quinta-feira, 28 de junho de 2012

Jogos Secretos - Jill Mansell


Título: Jogos Secretos  
Autor: Jill Mansell
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 384
Editor: Edições Chá das Cinco

Sinopse:
Suzy Curtis é a miúda que tem tudo: emprego de sonho, Rolls Royce vermelho e uma arrebatadora estrela de rock como ex-marido. Mas há dias em que nem ela devia sair da cama: ao tentar desesperadamente fugir a uma multa por excesso de velocidade, conhece Harry e vê-se numa alhada que envolve uma amostra de esperma, um polícia e um copo de batido do McDonald’s.
Harry não é propriamente um caso de amor à primeira vista, mas é um caso sério de atração sexual. O que não vem nada a calhar pois a mãe de Suzy acaba de falecer deixando-a a braços com um segredo de família que promete mudar toda a sua vida…
Com Jill Mansell, o amor nunca é simples nem fácil. Mas é sempre divertido e inesquecível!

A minha opinião:
O novo livro de Jill Mansell está recheado de aventuras amorosas, que nos levam muitas vezes às lágrimas de tanto rir. Adorei a personagem de Suzy Curtis, uma mulher super divertida, apesar de ter uma vida complicada. Realizada profissionalmente tem a vidas amorosa num caos porque se apaixona pelo homem errado. A somar a isso descobre um segredo do passado da mãe que vai mudar para sempre a sua vida.

E a história vai-se desenrolando à volta de Suzy, mas também de Jaz o seu ex-marido, com quem mantém uma relação de amizade, de Harry um polícia lindo de morrer, que se apaixona por ela, mas que não é correspondido, por Lucille uma personagem frágil que quer singrar no mundo da música e Leo, irmão de Harry.

Apesar de não ter achado o livro tão envolvente com os anteriores, talvez pelo facto de a história ter girado sempre à volta do mesmo e não ter desenvolvido tão rapidamente como o esperado. Mas não deixa de ser um livro divertido, excelente para quem está de férias e gosta de ler histórias mais leves.

Bertrand publica Não te mexas, de Margaret Mazzantini

Título: Não te mexas 
Autor: Margaret Mazzantini
Género: Romance
Tradutor: Simonetta Neto
Formato: 15 x 23,5 cm
N.º de páginas: 264
Data de lançamento: 29 de junho
PVP: 16,60 €

Vencedor do Prémio Strega e com mais de 2 milhões de exemplares  vendidos, Não te mexas é a mais estranha e inquietante das paixões, que tem arrebatado leitores do mundo inteiro. Foi adaptado ao cinema por Sergio Castellito e conta com Penélope Cruz como protagonista.
Timoteo é um dos cirurgiões mais conceituados de Itália, casado com uma mulher lindíssima, com quem vive num apartamento de luxo e numa villa junto ao mar. Tudo na sua vida parece envolto em sucesso e glamour. Mas eis que a filha de quinze anos tem um acidente e é levada em coma para o hospital onde ele trabalha. Enquanto um colega faz uma delicada operação à cabeça da rapariga, o agonizante Timoteo prende irremediavelmente o leitor na teia da sua espantosa confissão. É que, debaixo do verniz da sua vida encantadora, reside uma história sórdida, degradante, da mais estranha das paixões. Timoteo partilha connosco o seu fatídico romance com uma mulher que, desde o primeiro momento, corrói tudo aquilo que ele julgava saber acerca de si próprio.
O arrepiante retrato de um homem extraordinariamente seguro de si que perde todo o controlo sobre a sua vida e as suas emoções tem arrebatado leitores do mundo inteiro e deu origem a um filme homónimo, protagonizado por Penélope Cruz.

«Fascinante, comovente e compulsivo» Mail on Sunday
«Muito belo… as observações fragmentadas, tão humanas, que animam constantemente este romance são inebriantes» The New York Times Book Review
«Apaixonante… Desenrola-se com o secretismo urgente, murmurado, de uma confissão. A escrita é tensa, retesada e muito explícita: como uma sucessão de fotogramas, claros como a água, de um filme dramático.»
Daily Telegraph

Sobre a autora:
Margaret Mazzantini nasceu em Dublin, filha de uma artista plástica irlandesa e de um escritor italiano. Foi atriz de cinema, televisão e teatro mas é sobretudo reconhecida pela sua obra literária. Venceu o prémio Strega com Não te Mexas, adaptado ao cinema e protagonizado por Penélope Cruz, que vendeu mais de dois milhões de exemplares só em Itália e foi um best-seller internacional, traduzido em mais de 30 línguas. Vir ao Mundo venceu o prémio Campiello e está a ser adaptado ao grande ecrã. Será também protagonizado por Penélope Cruz.
Vive em Roma com o marido e os quatro filhos. 

A Sextante Editora publica, no dia 5 de julho, Os filhos de Alexandria, romance de Françoise Chandernagor galardoado com o Grand Prix Palatine du Roman Historique 2011

Título: Os filhos de Alexandria 
Autor: Françoise Chandernagor
Tradutor: Maria Matta
Págs.: 336
PVP: € 16,60
Coleção: Sextante TOP

A Sextante Editora publica, no dia 5 de julho, Os filhos de Alexandria, romance de Françoise Chandernagor galardoado com o Grand Prix Palatine du Roman Historique 2011. Nesta história simultaneamente dramática e apaixonante, cruzam-se personagens históricas como Cleópatra, Marco António e seus filhos, das quais se destaca Selena, a narradora, que testemunhará o destino trágico da sua família.
Françoise Chandernagor é uma das grandes autoras do romance histórico em França e, atualmente, preside a Academia Goncourt, da qual é membro desde 1995.

