sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Porto Editora vai apresentar novidades literárias para o resto do ano

3 de Setembro foi o dia escolhido pela Porto Editora apresentar as suas novidades literárias para o resto do ano. O evento iniciar-se-á a partir das 18h30, e terá lugar no Hotel Tivoli (à Avenida da Liberdade), em Lisboa.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Um Dia e Uma Noite e Um Dia - Glen Duncan [Opinião]

-->
Título: Um Dia e Uma Noite e Um Dia
Autor: Glen Duncan
Colecção: Contemporânea
Preço: 18.90€
Pp.: 192

Sinopse:
A ténue linha que separa o amor do terror.
Um Dia e Uma Noite e Um Dia é a história de Augustus Rose, um improvável membro de uma rede terrorista, e de Harper, o seu implacável interrogador.
Para além da lei e sem esperança de fuga, Augustus suporta represálias físicas e emocionais que submetem a sua vida a um violento escrutínio: a sua raça, as suas convicções religiosas e políticas, as pessoas que amou e as poucas que quer proteger a todo o custo.
À medida que o interrogatório de Harper se torna cada vez mais brutal, Augustus defende-se com a única arma que tem: a sua memória. E ele revê na sua mente as mulheres da sua vida: a sua mãe marginalizada, a mulher que o convenceu a juntar-se à célula de terroristas e a última mulher que o amou. Uma história fortíssima e absorvente, Um Dia e Uma Noite e Um Dia é uma intensa história de amor e um retrato oportuno e doloroso do mundo ocidental contemporâneo.

A minha opinião E
Em Um Dia e Uma Noite e Um Dia Glen Duncan oferece ao leitor um livro onde a figura principal é Augustus, um suposto terrorista que acaba capturado por Harper, um homem que te tenta extorquir-lhe, à força da violência, todas as informações de que ele é portador. Informações sobretudo da sua actividade terrorista e dos membros que integram o seu grupo. Preso a Harper, Augustus revive alguns dos principais momentos da sua vida. A primeira vez que fez amor com Selina, aos 19 anos, o seu grande e primeiro amor. E a sua memória acompanha igualmente a história americana, através de grandes ícones ou de grandes acontecimentos como Martin Luther King, Malcom X, a aterragem na lua… Recorda também o momento em que reencontra Elise, após 20 anos de separação. É ela que o leva a fazer parte da organização terrorista. Um livro em que as principais figuras para o protagonista são mulheres: a mãe, uma fervorosa religiosa italiana que tem um caso passageiro com um negro do qual resulta um filho mestiço (Augustus); Selina e Elise. Uma história impressionante, não aconselhável a mentes mais sensíveis.


Novidade Gradiva: Nocturnos de Kazuo Ishiguro

Título: Nocturnos
Autor: Kazuo Ishiguro
Preço de Capa: 14.00 EURO

Nº de páginas: 236
Ano de Edição: 2009

Sinopse:
Kazuo Ishiguro explora nesta obra os temas do amor, da música e da passagem do tempo. Um livro para quem se recusa a perder a esperança e insiste em ver o lado positivo de tudo o que sucede. Lições de vida e a vida em lições de mestria narrativa, de um autor já descrito pelo New York Times como «um génio extraordinário e original».Em Nocturnos, Kazuo Ishiguro explora os temas do amor, da música e da passagem do tempo. Das piazze italianas às colinas de Malvern, de um apartamento londrino à zona «reservada» de um luxuoso hotel de Hollywood, encontramos nestas páginas uma singular galeria de personagens – de jovens sonhadores a músicos de café e a vedetas em declínio – num momento particular de reflexão e de reavaliação das suas vidas.Terno, íntimo e cheio de humor, este quinteto de histórias é marcado por um motivo recorrente: o esforço para preservar o sentido do romance na vida. É um livro para quem se recusa a perder a esperança e teima em ver o lado positivo de tudo o que de bom e mau sucede. Lições de vida e a vida em lições de mestria narrativa.

