuncia a de André que anuncia a de Francisco que anuncia a de Jó que anuncia a de Tiago que anuncia a de Moisés que anuncia a de Estela, e assim sempre, com alguns sobressaltos e descontinuidades, num vórtice cruzado de tempos, qualia, experiência. Yoknapatawpha densamente povoada, cingida a uma duração que parece transbordar como negra densidade do tempo: «Manhã», «Tarde», «Noite». Ler Almeida Faria é compreender como só a palavra poderá fazer do espaço tempo, numa modulação do humano que é, afinal, uma lógica do sensível e do concreto em que as ideias são ideias do corpo, ideias no corpo, e em que o brilho metafísico do mundo é devolvido, como um eco sem origem ou cuja origem não poderá sequer ser ponderada. Tudo acaba em morte, mas também em ressurreição, a ressurreição do que não tem nome, ainda. A Paixão será porventura a mais espessa cortina de linguagem que a literatura portuguesa terá produzido na segunda metade do século XX. Podemos dizer, quase nostalgicamente, que já foi grande a escrita em português.»


Sobre o autor: 
Nasceu em 1943. Aos dezanove anos publicou o seu primeiro e premiado romance, Rumor Branco. Além de romancista, é autor de ensaios, contos, teatro. Mais recentemente publicou, a partir de umconto seu, o libreto para a cantata de  Luís Tinoco Os Passeios do Sonhador Solitário; e O Murmúriodo Mundo, relato ensaístico de uma viagem à Índia. Os seus romances receberam diversos prémios, estão traduzidos em muitas línguas, são estudados nos mais variados países e sobre eles há livros e teses universitárias. Fez numerosas conferências em universidades europeias, norte-americanas e brasileiras e tem artigos publicados em português, espanhol, francês, italiano, neerlandês, alemão, dinamarquês e sueco. Ao conjunto da sua obra foi atribuído o Prémio Vergílio Ferreira da Universidade de Évora e o Prémio Universidade de Coimbra.

Título: O Estado do Bosque
Autor: José Tolentino Mendonça
N.º de Páginas: 72
PVP: 10€

Após Perdoar Helena José Tolentino Mendonça regressa ao teatro com uma nova peça onde interagem cinco personagens: 3 homens e 2 mulheres. John Wolf, o guia da floresta; 2 caminhantes: Peter Weil (meia idade) e Jacob (mais novo). E duas mulheres: a jovem Viviane Mars e o Destino. Peter: Qual é o sentido do trilho? John Wolf:Não sei. Cada trilho conduz a mais do que um sentido. Esta peça estará em cena, de 7 a 24 de fevereiro de 2013, no Teatro do Bairro Alto, com encenação de Luís Miguel Cintra. Já no dia 19 de janeiro o Teatro da Cornucópia inicia um pequeno ciclo de programação em torno desta peça, com o título «O Nome de Deus».
Um dia os homens deixarão os aviões, os transatlânticos, os comboios de alta velocidade, os automóveis para regressar aos caminhos do bosque.


Sobre o autor:
Poeta, sacerdote e professor, José Tolentino Mendonça nasceu em 1965, na Ilha da Madeira. Doutorou-se em Teologia Bíblica, em Roma, e vive atualmente em Lisboa. Entre outras responsabilidades é docente na Universidade Católica  Portuguesa, dirige o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura e a revista Didaskalia. Tem publicado diversos livros de poesia, ensaio e teatro na Assírio & Alvim, e colaborado em muitos outros como tradutor e/ou organizador. Para José Tolentino Mendonça, «A poesia é a arte de resistir ao seu tempo».
A sua obra tem sido galardoada com diversos prémios, entre eles o Prémio Cidade de Lisboa de Poesia e o Prémio Pen Clube de Ensaio.

Apresentação do livro Tranquila-Mente


segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora publica novo livro de Philip Kerr: Se os mortos não ressuscitam

Título: Se os mortos não ressuscitam
Autor:
Philip Kerr
Tradutor: José Vieira de Lima
Págs: 480
PVP: 18,80 €


Philip Kerr é um dos principais autores do policial histórico da atualidade, conhecido por eleger a Alemanha do Terceiro Reich como um dos seus cenários prediletos. Se os mortos não ressuscitam, que está a partir de hoje à venda nas livrarias, é o segundo livro do escritor britânico na Porto Editora.
A história de Se os mortos não ressuscitam tem início na Berlim nazi, atmosfera que o autor descreve com especial e reconhecida mestria. A trama passa depois para a Cuba dos anos cinquenta, onde o protagonista, o detetive Bernie Gunther, se irá cruzar com figuras de um passado que tenta ocultar a todo o custo.
Os livros de Philip Kerr estão traduzidos para 28 idiomas e no catálogo da Porto Editora figura já O Projecto Janus. Se os mortos não ressuscitam foi galardoado com o Prémio Internacional de Novela Negra RBA, o mais lucrativo do mundo para a ficção policial, entre outras importantes distinções.


Sobre o livro:
Berlim, 1934. Os nazis garantiram a realização dos Jogos Olímpicos de 1936, mas enfrentam grande resistência estrangeira. Hitler e Avery Brundage, o presidente do Comité Olímpico dos Estados Unidos, tudo fazem para tentar encobrir o antissemitismo nazi e assim convencer a América a participar nos Jogos. Bernie Gunther, agora detetive num dos hotéis mais conceituados de Berlim, vê-se arrastado para este mundo de corrupção internacional, enredado entre as várias fações do aparelho nazi.
Havana, 1954. Fulgencio Batista, apoiado pela CIA, acabou de subir ao poder. Fidel Castro foi preso e a Máfia americana ganha poder sobre a indústria do jogo e da prostituição. Bernie, recentemente expulso de Buenos Aires, reemerge em Cuba com uma nova identidade, decidido a levar uma vida de relativa paz. No entanto, quando se depara com duas figuras do passado – um pérfido assassino dos tempos de Berlim, que pouco depois é misteriosamente assassinado, e uma antiga amante que, ao que tudo indica, poderá ser a responsável pelo crime –, percebe que não tem como lhe fugir.


Sobre o autor:
Philip Kerr nasceu em Edimburgo em 1956 e estudou Direito na Universidade de Birmingham. Colabora assiduamente em publicações como o Sunday Times, o Evening Standard e o New Statesman. Para além dos catorze romances publicados, escreveu uma série de livros juvenis com o pseudónimo de P. B. Kerr. Traduzido em 25 idiomas, galardoado com inúmeros prémios importantes e com várias obras adaptadas ao cinema e à televisão, Philip Kerr é um dos nomes mais consagrados do policial inglês. Este seu romance mereceu o Prémio Internacional de Novela Negra RBA, o Ellis Peters Historical Dagger, da Crime Writers’ Association, e o Barry Award. No catálogo da Porto Editora figura já O Projecto Janus, outro livro protagonizado pelo detetive Bernie Gunther.