Sobre o Livro: 
Alexandria: a joia de um império que António e Cleópatra vão arrastar na sua queda. Dos amores do Imperator e da rainha do Egito tinham nascido três crianças. Príncipes efémeros, que cresciam entre o ouro e a púrpura do bairro real juntamente com o seu meio-irmão mais velho, o menino faraó nascido da relação de César e Cleópatra. Quatro crianças com um destino trágico.
Com dez anos no momento da tomada da cidade e do suicídio dos pais, a pequena Selena, única sobrevivente desta ilustre família, não esquecerá nunca a aniquilação do seu reino, da sua dinastia, dos seus deuses.
Com sensibilidade e força romanesca, Françoise Chandernagor inicia a narração da vida desconhecida da última dos Ptolomeus neste primeiro volume do tríptico A rainha esquecida.

Sobre a autora:
Françoise Chandernagor nasceu numa família de maçons da Creuse cruzados com descendentes de um escravo indiano. Após um começo de carreira nas altas magistraturas do Estado, dedicou integralmente a sua vida à escrita, a partir de 1993. O seu primeiro romance, A alameda do rei (1981), atingiu 600 000 exemplares de vendas em França e foi traduzido em todo o mundo.
É, desde 1995, membro da Academia Goncourt, presidindo atualmente ao júri do Prémio Goncourt.

Imprensa:
A sua conquista do Egito é um feito ao mesmo tempo erudito e popular. Bernard Pivot, Le Journal du Dimanche
Chandernagor conta com talento a história do mais célebre casal da Antiguidade. E o milagre acontece: uma lição de História acompanhada de uma soberba lição de literatura. Frédéric Valloire, Valeurs Actuelles
Lugar de honra para as sensações, os gestos e os sentimentos. O fantasma de Selene e todos os espetros que ela arrasta consigo ganham cor. Esperamos com impaciência a continuação desta magia. Marie-Françoise Leclère, Le Point
Chandernagor escreve num estilo direto, por vezes cru, mas sempre inventivo e literário. Recria o Egito com o à-vontade e o brio de uma paixão inteligente. Patrick Grainville, Le Figaro littéraire
Rigor factual e narrativa enérgica: um cocktail vencedor. A romancista inicia o leitor na política romana, nos costumes, na poesia, nas paixões e na vida quotidiana da Antiguidade. Emmanuel Hecht, L’Express
Graças à formidável erudição e talento da romancista, somos transportados à Alexandria cosmopolita do último século antes da nossa era. Bernard Loupias, Le Nouvel Observateur

Novo livro de Kurt Vonnegut publicado pela Bertrand

Título: Cama de Gato
Autor:
Kurt Vonnegut
Género: Romance/ Ficção Científica
Tradutor: Rosa Amorim
Formato: 15 x 23,5 cm
N.º de páginas: 216
Data de lançamento: 29 de junho
PVP: 15,50 €

A sua obra mais (re)conhecida é sem dúvida Matadouro Cinco ou a Cruzada das Crianças, mas Vonnegut é também autor de vários romances, ensaios e peças de teatro. Depois da publicação em agosto passado de Matadouro Cinco, dá-se continuidade à obra deste “hilariante profeta da desgraça” com Cama de Gato.
 
«Uma das vozes mais hilariantes, sábias e humanas na ficção seja de onde for» Daily Telegraph

O doutor Felix Hoenikker, um dos «pais» da bomba atómica, deixou à humanidade um legado fatídico. Foi ele o inventor do gelo-nove, um químico letal capaz de congelar o mundo inteiro.
As investigações de John, o escritor que está a preparar uma biografia de Felix, conduzem-no aos três excêntricos filhos do cientista, a uma ilha nas Caraíbas onde se pratica a religião bokononista e, mais tarde, ao amor e à loucura.
Narrado com um humor desarmante e uma ironia amarga, este livro de culto acerca da destruição global é uma sátira hilariante e assustadora sobre o fim do mundo e a loucura dos homens.
«alguém ou alguma coisa me impeliu a estar em certos lugares em determinados momentos, sem falha. Foram providenciados meios e motivos, tanto convencionais como bizarros. E segundo o plano, a cada dado instante, em cada dado lugar, lá estava este Jonah aqui:
Escutem:
Quando eu era mais novo – duas mulheres, 250 000 cigarros e 750 litros de cerveja atrás…
Quando eu era muito mais novo, comecei a reunir material para um livro a ser intitulado O Dia Em Que o Mundo Acabou.»

Sobre o autor:
Kurt Vonnegut nasceu em Indianapolis a 11 de novembro de 1922 e morreu em Nova Iorque a 11 de abril de 2007. Licenciou-se em Química e alistou-se no exército americano, com o qual combateu na Segunda Guerra Mundial. Foi feito prisioneiro e presenciou o bombardeamento de Dresden. Após a Guerra, formou-se em Antropologia É autor de vários romances, ensaios e peças de teatro, entre os quais se destaca Matadouro 5 ou A cruzada das Crianças de 1969.