Críticas:
«A discrição e a intensidade introspectiva de Kazuo Ishiguro são evidentes nestas histórias. […] A sua prosa é notável por aquilo que, em música, seria denominado sons parciais: intervalos que ressoam quando se toca uma nota. [Estas narrativas] continuam a ressoar muito depois de pousarmos o livro.»
Jane Shilling, Sunday Telegraph
«Captar a magia de uma arte através do prisma de outra não é tarefa fácil. Mas Kazuo Ishiguro procura isso mesmo neste seu sétimo livro […]. O que faz um grande número musical, uma peça que transcende modas, é, evidentemente, a sua peculiaridade, a sua originalidade. E é a atracção e o impacte desta qualidade nebulosa que Ishiguro consegue veicular com inteligência e emoção nestas histórias.»
Christian House, The Independent

Sobre o autor
Nascido em Nagasáqui, Japão, em 1954, Kazuo Ishiguro vive na Grã-Bretanha desde os cinco anos de idade. Descrito pelo New York Times como «um génio extraordinário e original», é autor de seis romances, quatro dos quais editados pela Gradiva – Os Despojos do Dia (1989, vencedor do Booker Prize), Os Inconsolados (1995, vencedor do Cheltenham Prize), Quando Éramos Órfãos (2000, nomeado para o Booker Prize) e Nunca me Deixes (2005, nomeado para o Booker Prize). Em 1995 foi feito Oficial da Ordem do Império Britânico, por serviços prestados à literatura, e em 1988 recebeu a condecoração de Chevalier de L’Ordre des Arts et des Lettres da República Francesa.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Confissões ao Luar - Alice Hoffman [Opinião]

-->
Título: Confissões ao Luar
Autora:
Alice Hoffman
Págs.: 208
Preço: 13,50 €

Sinopse
Arlyn Singer acredita no destino e no poder dos sentimentos. Naquele que será um dos momentos mais determinantes da sua vida, Arlyn pressente a chegada do seu grande amor. Mas o destino parece pregar-lhe uma partida ao colocar o frio e calculista John Moody no seu caminho. John é o oposto da sonhadora Arlyn. Contudo, a paixão entre ambos é arrebatadora e o casamento inevitável. A vida encarregar-se-á de os levar, a eles e aos seus filhos, a uma casa de vidro no campo, no Connecticut, mas também aos arranha-céus de Manhattan e às águas azuis do estreito de Long Island, sempre em busca de unidade familiar e identidade.Um caminho de perda e redenção que inclui Sam, o filho de ambos, um artista brilhante e explosivo; Blanca, a bela solitária que tenta desesperadamente proteger o irmão do seu destino e que vive a sua própria vida num mundo habitado por livros; e Will, o neto, a braços com uma família fragmentada, emocional e misteriosa que, afinal, nada sabe sobre o amor.

A minha opinião
«O que desejara John Moody para Sam? Certamente que gostaria de ter tido um filho diferente, não um rapaz feito de espinhos de ouriço-cacheiro e de pesadelos e de ossos descolorados. Havia alturas em que John desejava mesmo que Sam se enrolasse atrás do fogão para poder pegar-lhe pelo rabo, varrê-lo para o lixo e esquecê-lo.» Nada faria prever que quando se perdeu na estrada John Moddy, ainda um jovem universitário, se iria prender a uma absoluta desconhecida, filha órfã de um capitão de ferryboat. Arlyn Singer sabia de antemão que o primeiro jovem que lhe aparecesse seria o seu futuro esposo e não descansou até casar com ele. Um pouco confuso com o amor inesperado John Moody não foi o marido ideal, nem o pai esperado para Sam, uma criança problemática, anti-social. O afastamento de John da família iria transformar para sempre personalidades de mulher, filho e do próprio John. O desenrolar da história centra-se na família que vive no sapato de vidro, uma obra arquitectónica bastante conhecida projectada pelo pai de John. Uma família triste, cinzenta, e só. Um livro divido em três partes que conta a história de três gerações da família de Arlyn e John. A primeira parte relata o encontro e posteriormente o casamento entre o jovem casal. A segunda parte centra-se na vivência problemática de Sam e a terceira e última parte, fala em Blanca, irmã de Sam e filha de Arlyn e Will, filho de Sam. Inicialmente confesso que o livro não me estava a agradar muito por ser bastante misterioso e tratar de temas como fantasmas, e uma espécie de destino. No entanto, com o desenrolar da história fui-me prendendo à solidão e incapacidade de compreensão por parte de quase todos da família do jovem Sam.


terça-feira, 4 de agosto de 2009

Resultados do passatempo "A Música das Borboletas"

Obrigada a todos que participaram no passatempo "A Música das Borboletas" realizado entre o Marcador de Livros e a Editorial Presença, num total de 279 participações.
Devo acrescentar que recebemos várias participações com a mesma morada, pelo que só uma participação foi considerada válida.

As respostas às perguntas colocadas são:

1 – A Música das Borboletas venceu um prémio. Qual? R. Venceu o prémio «Best Newcomer Award» de 2007, atribuído pela New Zeland Society of Authors
2 – Rachael é filha de um conhecido autor da Nova Zelândia. Qual o seu nome? R. Michael King
3 – Thomas é coleccionador de que animal? R. Borboletas

Os felizes contemplados são:
81 - Teresa Rocha Santos - Mem Martins
180 - Madalena Marques - Amora
139 - Ana Cristina Silva - Ovar

Além de o seu nome figurar no blogue, a contemplada foi ainda avisada através de email.

Tanto A Música das Borboletas como O dia que faltava foram editados pelas Editorial Presença no dia 4 de Agosto, ou seja, ontem. No Marcador de Livros pode ler a crítica ao livro O dia que faltava aqui

Novidades Europa-América para Agosto


Título: A Vida que Nunca te Contei
Autora:
Josephine Cox
Colecção: Contemporânea
Preço: 24.50€
Pp.: 324

Na cidade de Bedford, quatro estudantes ouvem a voz insistente de uma mulhera cantar. A bela melodia é entoada pela vizinha — uma pessoa solitária, quenunca abre a porta a ninguém, nem sai de casa em pleno dia.Não podiam saber que a mulher na casa ao lado, Madeleine Delaney, éperseguida por uma recordação antiga que durante vinte anos controlou a suapobre existência …A voz angélica de Madeleine e a beleza impressionante atraem os corações demuitos. Mas ela só está interessada no proprietário do clube. Steve Drayton,um homem extremamente atraente mas assustador.Então, uma noite ela presencia um crime horrível, e a sua vida mudairrevogavelmente para sempre. A gentileza e a amizade de uma rapariga —Ellen — salva Madeleine da destruição total. Mas para sobreviverem têm defugir de Londres, deixando para trás aqueles que amam, e o perigo segue-aspara onde quer que vão…Josephine Cox nasceu em Blackburn, uma de dez filhos. Aos 16 anos, Josephineconheceu e casou-se com Ken e teve dois filhos. Quando os filhos foram paraa escola, decidiu ingressar na faculdade e conseguiu, por fim, um cargo naUniversidade de Cambridge. Não o pôde aceitar uma vez que isso significavaviver longe de casa, mas enveredou pelo ensino e começou a escrever oprimeiro romance. Ganhou o Prémio «Superwoman of Great Britain» para o quala família a inscrevera em segredo, ao mesmo tempo que o seu romance eraaceite para publicação.
As suas histórias intensas, realistas, são tiradas da tapeçaria da vida.Josephine declara, «Nunca poderia imaginar um dia sem escrever. Tem sidoassim desde que me lembro.»

Crítica:«O talento de Cox como contadora de histórias nunca deixa de o enfeitiçar»Daily Mail«Arrebatador e intenso» Sunday Times«Narrativa irresistível» Books Magazine«Empolgante» Woman’Real