«Um hilariante profeta da desgraça» The New York Times
«Único… um dos autores que nos mapeia as paisagens, que dá nomes aos lugares que melhor conhecemos.» Doris Lessing, The New York Times Book Review
«O nosso melhor humorista negro… Rimo-nos em autodefesa.» The Atlantic Monthly
«Vonnegut olhava para o mundo bem nos olhos e nunca vacilava» J. G. Ballard
«Um satírico inimitável e que não imita ninguém» Harper’s Magazine

“Porto de Encontro” marcado com Mário Cláudio

Mário Cláudio é o convidado do jornalista Sérgio Almeida para a próxima edição do “Porto de Encontro”, que decorrerá no próximo dia 30 de junho, pelas 17:00, no Palacete dos Viscondes de Balsemão, no Porto (à Praça Carlos Alberto).
Com uma vastíssima obra, onde pontuam livros como Amadeo, A Cidade no Bolso, Orion e Camilo Broca, na área da poesia, títulos como Terra Sigillata e Dois Equinócios, Mário Cláudio é dos maiores escritores portugueses, com enorme reconhecimento junto do público e, também, da crítica. Mário Cláudio já foi distinguido com os prémios literários mais importantes, entre os quais o Prémio Pessoa, o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, o Prémio PEN Clube Português de Novelística (duas vezes) ou o recentemente atribuído Prémio Autores SPA/RTP.
De referir que esta sessão do “Porto de Encontro” contará com a participação especial do ator António Durães, que lerá excertos de obras de Mário Cláudio.
Esta sessão, a oitava, marca o fim da primeira temporada de um ciclo de conversas iniciado em novembro de 2011, no qual já participaram Gonçalo M. Tavares, José Rentes de Carvalho, Germano Silva, Luis Sepúlveda, Manuel António Pina, António Mega Ferreira e Francisco José Viegas. Todas as edições registaram elevada participação por parte dos leitores, que encheram os espaços onde decorreram as conversas. O regresso deverá acontecer em setembro.
“Porto de Encontro” é um ciclo de conversas que parte de uma ideia original do jornalista Sérgio Almeida e é promovido pelo Grupo Porto Editora com o apoio da Câmara Municipal do Porto, do Plano Nacional de Leitura, da Porto Cálem, do Jornal de Notícias, da Rádio Nova, do Porto Canal e do programa Ler + Ler Melhor, da RTP Informação.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Planeta - Novidades de final de Junho

Título: Pecados EscondidosAutor: Emma Wildes
N.º de Páginas: 312 
PVP: 18,85 €

«Emma Wildes é uma estrela em ascensão que escreve incríveis romances históricos.» Just Erotic Romance Reviews

O quarto livro de Emma Wildes, bastante elogiado pela crítica, é umromance de época escaldante, onde não falta muito sexo, histórias de amor e muita sedução.
Para ler sem preconceitos.
Emma Wildes é uma autora premiada com mais de vinte livros publicados.
Em Portugal é já uma referência literária, depois do sucesso com Uma Aposta Perversa, Lições de Sedução e Um Homem Imoral, que seduziram irremediavelmente os leitores portugueses.

«De todos os autores que li, penso que Emma Wildes é a minha indiscutível favorita … Mostrou mais uma vez a sua capacidade para apresentar novas variações do romance em todas as suas infinitas formas. Esteja preparado para sentir crescer as suas paixões, ao ler as cenas de amor maravilhosamente escritas.» Just Erotic Romance Reviews

Não foi a arte do engano que desconcertou Michael Hepburn, mas sim a inocência. A sua recém-esposa era confiante, bonita e, para seu espanto, absolutamente fascinante.
Julianne Sutton sempre soubera que casaria com o marquês de Longhaven, como fora acordado anos antes pelas famílias. No entanto, assumira que o marido seria Harry, o afável herdeiro ducal, e não o enigmático irmão. Quando Harry morreu de forma inesperada e Michael lhe sucedeu como o novo marquês, não foram apenas os planos de casamento de Julianne que se alteraram.
Michael combatia um inimigo implacável num jogo de espionagem e engano, mas quando descobriu que a mulher tinha os seus próprios segredos, depressa descortinou que o amor se regia por um conjunto de regras completamente diferentes…

Sobre a autora:
Emma Wildes cresceu a devorar livros e a escrita nasceu naturalmente. A autora costuma dizer que adora escrever porque adora ler. Estudou na Universidade de Illinois é e licenciada em Geologia. Vive em Indiana com o marido e três filhos. Foi a autora n.º 1 do Fictionwise, WisRWA Reader’s Choice Award, vencedora na categoria de Romance Histórico em 2006, do Lories Best Published, e em 2007 vencedora do Eppie para o melhor romance erótico.


Título: Halo 
Autor: Alexandra Adornetto
N.º de Páginas: 392
PVP: 19,95 €
Tradução: Andreia Mendonça
Disponível a 28 de Junho

«A escrita de Alexandra Adornetto é fresca e real, sem qualquer esforço para demonstrar eloquência. Se não fosse ela, nunca o boom deste género de literatura teria acontecido e a publicação continuaria mais sombria.»The New York Times Book Review

A revelação de uma nova autora que escreveu este best-seller com apenas 18 anos. Foi o livro de Bolonha em 2009 e, marcou a nova tendência de passagem dos vampiros para os anjos.
Uma narrativa viciante, apaixonada e vibrante, com personagens muito bem construídas que rapidamente conquistam o coração do leitor.
Uma história de amor entre um anjo celestial e um ser humano, que desafiam todas as leis em nome do amor. Três anjos – Gabriel, o guerreiro; Ivy, a curandeira; e Bethany, a mais jovem e humana de todos – são enviados para levar o Bem a um mundo que sucumbe ao poder das trevas. Esforçam-se por esconder o brilho luminoso que os envolve, os poderes sobre-humanos que detêm e, representando o maior dos perigos, as asas, ao mesmo tempo que evitam qualquer tipo de relação com os humanos.
Mas Bethany conhece Xavier e ambos se revelam incapazes de resistir à atracção que sentem um pelo outro. Gabriel e Ivy tentam tudo para impedir aquela relação, mas o sentimento que une Xavier e Bethany é demasiado forte. Irá o amor lançar Bethany na perdição ou salvá-la? Halo, na sua estreia, entrou directamente para 4.º lugar na lista dos livros mais vendidos do New York Times

«Halo encantou-me desde a primeira página.» Claudia Gray, autora best-seller de Evernight

A história não acaba aqui, Alexandra Adornetto vai voltar a deixar os leitores em suspense no próximo livro desta nova trilogia, cujos direitos de adaptação para o cinema já foram comprados pela Disney.
Um livro que está disponível em mais de 45 países e que deleitará todos os leitores, pois o único sentimento que está em jogo, pelo qual lutam e pode mover céus e terra, é o amor.

Sobre a autora:
Alexandra Adornetto tinha 18 anos e 14 quando publicou o primeiro livro, e The Shadow Thief, na Austrália. Filha de professores de inglês, confessa-se uma compradora de livros compulsiva que, ao ver-se sem espaço nas estantes, amontoa as suas leituras «em pilhas instáveis, no chão do quarto».
Alex vive em Melbourne, na Austrália. Halo marca a sua estreia nos Estados Unidos e na Europa. Pode visitar Alex e a sua extensa rede de amigos no Facebook. 
 
Título: Quem sofre são as crianças
Autor: Donna Leon
N.º de Páginas: 280
PVP: 18,85€ 
Disponível a 28 de Junho

Uma história de mistério e intriga emocionante, sobre o rapto de uma criança e os meandros do tráfico infantil, protagonizado pelo Comissário Guido Brunetti, com a assinatura da grande dama do crime, Donna Leon.
 
«Donna Leon continua a manter um nível impressionante… consegue alcançar uma fusão perfeita entre personagens, lugares, mistério e questões sociais. O seu décimo sexto romance com Brunetti é também um dos seus melhores.» The Times

A tranquilidade da noite veneziana é perturbada quando um bando de homens armados força a entrada no apartamento do Dottor Gustavo Pedrolli, fracturando-lhe o crânio e levando o bebé de dezoito meses.
Quando o Comissario Guido Brunetti, arrancado da cama pela notícia, chega ao hospital para investigar, ninguém sabe o porquê de tão violenta agressão ao eminente pediatra. Mas Brunetti em breve começa a descortinar uma história de infertilidade e desespero, e um submundo onde os bebés podem ser comprados com dinheiro, entre um esquema fraudulento com farmácias e médicos da cidade. O conhecimento pode ser tão destrutivo como a ganância, certas informações acerca de um vizinho podem levar a todos os tipos de corrupção e a diversas formas de dor.
Donna Leon funde habilmente o trabalho de detective do Comissário Guido Brunetti com a perspicaz consciência das questões sociais, expondo sem pudores as teias do tráfico de crianças. Veneza é uma das mais visitadas cidades do mundo, célebre pelos seus canais, monumentos e beleza secular.
Através das páginas de Donna Leon, é possível visitar uma Veneza que nem todos os turistas conhecem… 
Pela mão do Comissario Brunetti, descobre-se a cidade dos residentes, as pequenas ruas por trás das catedrais, o interior dos edifícios que falam de História, os lugares frequentados pelos venezianos, os encantos escondidos da autêntica cidade que não está nos guias turísticos. Nas páginas dos livros Donna Leon, a verdadeira Veneza também é personagem…

«Uma das séries de detectives mais deliciosas e inteligentes jamais escritas.» The Washington Post
«Donna Leon aborda com sensibilidade esta questão difícil, sem se limitar às descrições de Veneza de fazer crescer água na boca.» Daily Telegraph

Sobre a autora:
Donna Leon nasceu a 29 de Setembro de 1942, em Nova Jérsia, mas viveu em Veneza durante vinte anos.Exerceu a actividade de Leitora de Literatura Inglesa na Universidade de Maryland. Há alguns anos a autora decidiu deixar o ensino para se dedicar à escrita e à música barroca.
Apesar de ter chegado à escrita por acaso, atingiu rapidamente o êxito com a série policial protagonizada pelo Commissário Brunetti, consagrando-se como A Grande Senhora do Crime.
Os seus livros estão traduzidos em mais de 23 línguas e são um êxito de vendas e da crítica. A escritora venceu o Crime Writters Association Silver Dagger em 2000 na Europa e nos Estados Unidos.

Título: O Prisioneiro do Céu 
Autor: Carlos Ruiz Zafón
N.º de Páginas: 400
PVP: 21,90€
Disponível a partir de 28 de Junho

O Prisioneiro do Céu, é o terceiro livro da série O Cemitério dos  Livros Esquecidos, que começou com A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo, onde o autor regressa à mesma linha de acção e às mesmas personagens.
 