Título: Morto por Pecar
Autor: Stephen Booth
Colecção: Crime Perfeito
Preço: 25.90€
Pp.: 368
Após uma descoberta macabra na quinta de Pity Wood em Peak District, a Polícia é chamada ao local. Durante os trabalhos de conservação da quinta,um dos operários desenterrou uma mão conservada em argila. Na sequência devárias escavações e investigações policiais, dois cadáveres são descobertose apenas se sabe que não foram enterrados em simultâneo.Com poucos dados forenses, os agentes Ben Cooper e Diane Fry terão dedescobrir o misterioso passado da quinta e deparam-se com um longo historialde exploração de trabalhadores pobres. Onde estará a verdade nesta horrívelhistória? No passado sombrio da quinta ou nas íngremes ravinas de PeakDistrict, à espera de ser revelada?Stephen Booth nasceu na cidade fabril de Burnley, no Lancashire, emanteve-se ligado aos Peninos durante a sua carreira como jornalista daimprensa escrita. Vive com Lesley, a mulher, numa casa antiga emNottinghamshire e os seus interesses incluem o folclore da região, aInternet e as caminhadas pelas colinas do Peak District. Notíciasactualizadas das publicações e compromissos mais recentes de Stephen Boothpodem ser encontrados no seu sítio na Internet:
http://www.stephen-booth.com/

Crítica: «Booth é um dos melhores escritores de policiais da actualidade.» —Sunday Telegraph


Título: Picasso
Autor: Henry Gidel
Colecção: Grandes Biografias
Preço: 34.90€
Pp.: 412

Picasso é uma das personalidades que marcaram o século XX. Géniomultifacetado que tanto fascina como gera ódios. O pai de Guernica e de AsMeninas de Avinhão, bem como de muitas outras obras de génio, adoravasurpreender, chocar e fascinar o público. O grande autor da revoluçãocubista, que mudou para todo o sempre a nossa forma de olhar para a Pintura,foi também um homem de mulheres. Dona Maar, Françoise Gilot foram muitas dasmusas da sua vida. Uma vida comprometida com a época, uma vida apaixonada,tão cheia de brilhantismo como de momentos dramáticos.De facto, o leitor, ao olhar para este livro, poderá pensar: «Mais um livrosobre Picasso...» Porém, se excluirmos os relatos, muitas vezes parciais,publicados recentemente e que se referem a épocas precisas da sua vida, eisque podemos dizer que há cerca de quinze anos que não se edita um livro noqual se explore, desde a nascença até à morte, a vida deste monstro sagradoque desapareceu em 1973.Há muitos que o consideram um avaro, um sádico, um dissimulado, outros que oolham como um impostor e um assassino da Pintura, e há ainda quem se revoltacontra os primeiros e que, sem nenhum sentido crítico, se verga diante daestátua que ergueram em sua homenagem. Todos têm razão e todos estãocompletamente errados, uma vez que há vários Picasso, muitos Picasso,demasiados, sem dúvida.Nele, o homem bom e generoso rivaliza com o bárbaro e o avaro, o audaciosoesconde o tímido, o revolucionário apadrinha o conservador e o homem segurode si camufla um indeciso patológico. O que é mais extraordinário ainda éque o verdadeiro satírico transformava-se num doce amante.Assim, ao longo destas páginas poderá descobrir não só o Picasso-pintor mastambém o Picasso-homem, que sempre esteve rodeado de mulheres, até aomomento em que Geneviève Lapone passou a ocupar um lugar definitivo na suavida.Definitivamente um novo olhar sobre Picasso!Henry Gidel, vencedor do Prémio Goncourt na área das biografias, bem como doGrande Prémio Internacional da Crítica Literária em 1991, é um conceituadoautor de biografias de personalidades tão conhecidas do grande público comoCoco Chanel, Marie Curie, Sarah Bernhardt e Jean Cocteau.
Título: Os Mistérios do Seu Gato
Subtítulo: Soluções Simples para os Problemas do Dia-a-Dia
Autores: Gary R. Sampson e Dick Wolfsie
Colecção: Cães, Gatos, Periquitos & Companhia
Preço: 14.86€