«Um desses raros romances que conjugam um enredo brilhante com uma escrita sublime.» Sunday Times

«O melhor livro do ano. Irresistível. Erudito e acessível a todos,insere-se na grande tradição dos romances de aprendizagem.»
Le Fígaro

«García Márquez, Umberto Eco e Jorge Luis Borges fundem-se num mágico e transbordante espectáculo,  de uma perspicácia perturbante e definitivamente maravilhoso.» The New York Times

Para os que se apaixonaram por A Sombra do Vento e se deleitaram com O Jogo do Anjo, e para muitos outros amantes dos livros, o novo romance de Carlos Ruiz Zafón é uma verdadeira promessa de felicidade. A terceira parte da tetralogia O Cemitério dos Livros Esquecidos brinda-nos com muito do que já testemunhámos nos dois livros anteriores e prepara-nos para o grande desenlace desta aclamada série, que sairá dentro de alguns anos.
O Prisioneiro do Céu tem um início arrebatador: um estranho entra na livraria dos Sempere e semeia a ansiedade no coração de Daniel, que terá de descobrir, pela mão do seu amigo Fermín Romero Torres, um passado que nunca suspeitava.
Tudo isso, claro, acontece em Barcelona, 1957. Daniel Sempere e o amigo Fermín, os heróis de A Sombra do Vento, regressam à aventura, para enfrentar o maior desafio das suas vidas. Quando tudo lhes começava a sorrir, uma inquietante personagem visita a livraria de Sempere e ameaça revelar um terrível segredo, enterrado há duas décadas na obscura memória da cidade.
Ao conhecer a verdade, Daniel vai concluir que o seu destino o arrasta inexoravelmente a confrontar-se com a maior das sombras: a que está a crescer dentro de si. 

«Se alguém pensava que o genuíno romance gótico morrera no século XIX, este livro fá-los-à mudar de ideia. Um romance cheio de esplendor e de tramas secretas, onde as histórias paralelas se desdobram em narrativas paralelas. Nas mãos de Zafón, cada cena parece saída de um dos primeiros filmes de Orson Welles. É preciso ser-se verdadeiramente romântico para se conseguir ser tão deslumbrante.» Stephen King

Mais de 25 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, dos dois primeiros livros da série.

Título: Ampulheta
Autor: Claudia Gray
N.º de Páginas: 312
PVP: 18,85 €
Tradução: Carlos Pereira
Disponível a partir de 28 de Junho

Arrebatador e incontornável, o terceiro livro da trilogia de um fenómeno vampírico que tem alimentado a imaginação de milhões de leitores.

Uma série empolgante da autora best-seller do New York Times, que já conquistou uma legião de fãs em mais de trinta países. A primeira página abre a porta para um universo de vampiros que circulam num sinistro colégio interno onde os estudantes são estranhamente demasiado perfeitos.
Esta trilogia mereceu já a aprovação internacional do público, da crítica e os elogios de L.J. Smith, autora da série Crónicas Vampíricas: «Assim que comecei a ler Evernight, não consegui parar! Mal posso esperar
pelo próximo livro de Claudia Gray!»

«Amor adolescente, ódios antigos e uma querela do tipo Romeu e Julieta alimentam os fogos neste apelativo drama narrado na primeira pessoa.» Romantic Times BOOKclub

Depois de fugirem da Academia Evernight, a escola de vampiros onde se conheceram, Bianca e Lucas refugiam-se com os Cruz Negra, um grupo de elite de caçadores de vampiros. Bianca obriga-se a esconder a sua herança sobrenatural ou corre risco de vida. Mas quando os Cruz Negra capturam o seu amigo Balthazar, todos os segredos ameaçam ser revelados. Em breve, Bianca e Lucas orquestram a sua fuga com Balthazar, mas são perseguidos não só pelos Cruz Negra como pelos perigosos e poderosos chefes de Evernight. No entanto, por muito longe que consigam ir, Bianca não pode escapar do seu destino.
Bianca sempre acreditou que o seu amor por Lucas poderia sobreviver a qualquer coisa, mas poderá de facto resistir ao que está para vir?

Sobre a autora:
Claudia Gray é o pseudónimo da escritora Amy Vincent, que vive em Nova Iorque. Trabalhou como advogada, disc-jockey e, em tempos, foi empregada de mesa mal remunerada. O interesse que sempre teve por casas antigas, filmes clássicos e história teve um papel fundamental na criação do mundo de Evernight..

Título: O quadro de Pocoyo
Autor: Zinkia
Livros de formato cartonado: 21cm x 21 cm
N.º de Páginas: 12 
PVP: 8,55€, cada
Disponível nas livrarias a partir de 28 de Junho

Nesta colecção de livros, os mais pequenos  divertem-se a aprender as vogais e a contar até dez, enquanto escrevem nos quadros que estão no interior, com giz de várias cores.
Se se enganarem não faz mal, é só apagar e voltar a  escrever de novo.

Pocoyo e os seus amigos vão ajudar os pequenos leitores a descobrirem os números e as vogais, transformando a aprendizagem num jogo e aumentando a confiança das crianças em si próprias.
O Pocoyo é um menino curioso, que vive num mundo maravilhoso onde pode perguntar tudo. É uma personagem que os mais pequenos adoram, que lhes transmite confiança e que reconhecem da série televisiva na RTP.

Sobre o autor:
Zinkia é a empresa que criou a personagem Pocoyo. Com o POCOYO a Zinkia, tem recebido inúmeros prémios:
• Best Episodie in a Serires (International Animation Festival Animacor 2005);
• Best Television Programme (festival International de Animation AniMadrid 2005);
• TV Series for Infants;
• Cartoons on the Bay Pulcinella Awards 2006 (Festival Internazionale dell’animazione Televisiva);
• Most Voted Cartoon. Cartoons on the Bay Rai Ragazzi 2006 (Festival Internazionale dell’animazione Televisiva);
• Best Character (Festival de Publicidad y Comunication Infantil, Valencia 2006);
• Best Television Programme (Festival International du film d’animation Annecy 2006).