Conheça Fritz, o gato que preferia fazer as suas necessidades no fato deflanela azul do seu dono em vez de usar o caixote. Otis, que escondia oscigarros e fósforos da sua dona. E Mel, que expressava o seu aborrecimentoda forma mais despropositada possível.Em Os Mistérios do Seu Gato, os donos de gatos irão aplaudir a abordagemcriativa do Dr. Gary Sampson para resolver os problemas comportamentais mais«gatastróficos» possíveis. O Dr. Sampson emprega exemplos da vidaquotidiana, retirados da sua experiência com o comportamento animal, paraajudar o leitor a:- Compreender os motivos por detrás do comportamento do seu gato.- Tomar medidas simples e inovadoras para corrigir o problema.- Prevenir maus comportamentos num futuro próximo.Cada capítulo tem uma lição prática que pode aplicar ao relacionamento quetem com o seu gato. Estas histórias vão fazê-lo rir e, mais importanteainda, deixá-lo um pouco mais sábio no que diz respeito a definir umcomportamento apropriado para o seu melhor amigo.Gary R. Sampson é um veterinário especializado em problemas comportamentaisem cães e gatos. O Dr. Sampson, cuja prática profissional é bem conhecida noMidwest americano, foi reconhecido como o «Melhor Veterinário» pela revistaIndianapolis Monthly, em 2004.Dick Wolfsie é um galardoado com um Emmy que trabalha para a WISH-TV emIndianápolis. É autor de sete livros, incluindo Barney: The Stray Beagle WhoBecame a TV Star and Stole Our Hearts. A sua coluna humorística pode serlida em vinte e cinco publicações jornalísticas.
Título: Superpoderes para Pais
Subtítulo: Os psicólogos ajudam pais e filhos a serem felizes
Autor: Stephen Briers
Colecção: Saber Viver
Preço: 16.91€
Pp.: 232

Todos nós queremos que os nossos filhos sejam bem comportados.Também queremos que as nossas crianças sejam felizes e equilibradas, quesaibam pensar por si mesmas e que sejam capazes de lidar com todas assituações difíceis com que se deparem ao longo da vida.Não seria óptimo se houvesse pequenas atitudes da nossa parte, enquantopais, que melhorassem o comportamento das crianças e, simultaneamente, astornassem mais felizes e com maior auto-estima?A boa notícia é que esses superpoderes existem!Neste livro inovador, o Dr. Stephen Briers mostra-nos exactamente quais sãoe como podemos aplicá-los ao longo do crescimento das crianças.Em vez das velhas técnicas de disciplina e comportamento, este livroapresenta uma forma diferente e proactiva de ser pai.E não precisa esperar que a criança tenha um mau comportamento para usarestes superpoderes. Pode começar já! E, assim, evitar situaçõesdesagradáveis no futuro...Verá que as crianças serão muito mais felizes, bem comportadas e estarãomuito mais bem preparadas para lidar com sentimentos, com situações e com aspessoas que as rodeiam.Pode não conseguir saltar entre arranha-céus ou derrotar monstros, mascertamente tornará o seu mundo muito melhor!
O Dr. Stephen Briers é um psicólogo clínico, formado pela Universidade deCambridge, onde esteve envolvido no estudo do desenvolvimento infantil, naWinnicot Unit. Actualmente, trabalha tanto com crianças como com adultos noseu consultório. As suas presenças televisivas incluem quatro temporadas dasséries Little Angels e Teen Angels (BBC), e também Make Me a Grown-Up(Channel l4). É um colaborador regular numa coluna do suplemento educacionaldo Times e reside em Brighton com a sua mulher e os seus dois filhospequenos.

Aventuras de Sherlock Holmes I – Sir Arthur Conan Doyle [Opinião]

-->
Um Escândalo na Boémia
O Mistério do Vale Boscombe
O Carbúnculo Azul

Sinopse: As Aventuras de Sherlock Holmes incluem originalmente doze contos de aventuras do detective Sherlock Holmes, publicados em 1892. Os contos foram divulgados pela primeira vez na revista Strand Magazine, nos anos de 1891 e 1892. Neste primeiro livro de aventuras estão reunidos Um Escândalo na Boémia, O Mistério do Vale Boscombe e O Carbúnculo Azul.

A minha opinião
Neste primeiro livro oferecido pelo JN deparamo-nos com três pequenos contos com crimes solucionados pelo inteligente Sherlock Holmes. No primeiro conto Um Escândalo na Boémia Sherlock ajuda um rei a livrar-se de um caso de chantagem. No segundo conto, O Mistério do Vale Boscombe, o famoso detective resoluciona o caso de um jovem que é acusado de assassinar o pai, coisa que não acontecera. E, por último, O Carbúnculo Azul, conta o mistério de um diamante ter ido parar ao interior de um ganso, comprado propositadamente para a ceia de Natal. Um livro óptimo para ler nesta época e com a particularidade de se poder transportar na carteira por ser fino e leve.

Feiras do Livro pelo país

À semelhança de anos anteriores tem-se vindo a organizar um conjunto de Feiras do Livro que pretendem aproximar os livros dos seus leitores em tempo de férias.
Aqui vai a lista de algumas delas:

Espinho - De 16 de Julho a 22 de Agosto;

Armação de Pêra - De 17 de Julho a 24 de Agosto, na Sede do Clube de Futebol Os Armacenenses (Rua Álvaro Gomes);

Ericeira - De 18 de Julho a 23 de Agosto, no Largo de São Sebastião;

Vila Nova de Milfontes - De 22 de Julho a 23 de Agosto;

São Martinho do Porto - De 29 de Julho a 20 de Agosto;

Corroios - De 21 a 30 de Agosto (Integrada nas Festas da Freguesia).


Novidades da Editorial Presença para a 1.ª quinzena de Agosto




Título: A Música das Borboletas
Autor: Rachael King
P.V.P.: 16,00 €
Data 1.ª Edição: 04/08/2009
N.º de Edição: 1.ª
N.º de Páginas: 288
Colecção: Grandes Narrativas
N.º na Colecção: 440

Sinopse: Em 1903, Thomas Edgar, um jovem coleccionador de borboletas, sonha encontrar uma espécie rara que ninguém ainda capturou. A oportunidade de ouro surge quando um magnata da borracha, no Brasil, o convida a participar numa expedição científica no coração da Amazónia. Thomas parte na esperança de ser o primeiro a conseguir recolher um exemplar da mítica borboleta, mas acabará por ser obrigado a confrontar-se com os seus próprios limites. Quando regressa, Sophie, a sua jovem mulher, recebe um desconhecido com quem não pode sequer comunicar, uma vez que Thomas se fecha num mutismo absoluto. Um romance realista e bem documentado, que capta o mundo interior das personagens, numa atmosfera saturada de mistério e de uma mórbida sensualidade.

Título: Chocoólico
Autor: Tina Grube
P.V.P.: 13,00 €
Data 1.ª Edição: 04/08/2009
N.º de Edição: 1.ª
N.º de Páginas: 188
Colecção: Champanhe e Morangos
N.º na Colecção: 39

Sinopse: Paul é um bem-sucedido locutor de rádio que, por detrás da voz sensual e calorosa, esconde um vício inelutável por todas as coisas deliciosas que provocam excesso de peso. Quando Nicky o conhece por acaso num restaurante, não faz ideia de que em breve se tornará a sua personal trainer. E muito menos imagina que este seu novo emprego não só vai significar uma mudança radical no dia-a-dia do seu cliente, mas que também a sua vida está prestes a dar uma volta de 180 graus. Tina Grube apresenta-nos uma comédia irresistível que é igualmente um hino à força de vontade e ao poder de mudar as nossas vidas para melhor.

Título: O Dia que Faltava
Autor: Fábio Volo
P.V.P.: 14,00 €
Data 1.ª Edição: 04/08/2009
N.º de Edição: 1.ª
N.º de Páginas: 224
Colecção: Grandes Narrativas
N.º na Colecção: 439

Sinopse: Durante cerca de dois meses, Giacomo e Michela encontram-se todos os dias de manhã no eléctrico, a caminho do trabalho. Não se falam, apenas trocam olhares, mas para Giacomo esse momento transforma-se rapidamente no mais importante do dia. Até que uma manhã, sem que nada o previsse, Michela aborda-o e convida-o para tomar café, somente para lhe dizer que vai partir para Nova Iorque e não se vão voltar a ver. Mas quanto tempo resistirá Giacomo a correr atrás de um sonho? Um romance que reflecte sobre os desafios do amor, da amizade e dos sonhos, e que se tornou um bestseller em Itália.