Novidade Porto Editora: Neighbours de Lília Momplé

Título: Neighbours 
Autor: Lília Momplé
Coleção: Literatura Plural
Págs.: 160 
Capa: mole com badanas
PVP: 9,90 €

Quem não sabe de onde vem não sabe onde está nem para onde vai. Este é o mote de Neighbours, de Lília Momplé, obra que a Porto Editora publica, a 5 de julho, na coleção Literatura Plural.
Neste livro, a prestigiada autora, traduzida em várias línguas, aborda a «permanente e trágica ingerência da minoria racista da África do Sul» em Moçambique. A partir de factos reais, Lília Momplé descreve «o que se passa em Maputo, em três casas diferentes, desde as 19 horas de um dia de maio de 1985 até às 8 horas da manhã seguinte».
Neighbours, de Lília Momplé, insere-se na coleção Literatura Plural, que conta, até ao momento, com obras de Vítor Burity da Silva e Luís Carlos Patraquim. Estes livros vendem-se, também, em Angola e Moçambique, através da Plural Editores Angola e da Plural Editores Moçambique, que integram o Grupo Porto Editora.

Sinopse: 
No decurso de uma longa noite de maio, ténues laços se estabelecem e quebram entre os habitantes de três apartamentos: uma jovem família, uma mulher que espera o seu marido infiel e um grupo de homens reunido para prepararem o golpe que estão prestes a cometer… Qual o móbil por detrás desta conspiração assassina? Ódio ao povo negro, vingança pessoal ou busca de ganho fácil?
O relato dos acontecimentos, baseado em factos verídicos, é pretexto de múltiplas digressões, oferecendo-nos um quadro complexo que evoca habilmente a História moçambicana, desde a colonização portuguesa às intrusões perniciosas da África do Sul racista, passando pela insegurança e pela corrupção reinantes em Moçambique no período pós-independência.

Sobre a autora:
Nasceu em 1935, na Ilha de Moçambique. É licenciada em Serviço Social pelo ISSSL. Depois de viver algum tempo em Inglaterra e no Brasil, regressou definitivamente a Moçambique, em 1971. Tem representado o seu país em vários eventos internacionais e integrou o Conselho Executivo da UNESCO em Paris, de 2001 a 2005. É membro de honra da Associação dos Escritores Moçambicanos, onde já exerceu os cargos de Presidente e Secretária-Geral.
A sua obra encontra-se traduzida em inglês, francês, alemão, italiano e sueco, e representada em várias antologias nacionais e estrangeiras.

Imprensa:
A narrativa de Lília Momplé denuncia as falhas de um corpo social vítima de diversos tipos de violência, deixando-nos um testemunho sobre um momento particular da vida moçambicana. Plural Pluriel – Revue des cultures de langue portugaise
Neighbours conta a história política de uma nação, muitas vezes esquecida pelo mundo ocidental, de uma forma profunda e provocadora. Books Live (África do Sul)
Lília Momplé: voz que expande a consciência literária moçambicana. Literatas – Revista de Literatura Moçambicana e Lusófona

Albatroz publica 'Caminhos da Fé', de Dalai Lama

Título: Caminhos da Fé – Como as religiões do mundo podem conviver em paz
Autores:
Dalai Lama
Tradução: José Vieira de Lima
Págs: 192
PVP: 14,40 €

O líder do budismo tibetano, o Dalai Lama, conhecido pela sua doutrina de não violência, é o autor de Caminhos da Fé, que será publicado no dia 5 de julho com a chancela Albatroz. Esta obra dá a conhecer os principais aspetos que as religiões mais importantes a nível mundial partilham, abre caminhos e propõe soluções concretas para pôr termo aos conflitos religiosos. Através da compaixão, valor comum a todas as religiões e a todos os seres humanos, crentes ou não, o Prémio Nobel da Paz defende o diálogo e cooperação inter-religiosa como forma de alcançar a paz e a realização espiritual.

Sobre o livro:
Nenhum país, cultura ou ser humano está imune aos acontecimentos mundiais, e a globalização apresenta hoje, mais do que nunca, inúmeros desafios. Para o Dalai Lama trata-se do momento ideal para a Humanidade concretizar uma das metas essenciais do século XXI: a promoção de uma coexistência pacífica.
Em Caminhos da Fé, o Dalai Lama demonstra-nos como é possível no mundo globalizado as nações, culturas e indivíduos encontrarem pontos de união através da partilha. Todas as fés defendem que a compaixão é a premissa basilar para uma vida condigna e, nesse sentido, o Dalai Lama advoga que todos os que aspiram à perfeição espiritual devem ser responsáveis pelo auxílio ao desenvolvimento de um reconhecimento profundo da importância das demais fés, pois só dessa forma será possível cultivar o respeito mútuo e a cooperação.
Caminhos da Fé é um olhar auspicioso, mas realista, sobre como a Humanidade pode abraçar um futuro condigno.

Sobre o autor:
Líder espiritual do povo tibetano, Tenzin Gyatso nasceu em Takster, no Tibete, em 1935. Tinha apenas dois anos de idade quando foi reconhecido como décimo quarto Dalai Lama. Com a ocupação chinesa do território, em 1959, viu-se forçado ao exílio em Dharamsala, no Norte da Índia. Defensor incansável da tolerância e do diálogo entre os povos foi agraciado com o Prémio Nobel da Paz em 1989 como reconhecimento pelo seu longo empenho na libertação não violenta do Tibete.