Título: O Círculo de Sangue
Autor: Jérôme Delafosse
P.V.P.: 17,50 €
Data 1.ª Edição: 04/08/2009
N.º de Edição: 1.ª
N.º de Páginas: 320
Colecção: Minutos Contados
N.º na Colecção: 2

Sinopse: Um homem acorda de um prolongado coma num hospital da Noruega. Não sabe quem é nem se lembra do passado. Nathan Fahl é o nome que consta dos seus documentos de identificação e bem depressa se apercebe de que corre perigo. Em ritmo frenético a trama desenrola-se em diferentes direcções. Que relação haverá entre uma expedição árctica e sinistras experiências médicas no Ruanda? E que seita é aquela que há trezentos anos vem perpetrando acções terroristas? Nathan corre contra o tempo porque só poderá combatê-la se recuperar a memória. Um thriller poderoso, que arrasta o leitor numa vertigem, entre horrores antigos e actuais, sangrentos rituais religiosos, armas biológicas e terrorismo internacional.

Título: Luís XIV
Autor: Peter Robert Campbell
P.V.P.: 15,00 €
Data 1.ª Edição: 04/08/2009
N.º de Edição: 1.ª
N.º de Páginas: 248
Colecção: Figuras da Humanidade
N.º na Colecção: 9

Sinopse: Chamado o Rei-Sol, Luís XIV personificou, ao identificar-se com ela, a própria monarquia em termos absolutistas, enquanto a França emergia como a maior potência europeia, capaz de subjugar outras nações rivais. Contudo este livro inovador faz uma abordagem do reinado de Luís XIV, privilegiando não tanto os acontecimentos políticos daquele período, mas o contexto em que se enquadraram. Luís XIV aparece assim como parte de uma encenação destinada a criar uma ilusão de absolutismo, quando de facto a monarquia era refém de um sistema sociopolítico em que a nobreza continuava a manter largos poderes e era fortemente resistente às reformas.

Título: Quantas Estrelas Tem o Céu?
Autor: Giulia Carcasi
P.V.P.: 14,00 €
Data 1.ª Edição: 04/08/2009
N.º de Edição: 1.ª
N.º de Páginas: 340
Colecção: Noites Claras
N.º na Colecção: 2

Sinopse: Alice e Carlo, os protagonistas deste romance, são dois jovens de dezoito anos a terminar o secundário. Sonhadores, rebeldes e vulneráveis, vivem intensamente o turbilhão de experiências e emoções que agita os seus dias e a entrada num mundo adulto que ainda compreendem mal. Um romance contado a duas vozes, de Alice e de Carlo, duas perspectivas distintas que se complementam, duas histórias que se reflectem uma na outra e se encontram na descoberta e no desejo de um amor verdadeiro e profundo. Um olhar lúcido e real sobre a vida de dois jovens adolescentes, temperado com a dose certa de romantismo.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Porto Editora lança a 20 de Agosto “A Sombra da Águia”, do espanhol Pérez-Reverte

Chega às livrarias no próximo dia 20 de Agosto, o livro A Sombra da Águia, do espanhol Arturo Pérez-Reverte – um extraordinário relato da conquista napoleónica narrado por um soldado espanhol que, como todos os seus compatriotas, detesta o pequeno imperador gaulês.
Publicado em 1993 nas páginas do El País sob a forma de folhetim, A Sombra da Águia, até hoje inédita em Portugal é, na sua aparente simplicidade, uma das obras que melhor espelha o virtuosismo literário do seu autor.
A história é baseada num acontecimento real: em 1812, durante a Campanha da Rússia, num combate adverso para as tropas napoleónicas, um batalhão de antigos prisioneiros espanhóis, alistados à força no exército francês, tenta desertar, passando-se para os russos. Interpretando erroneamente o movimento, o Imperador encara-o como um acto de heroísmo e envia em seu auxílio uma carga de cavalaria que terá consequências imprevisíveis.

Ao mesmo tempo divertido e trágico, A Sombra da Águia revela-nos uma visão mordaz e descarnada da guerra e da condição humana. Uma pequena pérola com a assinatura do mais importante escritor espanhol da actualidade.

Sobre o autor
Arturo Pérez-Reverte nasceu em Cartagena (Espanha) em 1951. Depois de ter feito carreira como jornalista, nomeadamente como repórter de guerra, durante 21 anos, dedicou-se à literatura e tornou-se no escritor espanhol mais lido no mundo, estando já traduzido em 34 idiomas. É autor de uma extensa obra, quase toda traduzida em Portugal, com frequência adaptada ao cinema. Desde 2003 é membro da Real Academia Espanhola.