Do Prefácio:
«Com o passar dos anos, acabei por me dar conta de que, na minha vida, existem três compromissos principais – poderemos mesmo chamar-lhes missões. Em primeiro lugar, como ser humano, estou comprometido com a promoção daquilo a que chamo valores humanos básicos, expressão que, para mim, engloba essencialmente a compaixão, que eu vejo como a base da felicidade humana. Alimentar a semente da compaixão que temos dentro de nós e agir de acordo com esta capacidade inata são as chaves para satisfazer a nossa aspiração básica à felicidade. […]
O meu segundo compromisso é, como pessoa religiosa, promover a compreensão e a harmonia entre as religiões. Este é o principal objetivo deste livro, cuja escrita foi para mim uma fonte de grande felicidade.
Por fim, o meu terceiro compromisso, como tibetano e como Dalai Lama, é encontrar uma solução feliz e satisfatória para a triste crise do Tibete e do seu povo. Enquanto este terceiro compromisso é um dever herdado, algo que me é exigido na minha qualidade de Dalai Lama, os dois primeiros são voluntários – aceitei-os por vontade própria e com agrado, e lutarei por eles até ao fim dos meus dias.»

Novidade Clube do Autor: Passeio à Beira-mar de Joan Anderson

Título: Passeio à Beira-MarAutor: Joan Anderson
PVP: 13,50 € 
N.º de Páginas: 200 Páginas

De Joan Anderson, a escritora que continua a inspirar mulheres no mundo inteiro

Joan Anderson retrata os momentos e as pessoas que a ajudaram a aceitar as mudanças da sua vida oferecendo mais um livro inspirador para todas as mulheres. Booklist

Depois do bestseller Um Ano à Beira-Mar, uma obra autobiográfica sobre o percurso de uma mulher até à auto-descoberta e auto-realização, chega Passeio à Beira-Mar, um livro que nos inspira, nos incita a viver intensamente cada segundo da nossa vida.
A história de vida de Joan Anderson é um testemunho terno e sincero da sua condição de mulher, e, simultaneamente, um relato inspirador que tem ajudado milhões de pessoas a reencontrar a alegria de viver.

os ensinamentos
Desfrutar todos os momentos
Dançar na praia
Deixar-se levar pelos sentidos
Procurar sempre a satisfação

Sobre o livro:
«Um livro que nos recorda a importância de continuarmos a crescer, a aprender e a viver em todas as fases da vida e, mais importante, a deixarmo-nos surpreender por tudo o que o destino nos pode oferecer.» Publishers Weekly

Sobre a autora:
Joan Anderson é apresentadora de televisão, jornalista e autora de numerosos contos infantis, bem como do aclamado livro Breaking the TV Habit.

Numa tentativa de partilhar o que aprendeu ao longo do ano que passou junto ao mar, Joan Anderson criou o programa «Fim-de-Semana à beira-mar», de forma a ajudar outras mulheres a explorar o essencial da vida e a desfrutar o momento presente. Joan vive com o marido em Cape Cod, onde organiza os seus workshops. É ainda oradora frequente em palestras que versam os problemas das mulheres e o papel dos media nas nossas vidas.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Novidades junho da Assírio & Alvim

 Novas edições de Fernando Pessoa que vêm contribuir para uma maior compreensão da sua obra e da sua vida, e o mais recente livro de Pedro Strecht.
Celebrou-se, no passado dia 13 de junho, mais um aniversário do nascimento de Fernando Pessoa, uma data que celebrámos com a publicação de dois livros que vêm contribuir para uma maior compreensão da sua obra e da sua vida: Histórias de um Raciocinador e o ensaio «História Policial» reúne o primeiro conjunto de histórias policiais de Fernando Pessoa — escritas em inglês no período entre 1906 e 1907 — e é uma maravilhosa ante-câmara para o já publicado Quaresma, Decifrador.
Destaque ainda para a histórica edição de Cartas de Amor de Fernando Pessoa e Ofélia Queiroz, publicadas pela primeira vez no mesmo volume, que inclui ainda duas cartas inéditas de Ofélia e alguns excertos de cartas suas, anteriormente censurados. Neste livro, a ideia comum de que estaríamos perante um namoro platónico, sem réstia de erotismo, desfaz-se por inteiro.
Finalmente, a publicação de Assim Seus Olhos, onde Pedro Strecht analisa um tema de grande atualidade: o lugar da esperança no futuro das crianças e dos adolescentes. Sobre este livro diz-nos D. Manuel Clemente, Bispo do Porto, que «De capítulo em capítulo desta nova contribuição de Pedro Strecht, acresce-nos a consciência do desafio inadiável. Também de que a presente “crise” tem de ser um tempo de decisão sobre o que havemos de ser, subsidiária e solidariamente».

 
Título: Histórias de um Raciocinador
Autor: Fernando Pessoa
N.º de Páginas: 272
PVP: 16€


Os primeiros contos policiais de Fernando Pessoa
Este volume reúne o primeiro conjunto de histórias policiais de Fernando Pessoa, escritas entre 1906 e 1907 e em língua inglesa. Começa aqui o policial pessoano, conceito em que irá trabalhar até morrer. Se, nalguns aspetos, estes textos estão ainda ligados à juventude do autor e às experiências e leituras desses tempos, outros revelam uma surpreendente coerência em relação à escrita policial da sua maturidade. A visão que Pessoa tinha do género começou aqui a formar-se e ele manteve-se-lhe fiel até ao fim. O ex-sargento William Byng é o detetive criado, misto de genialidade e fraqueza, personificação dos poderes dedutivos, com um raciocínio abstrato que se assemelha a um número de circo de elaborados volteios. Tal como mais tarde Abílio Quaresma, das novelas policiárias, Byng é um decifrador dos mistérios do mundo e da mente humana, aparentemente transcendentes, mas possíveis de reduzir a simples charadas da vida real.
O ensaio «História Policial», também ele iniciado na juventude, mas continuado e acrescentado ao longo das décadas seguintes, revela o profundo conhecimento do autor acerca de um género ao tempo pouco valorizado entre nós, mas que ele apreciava o suficiente para o desejar transformar em coisa sua. Neste ensaio é definido o princípio fundador: o policial de qualidade, produto da imaginação, deve ser sobretudo um divertimento intelectual e um exercício de raciocínio.


"Quero que o leitor compreenda que faço uma grande distinção entre a história de mistério e a história policial. Um conto, um romance de mistério é digno de desprezo enquanto realização intelectual; enquanto uma história policial exige a união da mais clara imaginação com o raciocínio mais forte e elevado." Fernando Pessoa


Título: Cartas de Amor de Fernando Pessoa e Ofélia QueirozOrganização: Manuela Pereira da Silva
N.º de Páginas: 368
PVP: 18€

Pela primeira vez, as cartas de amor de Fernando Pessoa e de Ofélia Queiroz são apresentadas em edição conjunta, a forma mais adequada para dar a ler uma correspondência, que pressupõe sempre um diálogo, uma interação, a existência concreta de dois interlocutores. Cada carta é, em si mesma, ou a resposta a outra carta ou pretexto para ela.
Até quando o destinatário opta por não responder, de algum modo, o seu silêncio se inscreve na carta seguinte. Assim, uma relação amorosa, sustentada epistolarmente, como a de Pessoa e Ofélia, só é, na verdade, entendível quando os dois discursos se cruzam e mutuamente se refletem.
Neste livro a ideia comum de que estaríamos perante um namoro platónico, sem réstia de erotismo, desfaz-se por inteiro. Vemos, enfim, surgir um Pessoa diferente do outro lado do espelho. Um Pessoa não só sujeito e manipulador da escrita, mas um Pessoa indefeso, objeto do discurso (e do afeto) de outrem, personagem de uma história real.



Título: Assim seus Olhos
Autor: Pedro Strecht
N.º de Páginas: 136
PVP: 12€

Este livro é sobre a esperança. E sobre o lugar da esperança no futuro das crianças e dos adolescentes. Interessa a quem se preocupa por temas da infância e adolescência.
E a uma imensa minoria que não se identifica com as ideias essencialmente técnicas e economicistas que dominam a maneira de olhar para o mundo, para os mais novos e para o futuro, como se o bem-estar pessoal e social dependesse em exclusivo de palavras como sucesso, dinheiro ou competitividade.
Interessa aos que se ligam a ideais humanistas e se deixam tocar pela singularidade de cada pessoa, pelo reforço da presença e da transmissão de valores que engrandeçam um bem social comum.
Assim Seus Olhos procura um espaço de luz e reflexão sobre a vida emocional de rapazes e raparigas de hoje e de todas as atribulações e desafios que o dia a dia lhes coloca. Pretende combater os medos mais comuns com que se deparam (vazio, solidão, incompletude, pensar, sentir, amar) para ajudar à construção de um mundo sempre melhor.

Sobre o autor:
Pedro Strecht, médico de Psiquiatria da Infância e da Adolescência, trabalhou no Departamento de Pedopsiquiatria do Hospital de D. Estefânia em Lisboa, foi professor do Ensino Secundário Oficial e Particular e Supervisor da Comissão Regional de Lisboa do Projeto de Apoio à Família e à Criança. Para além da atividade privada, é médico do Centro de Estudos Dr. João dos Santos “Casa da Praia” e da Cooperativa “A Torre”. Trabalhou e colaborou com Teresa Ferreira e Daniel Sampaio e tem-se notabilizado na área da psicologia da infância e da adolescência, onde é autor de uma extensa obra publicada.

O Prisioneiro do Céu é o novo livro de Carlos Ruiz Zafón que estará nas livrarias a 28 de Junho

Título: O Prisioneiro do Céu Autor: Carlos Ruiz Zafón
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 400
Editor: Editorial Planeta
PVP: 21.90€

Sinopse:
Barcelona, 1957. Daniel Sempere e o amigo Fermín, os heróis de A Sombra do Vento, regressam à aventura, para enfrentar o maior desafio das suas vidas. Quando tudo lhes começava a sorrir, uma inquietante personagem visita a livraria de Sempere e ameaça revelar um terrível segredo, enterrado há duas décadas na obscura memória da cidade. Ao conhecer a verdade, Daniel vai concluir que o seu destino o arrasta inexoravelmente a confrontar-se com a maior das sombras: a que está a crescer dentro de si.

Transbordante de intriga e de emoção, O Prisioneiro do Céu é um romance magistral, que o vai emocionar como da primeira vez, onde os fios de A Sombra do Vento e de O Jogo do Anjo convergem através do feitiço da literatura e nos conduzem ao enigma que se esconde no coração de o Cemitério dos Livros Esquecidos. 


Francisco Louçã e Irene Pimentel apresentam o livro «AS MULHERES DA FONTE NOVA» de Alice Brito Caixa de Entrada x