As Suspeitas do Sr. Whicher - Kate Summerscale [Opinião]

-->

Título: As Suspeitas do Sr. Whicher
Autor: Kate Summerscale
Chancela: Bertrand Editora
N.º Páginas: 364
P.V.P.: 16,50 €


Sinopse: Na madrugada do dia 29 de Junho de 1860, alguém entrou no quarto das crianças da Road Hill House, mansão de Samuel e Mary Kent, situada no vilarejo inglês de Road, e sequestrou Saville, o filho de três anos do casal. Horas depois, quando o alarme foi dado pela ama, o corpo da criança acabou por ser encontrado na latrina dos empregados, na área externa da casa. Saville tinha a garganta dilacerada. Não havendo provas de entrada forçada na propriedade, todas as atenções se voltam para a família e empregados da casa.
O assassinato de uma criança de 3 anos numa mansão em Road Hill, Inglaterra, em 1860, chocou aquele país e o mundo porque o assassino era alguém muito próximo do filho mais novo da família Kent. Este crime, que de resto mudou a história da investigação, da literatura e de uma época, foi reconstituído pela jornalista Kate Summerscale e a história valeu-lhe entretanto o British Book Award, o Prémio Galaxy e o conceituado Prémio Samuel Johnson.
O caso, que acabou por inspirar escritores como Charles Dickens e Arthur Conan Doyle, foi conduzido na época pelo inspector Jonathan Whicher, da Scotland Yard. E é pois sobre esta história verídica que abalou a sociedade da época e cujos ecos se fazem ouvir ainda hoje, na sociedade, na literatura e na investigação criminal que trata este As Suspeitas do Sr. Whicher.
A minha opinião
Kate Summerscale transporta-nos ao século XIX, ao ano de 1860, ao relatar um facto verídico do assassinato de um menino de 3 anos. Baseando-se em notícias dos jornais e no arquivo da polícia, a autora constrói uma história bem urdida do que se passou na noite do assassinato, 30 de Junho, mas também de alguns acontecimentos passados e futuros. A suspeita de que o assassino do pequeno Saville teria de ser uma pessoa da casa tornou-se por demais evidente e a investigação começou logo ali. Este assassinato mudou completamente a população inglesa. Todos queriam opinar sobre o assassinato e chegavam, inclusive, a escrever cartas para os jornais e polícia, dando a sua versão do assassinato e de quem teria sido o assassino. Daí a até surgirem os primeiros detectives foi um passo. Os primeiros detectives amadores surgiram primeiro na ficção, mas depois começaram a proliferar na vida real. «O primeiro detective na literatura inglesa era um detective amador: August Dupin, personagem criada por Poe. Resolvia os crimes sem procurar as pistas no local do crime, mas antes descortinando-as nos relatos dos jornais. A era do detective profissional mal começara, mas a do detective amador já desabrochara por completo.», servindo de exemplo para muitos dos romances policiais posteriores. Mas o caso tornava-se cada vez mais difícil de solucionar e só com a confissão do assassino, em 1865, é que se conseguiu chegar ao seu final. Em Agosto desse ano os escultores do Museu Madame Tussaud modelaram uma esfinge do assassino para ser exibida na Câmara dos Horrores do Museu juntamente com figuras recentes de dois outros assassinos: o doutor Pritchard, o envenenador, e John Wilkes Booth, assassino de Abraham Lincoln.

Para quem gosta de policiais este é um livro diferente sobre a matéria, mas um livro a não perder.

Sobre As Suspeitas do Sr. Whicher
- Número 1 do Sunday Times
- Publicado em 16 países
- Vencedor do 2009 British Non-Fiction Book of the Year Award
- Vencedor do 2009 British Book of the Year Award
- Vencedor do Samuel Johnson Prize 2008
- Finalista do Crime Writer’s Association Gold Dagger 2008
- Finalista do Mystery Writers of America Edgar Allan Poe Award 2009
- Eleito pelo Daily Telegraph como uma das 50 melhores leituras de sempre para o Verão